Empresários de Comunicação Visual pedem socorro à CMM. Queixam-se de prejuízos com retirada de painéis pela prefeitura

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Por Eleutério Gomes – de Marabá

Na manhã desta terça-feira (17), uma comissão formada por seis empresários do setor de Comunicação Visual esteve na Câmara Municipal de Marabá (CMM), a fim de pedir o apoio dos vereadores. Eles desejam dialogar com o Executivo Municipal em relação às retiradas de painéis de publicidade que estão sendo feitas pela Coordenação de Posturas. Queixam-se que essas retiradas estão acontecendo sem que as empresas sejam notificadas, causando grandes prejuízos financeiros, pela perda do material que é de alto custo, e dos contratos de publicidade com terceiros.

Falando pelo grupo, Saimon Bicho Vieira afirma ao Blog que são mais de 30 empresas atuando há cerca 20 anos em Marabá, as quais sustentam, por meio dos empregos que geram, mais de 300 famílias. “Queremos tentar um acordo com o Executivo, estamos interessados em que tudo funcione de maneira legalizada”, afirma ele, acrescentando não considerar que os painéis poluam visualmente a cidade,

“Em cidades do País inteiro o poder público cede os espaços para a colocação de painéis. Aqui mesmo, em todos os governos, temos sido autorizados a colocar nossas placas, não fazemos nada que não seja oficializado”, argumenta Saimon.

Ainda de acordo com ele, quatro grandes painéis retirados recentemente causaram danos financeiros às empresas, nos seguintes locais: rotatória Folha 15, entrada da Velha Marabá, em frente à antiga Câmara Municipal e em frente ao Posto do Bolinha, na Cidade Nova. “Enquanto isso, um grande painel com a propaganda de um supermercado acaba de ser instalado na Nova Marabá, em frente à entrada para Escola A Fazendinha”, lembra ele, estranhando que este tenha sido autorizado.

Retirada Painel

“Não queremos a retirada do painel, absolutamente, mas queremos trabalhar. Painéis publicitários movimentam a economia, são um ciclo: eu alugo para o cliente, ele vende mais, os funcionários ganham, as famílias, cerca de 300, ganham”, afirma, complementando: “Gera emprego e renda para a cidade, estamos dispostos a pagar os impostos, não é todo dia que se coloca uma placa, todos os espaços onde tem painéis foram cedidos pela PMM, temos autorizações de 2006, 2010. A retirada, de qualquer jeito, é prejuízo para todos”.

Outro empresário do setor, Miguel Souza, contou ao Blog que há cerca de 15 dias houve a reunião com o pessoal da Postura e eles alegam que a retirada dos painéis é ordem prefeito. “Dizem que as nossas placas não estão bonitas. Pois que nos dessem um prazo para que tirássemos as placas e as recolocássemos com outro visual, que alegre a cidade”, sugeriu ele.

“Nos chamaram, disseram que iam retirar as placas, mas não fixaram prazo, dois dias depois estavam derrubando tudo, sem que soubéssemos como foi feito e para onde foram levados nossos painéis”, lamentou ele.

Além de Saimon Vieira e Miguel Souza, estiveram na Câmara os empresários Flávio de Souza, Everton Vieira, Higson Veloso e Daniel Brito. Pelo fato de hoje os vereadores terem um compromisso agendado na 23ª Brigada de Infantaria de Selva, os empresários não conseguiram se reunir com eles, mas as assessorias se comprometeram em agendar uma reunião o mais breve possível.

Outro lado

Ouvida pelo Blog, por meio da Assessoria de Comunicação, a Coordenação de Postura da Prefeitura de Marabá informa que a publicidade de outdoors e de placas em áreas públicas da cidade estão funcionando há mais de 10 anos de forma irregular e sem manutenção dos suportes. “Além disso, a retirada desses materiais cumpre a recomendação do Ministério Público, sob a alegação de poluição visual”.

A Postura esclarece ainda que está proibida qualquer tipo de publicidade nos canteiros centrais das avenidas ou em qualquer outra área pública da cidade. “Da mesma forma, ressalta que a Prefeitura não tem interesse em negociar os espaços para esses fins”.

“Em relação ao outdoor da empresa citada (Supermercado Líder), a Postura informa que a publicidade está embargada e a retirada está sendo providenciada. Por outro lado, a Postura explica também, que todo o material retirado das ruas está apreendido na Secretaria de Obras, até que os proprietários procurem o órgão para devolução dos mesmos”, encerra a nota.