Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Pará

Inscrições para 6ª Mostra Universitária da Canção Paraense vão até 16 de outubro

Evento de música aceita músicos de Marabá, Santana do Araguaia, São Félix do Xingu, Xinguara e Rondon do Pará
Continua depois da publicidade

A Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) prorrogou o prazo de inscrições para a 6ª Mostra Universitária da Canção Paraense (Mucanpa). As inscrições poderão ser feitas pelo seguinte e-mail: mucanpa@unifesspa.edu.br até 16 de outubro, nas seguintes modalidades: número musical autoral solo, dueto, trio ou banda; exposição de trabalhos em artes visuais (desenho, fotografia, pintura, gravura, escultura e instalação); exibição de produção de audiovisual em curta metragem; e performance de dança, teatro ou poesia.

A mostra é conduzida por meio da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis (Proex) da Unifesspa será realizada nos meses de novembro e dezembro de 2018, nos municípios de Santana do Araguaia, São Félix do Xingu, Xinguara, Rondon do Pará e Marabá.

Podem se inscrever estudantes de graduação e pós-graduação, professores e técnicos-administrativos da Unifesspa, além de pessoas da comunidade externa, que sejam maiores de 18 anos, interessadas em se apresentar na Mostra.

Além dos selecionados para a Mucanpa, a programação terá show musical com banda/artista convidado(a) pela Proex; oficinas em temáticas do audiovisual e musical; e rodas de conversa sobre ativismo musical e político.

A Mostra Universitária da Canção Paraense (Mucanpa) é uma ação cultural de natureza extensionista, composta por oficinas, exposições e shows musicais. De caráter multicampi, realizada nos municípios em que a Unifesspa tem campus instalado, evidencia as produções de músicos e artistas locais e regionais e contribui para o fortalecimento da cultura regional e a consolidação da música como estratégia pedagógica de ensino-aprendizagem e integração cultural nos mais variados espaços.

Serviço:

VI Mostra Universitária da Canção Paraense (Mucanpa 2018)

Realização: novembro a dezembro de 2018

Locais: Santana do Araguaia, São Félix do Xingu, Xinguara, Rondon do Pará e Marabá.

Período de inscrição: 5 de setembro a 16 de outubro, pelo e-mail: mucanpa@unifesspa.edu.br

Confira o Regulamento de Inscrição e acesse a ficha de inscrição no site da Proex – www.proex.unifesspa.edu.br

Mais informações também podem ser obtidas pelo telefone: (94) 2101–7193.

Pará

Unifesspa lança edital de seleção para o Mestrado Nacional em Física

Há dez vagas disponíveis e inscrições podem ser feitas até o dia 24 deste mês
Continua depois da publicidade

A Coordenação do Programa de Pós-graduação em Física da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) lança o edital de seleção (MNPEF – SBF Nº 01/2018) para o processo seletivo de ingresso no curso de Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física.

Serão ofertadas dez vagas para o polo/Unifesspa. As inscrições para o processo seletivo serão realizadas on-line, no período de 27 de setembro a 24 de outubro, no endereço eletrônico http://www1.fisica.org.br/mnpef/.

O Programa Nacional de Mestrado Profissional em Ensino de Física (MNPEF) é um programa nacional de pós-graduação de caráter profissional, voltado a professores de ensino médio e fundamental com ênfase principal em aspectos de conteúdos na Área de Física. É uma iniciativa da Sociedade Brasileira de Física (SBF) com o objetivo de coordenar diferentes capacidades apresentadas por diversas Instituições de Ensino Superior (IES) distribuídas em todas as regiões do País.

O objetivo é capacitar em nível de mestrado uma fração muito grande de professores da educação básica quanto ao domínio de conteúdos de Física e de técnicas atuais de ensino para aplicação em sala de aula como, por exemplo, estratégias que utilizam recursos de mídia eletrônica, tecnológicos e/ou computacionais para motivação, informação, experimentação e demonstrações de diferentes fenômenos físicos.

