Itupiranga: Moradores da Vila do Cruzeiro do Sul recebem Caravana de Cidadania e Direitos Humanos

O projeto, desenvolvido pela Sejudh, oferece serviços como emissão de documentos de identidade e a possibilidade de retificar ou solicitar uma segunda via da certidão de nascimento
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Moradores da Vila Cruzeiro do Sul recebem Caravana da Cidadania e Direitos Humanos (Foto: Gerlando Klinger/Ascom Sejudh)

Continua depois da publicidade

Neste domingo (12), a comunidade da Vila Cruzeiro do Sul, em Itupiranga, no sudeste do Pará, está sendo atendida pela Caravana de Cidadania e Direitos Humanos, realizada pela Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh). O projeto oferece à população da comunidade, distante cerca 230 km da sede do município, a emissão da carteira de identidade e a possibilidade de retificar ou solicitar uma segunda via da certidão de nascimento.

A Caravana de Cidadania e Direitos Humanos conta com a parceria da Polícia Civil e da Defensoria Pública do Estado (DPE). Desde a semana passada, a Sejudh tem promovido ações de cidadania em municípios da região sudeste do estado. Nesta sexta-feira (10), quando foram celebrados os 73 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, a Sejudh realizou uma grande ação na Vila do Cupu, em Marabá. 

Para o vice-prefeito de Itupiranga, José Soares Menezes, conhecido como Professor Menezes, a Caravana trouxe à comunidade uma oportunidade de garantir mais cidadania aos moradores, que moram distante do centro da cidade. “Eu, enquanto gestor e morador da Vila do Cruzeiro do Sul, fico feliz em ver as pessoas que moram aqui e em comunidades próximas terem a oportunidade de retirar seus documentos perto de onde vivem,” frisou.

Segundo a Sejudh, as carteiras de identidade emitidas neste domingo serão entregues à população em janeiro. Moradora da comunidade de Tracaí, também na zona rural de Itupiranga, a agricultora Francisca Borges, de 76 anos, aproveitou a ação para finalmente retirar a segunda via do seu documento de identidade.

Ela conta que está há três meses sem receber a aposentadoria porque o banco já não aceitava o seu documento, que era antigo. “O banco não estava mais aceitando a minha identidade e estou há mais ou menos três meses sem receber meu dinheiro,” disse.

Tina DeBord – com informações da Sejudh

Deixe seu comentário

Posts relacionados