Mapa do Turismo Brasileiro mostra crescimento de 11 municípios paraenses

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O Pará agora colhe os resultados do crescimento da atividade turística com 11 cidades subindo de categoria na classificação realizada pelo Ministério do Turismo (MTur), que atualizou a categorização dos municípios que compõem o Mapa do Programa de Regionalização do Turismo.

A partir de agora, os municípios de Capanema, Salvaterra e Soure passaram para a categoria “C”, enquanto Augusto Corrêa, Cachoeira do Arari, Chaves, Palestina do Pará, Placas, Santarém Novo, São Domingos do Araguaia e Trairão subiram para a categoria “D”.

“Os municípios estão investindo na formalização dos empreendimentos. Cada vez mais estão acreditando na atividade turística, atraindo novos investimentos, gerando negócios na região e contratando profissionais da área com carteira assinada. Ou seja, esse resultado é fruto do dever de casa feito pela secretaria e os municípios, que hoje enxergam a atividade turística como um vetor de desenvolvimento. O turismo é uma atividade que traz esse retorno para o município”, explica a diretora de Políticas em Turismo da Setur, Fátima Gonçalves.

O Mapa do Turismo do Mtur é o instrumento para acompanhamento do desempenho da economia do turismo nos municípios e serve também como balizador de políticas do setor e direcionamento de verbas federais. De acordo com a nova categorização, esses municípios do Pará tiveram crescimento econômico motivado pelo setor turístico, seja por terem aumentado o número de empregos através do turismo, ampliado os estabelecimentos formais de hospedagem ou o fluxo de turistas domésticos e internacionais.

turismo-para1

“A melhoria na classificação de destinos como Capanema, Salvaterra e Soure mostra que nossos municípios têm trabalhado cada vez mais para fortalecer a atividade turística. No que diz respeito ao Ministério do Turismo estamos atentos às demandas do setor, como melhoria de infraestrutura, legalização e qualificação dos serviços”, avaliou o ministro do Turismo, Marx Beltrão.

A categorização é um processo dinâmico e perene que, assim como o Mapa do Turismo Brasileiro, é atualizado e aperfeiçoado periodicamente. Assim, se um município teve seu fluxo turístico e seus estabelecimentos formais de hospedagem ampliados, provavelmente na próxima edição da categorização, quando os dados serão novamente considerados, pode vir a mudar de categoria.

Recursos e verbas federais

De acordo com a classificação do MTur, somente municípios classificados entre “A” e “D” podem pleitear apoio a eventos geradores de fluxo turístico. De acordo com a nova categorização, as cidades de Capanema, Salvaterra e Soure agora podem contar com até R$ 400 mil por ano para realização de festejos. Os outros oito municípios que subiram de categoria passam a ter até R$ 150 mil para a finalidade.

Todos os municípios de “A” a “E” estão aptos a pleitear recursos de infraestrutura, como construção de estradas e rodovias de interesse turístico; de orlas e terminais fluviais, lacustres ou marítimos; reforma de terminais rodoviários intermunicipais e interestaduais, de aeroportos, de ferrovias e estações férreas de interesse turístico; sinalização turística, entre outros.

Publicidade

Posts relacionados