Mais informações podem ser obtidas através da Faculdade de Física (Fafis/Unifesspa) pelo telefone: (94) 2101-5956.

Marabá

MP age para controlar uso de agrotóxico em Marabá e mais 2 municípios

Projeto ‘Plantando um Futuro Saudável” é lançado na Escola Família Agrícola e visa se estender aos agricultores da região
Continua depois da publicidade

Inibir o uso indiscriminado de agrotóxico nos municípios de Marabá, Nova Ipixuna e Bom Jesus do Tocantins e promover a conscientização do consumo e do cultivo de produtos orgânicos e agroecológicos, estimulando uma cadeia de produção saudável. Esse é o objetivo do projeto ‘Plantando um Futuro Saudável”, lançado em setembro na Escola Familiar Agrícola (EFA), em Marabá. O projeto será desenvolvido nos municípios de Marabá, Nova Ipixuna e Bom Jesus do Tocantins e foi criado pelas promotorias de Justiça de Marabá, mais especificamente pelas promotoras de Justiça Josélia Leontina de Barros Lopes, Aline Tavares Moreira e Mayanna Silva de Souza Queiroz, com apoio do servidor Antônio dos Santos Motta.

O ‘Plantando um Futuro saudável” visa a garantir a fiscalização em relação ao uso indiscriminado de agrotóxicos, conscientizando agricultores e consumidores para a existência de informações importantes sobre como lidar com o problema do excesso no uso destes produtos, que fazem tanto mal à saúde humana, à saúde animal e ao meio-ambiente, de um modo geral. No último dia 26 ocorreu a abertura oficial do projeto no município de Nova Ipixuna, com a entrega de uma cartilha explicativa. No dia 28, foi a vez do projeto ser apresentado no município de Bom Jesus do Tocantins.

Segundo a  promotora do Meio Ambiente de Marabá, Josélia Leontina Lopes, o projeto foi criado devido à necessidade de divulgação dos perigos relativos ao uso indiscriminado de agrotóxicos pelos produtores, bem como do desconhecimento dos resultados da manipulação de tais produtos, além do objetivo de valorizar cada vez mais o cultivo de orgânicos (produtos livres de agrotóxicos).

O desenvolvimento da iniciativa ocorre entre os meses de outubro deste ano a dezembro de 2019. O acompanhamento e avaliação das atividades do projeto serão feitos por meio de reuniões mensais no Ministério Público. Uma avaliação de meio termo das ações ocorrerá em julho de 2019, com a sugestão de averiguar, in loco, com os agricultores, os resultados e verificar o nível de aceitação. A avaliação final está prevista para janeiro de 2020, quando será feita uma análise da possibilidade de tornar o projeto uma atividade de duração continuada, caso os resultados sejam exitosos.

Dentre os objetivos do projeto está a capacitação de produtores no aprendizado de cultivo de produtos orgânicos, mostrando a valorização de tais produtos, que será feita em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater), Secretaria Municipal de Agricultura (Seagri), Serviço nacional de Aprendizagem Rural (Senar); a criação de uma cartilha regulamentar para que os agricultores possam seguir as orientações de especialistas das também instituições parceiras como a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), Secretaria Municipal de Agricultura (Seagri); Emater; a capacitação dos técnicos sobre o uso dos defensivos naturais e adubação verde; Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comam); Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural e Sustentável de Marabá (CMDRS), Seagri e Embrapa.

Jacundá

Em Jacundá, Semed promove 1ª Mostra Cientifica Escolar

Objetivo foi despertar nos alunos o interesse pela atividade científica além de outras habilidades intelectuais
Continua depois da publicidade

Centenas de alunos da rede municipal de Educação participaram da 1ª Mostra Cientifica das escolas municipais de Jacundá. A Feira de Ciências aconteceu na sexta-feira, 28, no Ginásio Poliesportivo Padre Humberto Railland, com o tema: Tecnologia, Sustentabilidade e Inclusão Social. Organizado pela secretaria de Educação, com apoio da Prefeitura Municipal de Jacundá e Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa).

