GM resgata mais 50 menores de festa regada a bebida alcoólica em Parauapebas

Trinta e sete eram alunos das escolas municipais Eunice Moreira, Olga da Silva e Domingos Cardoso. Todos estavam se embriagando
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Nada menos que 37 crianças e adolescentes foram resgatadas por homens da Guarda Municipal de Parauapebas, Polícia Militar e Polícia Civil de uma festa que acontecia em um condomínio no Bairro Vila Rica. Os menores são alunos das escolas municipais Eunice Moreira, Olga da Silva e Domingos Cardoso e estavam ingerindo bebida alcoólica no local. Todos foram removidos em um ônibus escolar até a 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil onde, após passarem por triagem, foram entregues aos pais.

Ouvido pela Reportagem do Blog, o inspetor Valterlan Silva contou que a Guarda Municipal está executando a Operação “Volta às Aulas 2019” e a cada dia acompanha a entrada dos alunos em um estabelecimento de ensino.

Na tarde desta segunda-feira (25), segundo o inspetor, por volta das 15h30 uma pessoa denunciou que viu um casal de adolescentes se dirigindo a um terreno baldio próximo de uma das escolas e que a menina apresentava sinais de embriaguez. No local, Valterlan encontrou os adolescentes e constatou que a garota estava mesmo alcoolizada. Ao indagar onde ela havia ingerido álcool foi informado sobre um local onde estava havendo uma festa. No endereço indicado, segundo inspetor, havia cerca de 60 pessoas, mais de 50 delas crianças e adolescentes e 37 alunos das três escolas.

O inspetor então, diante do grande número de menores, solicitou ajuda da Polícia Militar e da Policia Civil para a remoção dos menores, feita em um ônibus escolar que passava pelo local naquele momento.

Em seguida ele entrou em contato com as diretoras das escolas para que contatassem os pais das crianças e adolescentes a fim de que fossem buscá-los na Delegacia de Polícia Civil, o que se estendeu até o início da noite.

Para a conselheira tutelar Gardênia Martins, que acompanhou todo o desenrolar da ação, é necessário que os pais se mantenham vigilantes quanto ao que os filhos fazem na escola. Segundo ela, é oportuno que pelo menos uma vez por mês se dirijam à escola e verifiquem como estão as notas e a frequência dos filhos, pois essa vigilância evitaria problemas como o da tarde de hoje.

Publicidade