Equipe paralímpica de Marabá traz 9 medalhas de ouro de circuito nacional

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A natação foi a modalidade que conquistou mais medalhas. O atleta Ademar Alves do Santos foi campeão nos 50, 100 e 400 metros nos nados peito, costa e borboletas. Vale lembrar que o representante marabaense é o atual recordista brasileiro no nado peito desde 2014.

A sorridente Jaqueline dos Santos Camilo não deixou por menos. A jovem abocanhou o primeiro lugar no pódio nos 50, 100 e 400 metros livres. Ela participa de competições há quatro anos e pela segunda vez disputa o circuito. Já Célio de Oliveira Baier ficou com o quarto lugar nos 50 e 200 metros livre e nos 100 metros costas.

No atletismo, quem se destacou foi Rodrigo Cavalcante, sendo prata no arremesso de dardos e bronze no arremesso de peso. O professor Arionaldo Borges dos Reis, um dos coordenadores da Associação Paralímpica de Marabá, espera difundir o esporte paralímpico em toda a região.

Ari deixa claro que o objetivo da Associação, que funciona desde 2008, é fazer com o que o atleta participe de grandes competições. O professor explica que a intenção da entidade não é filantropia, mas sim desenvolver um alto rendimento nos atletas para competições a níveis cada vez maiores.      “A associação trabalha para evoluir a capacidade esportiva de cada competidor e as portas estão abertas para jovens entre 12 e 17 anos que desejem participar”.

Ari, juntamente com a professora Luiza Crisostomo, já vem se articulando para acompanhar alguns atletas, que ganharam índices para disputar o brasileiro, em São Paulo, nos meses de junho e agosto. Além desta competição, a entidade planeja levar uma equipe para a disputa de tênis de mesa, no mês de abril, para o Ceará e uma equipe de Bocha para Rondônia.

O Circuito Loterias Caixa é organizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro e patrocinado pelas Loterias Caixa. É o mais importante evento paralímpico nacional de atletismo, natação e halterofilismo.

Composto por quatro fases regionais e duas nacionais, o Circuito Loterias Caixa tem como objetivo principal, desenvolver as práticas desportivas em todos os municípios e estados brasileiros, além de melhorar o nível técnico das modalidades e dar oportunidades à atletas de elite e novos valores do esporte paralímpico do país.

Segundo os organizadores do evento, mais de 300 atletas participaram das competições de pista e campo. Além de Sergipe, a fase regional Nordeste do Circuito Caixa, contará com atletas paralímpicos da Bahia, Alagoas, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará.

Os atletas que alcançaram os índices estabelecidos pelo departamento técnico do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), garantiram participação nas etapas nacionais do Circuito Loterias Caixa, em junho e agosto. A terceira fase nacional receberá a denominação de Campeonato Brasileiro. Será em outubro, reunindo os melhores do ano. As três competições serão realizadas no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo.