Jornal Hoje entrevista Valmir da Integral – empresário do ano de 2009 do Estado do Pará

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Valmir da integralEntrevista do jornalista e blogueiro Marcel Nogueira com o empresário e membro do PDT, Valmir Mariano, o Sr. Valmir da Integral. A conversa foi publicada no Jornal Hoje, edição 397. A condecoração de Empresário do ano Pará de 2009, ocorrida em novembro de 2009 por ocasião da Feira da Indústria de Marabá pela Federação das Associações Comerciais e Industriais do Estado do Pará veio a se somar a muitas outras, como os títulos de empresa Amiga do Comércio, empresa ISO 9001, certificação do Procem e o prêmio da melhor prestadora de serviços da Vale no Norte e Nordeste. Conforme Valmir Mariano mesmo diz, 2009, apesar da crise foi um ano especial. Confira esses e outros tópicos comentados por Sr. Valmir.

HOJE – Dificilmente um empresário que milita no interior do Estado consegue ser escolhido Empresário do ano do Pará. Como você recebeu isso?

Valmir – Para mim foi uma grata surpresa porque a gente sabe que não é fácil esse prêmio sair da zona metropolitana e vir para o interior. Apesar da consagração, a gente hoje sente o peso da responsabilidade que o prêmio traz, até porque é necessário fazer jus a ele. Veja bem, a minha empresa não é a maior do Estado, não o maior faturamento, não é a mais antiga. O que nos fez conquistar o prêmio então? Acredito que a minha vida pessoal, de uma pessoa que luta, que acredita, que empreende foi determinante, assim como a minha vida empresarial à frente da Integral. A Integral não é a maior, mas é diferente. Aqui a gente se preocupa com a formação de mão-de-obra e com a responsabilidade social. Gerar empregos é importante, mas, muito mais importante é a formação, a capacitação da mão-de-obra.

Hoje – Como tem sido a trajetória da empresa nesses 20 anos de atividades?

Valmir – Nós chegamos em Parauapebas no início dos anos 90 com apenas cinco funcionários. Desde o início acreditamos no município e apostamos numa parceria com a Vale. Essa parceria cresceu e se solidificou, com a geração de mais de milhares de empregos. No ano passado chegamos a ter 1.470 funcionários, isso nos gratifica muito.

HOJE – Como é dirigir uma empresa tão condecorada?

Valmir – Realmente nós tivemos momentos de felicidade ao receber o prêmio de Empresário do ano do Pará, 2009, assim como o prêmio de Empresa Amiga do Comércio, a certificação do Procem e recentemente recebemos o título da melhor prestadora de serviços Norte e Nordeste da Vale. E evidente que isso nos envaidece, mas como disse anteriormente nos enche de responsabilidade. É aquela história emagrecer é fácil, o difícil é permanecer magro. Ou seja, não é fácil permanecer no topo, por isso nós estamos sempre trabalhando, reestruturando a empresa para a excelência dos serviços.

HOJE – Quais seriam os projetos para 2010?

Valmir – Hoje nós estamos trabalhando na reestruturação da empresa, é importante que Integral tenha uma gestão que não necessite da figura do Valmir para tudo. Seria um novo modelo de gestão, uma estrutura que anda sozinha. Delegar atribuições é uma tendência que veio para ficar.

HOJE – Com a implantação de novos projetos minerais, como você vê Parauapebas e a região? Elas estariam prontas para receber esses investimentos?

Valmir – São vários projetos, dentre os quais Cristalino, Salobo, Serra Sul, Serra Leste. Esses projetos vão impactar Parauapebas de maneira decisiva. Há 20 anos, quando cheguei aqui eu via o crescimento e dizia que ninguém iria conhecer Parauapebas 10 anos depois. Hoje eu digo a mesma coisa: quem sair e voltar daqui a 10 anos não vai conhecer a cidade. Isso vale para a região inteira, inclusive Marabá que com a implantação da siderúrgica começa finalmente a fase da verticalização do minério. O desenvolvimento em todos os sentidos será incalculável. O que é preciso fazer urgentemente é nos preparar para esse novo tempo. Nós estamos perdendo grandes oportunidades, porque não estamos disponibilizando educação suficiente para os jovens e quando eu falo em educação estou falando em educação em todos os níveis, principalmente na educação profissionalizante. Se não tivermos o cuidado, a mão-de-obra paraense vai perder oportunidades, o empresário paraense vai perder oportunidades. É necessário preparo para que as nossas empresas não sejam engolidas pelas empresas que vêm de fora.

HOJE – E o Poder Público, está preparado?

Valmir – Esses dois setores precisam caminhar juntos, não há como separar. Os dois setores atuando bem geram desenvolvimento. A região é uma dádiva da natureza, tem de tudo, as oportunidades estão aí, mas, infelizmente, o Poder Público não tem contribuído para o crescimento da cidade, só para se ter uma idéia, hoje nós estamos com menos de 10% de saneamento básico, nós temos problema de energia, de água, educação deficiente, estradas sucateadas, falta moradia, escolas profissionalizantes. Não temos infra-estrutura para fazer frente ao desenvolvimento que vem. Estamos muito mal nesse aspecto.

HOJE – Numa rápida avaliação, você diria que a iniciativa privada está à frente do Poder Público na questão de preparo para o futuro?

Valmir – Os dois setores precisam se preparar, mas o Poder Público está bem atrás, só para você ter uma idéia, eu participei de uma reunião na Fiepa, na qual foi divulgado que nos próximos anos cerca de R$ 60 bilhões serão investidos na região. Desse montante, mais de 95% virão da iniciativa privada. Não resta dúvida que há um desequilíbrio muito grande

HOJE – Por ser um ano de eleição, 2010 começa com muita especulação. Com vão os planos do Valmir-político?

Valmir – Acredito que está na hora do empresário ter uma visão política mais aprofundada, ele precisa fazer parte da política da região, ainda que indiretamente. Como há muita especulação nesse sentido, eu devo dizer que colocarei meu nome a disposição do partido para uma possível candidatura a deputado.

HOJE – Como você a união entre PMDB e PT?

Valmir – Na verdade eles nunca estiveram separados e isso acontece à nível federal, estadual e municipal. Em Parauapebas eles também são aliados e há muito tempo, a opinião pública é que não tinha conhecimento disso, mas, com a filiação do secretário de Obras do prefeito Darci Lermen no PMDB essa aliança ficou escancarada.

HOJE – Você se filiou recentemente no PDT. Está satisfeito?

Valmir – Estou, o PDT me recebeu de braços abertos e acolheu as minhas idéias que é de uma visão sensata e voltada para o nosso município. Se houver necessidade de criticar o governo irei fazer, entretanto, se tiver que elogiar, não vejo problema nenhum em elogiar. A gente quer o melhor para o município. Não compartilho da tese de que quanto pior melhor, o mais importante é o bem do município.

Publicidade

Posts relacionados