ENGENHEIRO DA TOYOTA MORRE AOS 45 ANOS DE TANTO TRABALHAR

Continua depois da publicidade

Autoridades do trabalho japonesas determinaram que um importante engenheiro da Toyota, de 45 anos, morreu devido ao excesso de trabalho, um mal conhecido no país como “karoshi”. Ele teve uma isquemia cardíaca em janeiro de 2006, um dia antes de partir para os Estados Unidos e participar do Salão do Automóvel de Detroit.Desde então, a família do engenheiro vinha brigando na Justiça do Japão para receber os benefícios do seguro.
De acordo com o advogado da viúva, a sentença favorável foi pronunciada em 30 de junho. A identidade da vítima não foi revelada, já que a família segue vivendo na cidade de Toyota, onde fica a sede da companhia. Funcionários do departamento judicial que cuidou do caso confirmaram o resultado.
Segundo a agência Associated Press, a empresa soltou uma nota de pêsames e afirmou que vai melhorar o controle sobre a saúde de seus profissionais.
De acordo com o advogado, a vítima era o engenheiro-chefe do projeto da versão híbrida do sedã Camry. Ele teria trabalhado ao menos 80 horas extras mensais em novembro e dezembro de 2005. Essa carga a mais de trabalho incluía jornadas noturnas e finais de semana, além de freqüentes viagens para o exterior. A filha do engenheiro o encontrou morto na casa dele.
Casos assim não são raros no Japão — tanto que o registro de mortes por “karoshi” começou a ser feito oficialmente pelo Ministério da Saúde local já em 1987.