Mercado de imóveis passa por crise em Parauapebas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Por W. Costa – Da Redação

Vende-se, aluga-se ou troca-se. A cidade de Parauapebas passa por uma crise que, a exemplo do Brasil inteiro, afeta todos os setores da economia. Contudo, no município, um fator chama a atenção de quem anda pelas ruas da cidade: a grande quantidade de placas de aluguel e venda de imóveis.

image_large-1O município, que sempre foi famoso por ter uma média altíssima de preços para imóveis – segundo profissionais do ramo os preços praticados aqui eram muito a cima da média nacional – agora vê seus valores caírem assustadoramente, dado à enorme oferta que o momento de crise tem proporcionado.

O Blog ouviu profissionais do ramo imobiliário que afirmam ser este o pior momento para o mercado de imóveis em todos os tempos. A média na queda de preços já ultrapassa 25% dos valores praticados no mesmo período de 2012, o que tem assustado imobiliárias e corretores. 

Caiu  também  consideravelmente a venda de lotes em loteamentos e as famosas chácaras, antes vendidas em grande quantidade, além de termos alcançado neste segundo semestre de 2015 a maior quantidade de retomadas de lotes e chácaras por atrasos nos pagamentos. A inadimplência, segundo algumas empresas de cobrança consultadas, chega a 65% em alguns loteamentos.

Quitinete

Quem também sofre fortemente com essa crise é o mercado de aluguel. As tradicionais quitinetes, que antes viviam sempre lotadas, inclusive com filas de espera para locação, hoje vivem desocupadas com a velha placa de aluga-se. Visitamos alguns desses condomínios e observamos que a maioria está com pelo menos metade de seus quitinetes desalugada. Neste caso houve também uma queda considerável nos valores. A média de preços para locação, que antes era de R$ 500,00 a R$ 800,00, agora já é de R$300 a R$600 e, para os profissionais que ouvimos, deve diminuir ainda mais até começo do próximo ano.

Enquanto o mercado espera por dias melhores, a quantidade de imóveis à venda e disponíveis para locação aumenta consideravelmente. Já o volume de negócios é cada vez menor em Parauapebas.

Segundo especialistas, o aumento da oferta, já que muitos que pagavam aluguel conseguiram adquirir seus lotes e construíram suas residências; e a falta de vagas de empregos nos projetos da mineradora Vale, fazendo com que várias famílias deixassem Parauapebas, contribuíram para a crise no setor imobiliário no município.

Para alguns profissionais do ramo imobiliário, Parauapebas começa a viver a realidade, já que os preços praticados até meados de 2013 eram muito aquém da realidade nacional. Mas, o que mais preocupa os profissionais do ramo é que, mesmo com a forte queda nos preços, os negócios têm sido ínfimos nos últimos meses.