Despertar nos alunos o interesse pela atividade científica e desenvolver o espírito científico, o pensamento lógico e o senso experimental dos alunos, fazendo com que eles possam trabalhar a criatividade e a capacidade inventiva e investigadora, executando projetos científicos, auxiliando, assim, na construção do conhecimento. Esse foi objetivo do evento que reuniu pais, alunos e professores e público durante a tarde de sexta-feira.

A secretária de Educação, Leila Barbosa, disse que os jovens estudantes foram incentivados a pensar em propostas que ajudassem a comunidade e ainda fossem pioneiras na utilização de recursos de tecnologia. “O resultado são trabalhos nas áreas de meio ambiente, ciências exatas, biológicas e humanas, além de outros”.

A programação contou com apresentações de experimentos desenvolvidos com diversos materiais, pondo em prática os conhecimentos adquiridos pelos alunos em sala de aula, e no laboratório.

“A escola é um espaço que nos estimula a criar e fazer a diferença. Os trabalhos científicos produzidos por nós mostram que estamos no caminho certo ao associar novas ferramentas de aprendizagem ao projeto de vida dos jovens”, diz a aluna Franciely Lourenço.

Entre os trabalhos apresentados ao público está o da escola Raimundo Ribeiro de Souza, por exemplo, que apresentou temas nas áreas de Leitura e Escrita, amostragem de Química e Física e sustentabilidade. Enquanto “As Plantas Medicinais: Cultura E Ciência” coube a escola Rosália Correia.

“Transformando Materiais Recicláveis em Brinquedos, Materiais de Decoração e Utilidades” abraçou a escola do Centro Comunitário. A escola Ester Andrade teve inspiração nas sobras de alimentos e levou à feira de ciência o “Reaproveitamento dos Alimentos: Um Caminho Saudável para a Sustentabilidade”.

Jacundá

Desafios do administrador público foi tema de seminário em Jacundá

Com quase 200 inscritos, o público do seminário foi composto por acadêmicos da rede pública e privada, empresários, professores, advogados, funcionários da rede municipal e autoridades locais
Continua depois da publicidade

O 1º Seminário Interdisciplinar de Administração Pública de Jacundá teve como tema: “Os desafios do administrador público do exercício de sua função”. O evento foi realizado no espaço da quadra poliesportiva da Escola Rosália Correia, como atividade multidisciplinar dos acadêmicos de administração pública EAD UFPA, no sábado, 22.

Entre as propostas do evento o seminário teve como principal objetivo dialogar acerca da atuação dos gestores públicos, ao que tange à conduta profissional do administrador, ao conhecimento da macroeconomia e o uso da matemática para o bom desempenho da função do administrador público, bem como arrecadar recursos para o investimento do Polo da UAB – Universidade Aberta do Brasil.

Com quase 200 inscritos, o público do seminário foi composto por acadêmicos da rede pública e privada, empresários locais e das cidades circunvizinhas, professores, advogados, funcionários da rede municipal e autoridades locais.

Representando a Universidade Aberta do Brasil participou do evento a coordenadora do Polo, Eliana Cossioli Silva, e representando a Universidade Federal do Pará, Joandra Oliveira Santos, tutora presencial dos acadêmicos de administração pública de Jacundá.

Hugo Leonardo Abas Frazão, atualmente Juiz Federal – vinculado ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região atuando no município de Tucuruí – PA, palestrou o tema: A conduta profissional do Administrador Público perante a sociedade (marketing pessoal e ética); Vanildo Pereira da Cruz, professor da rede estadual e municipal de ensino, licenciado em Matemática, abordou “Como os conhecimentos da Matemática poderão auxiliar o Administrador Público, na realização do seu trabalho?”; e Evaldo Gomes Júnior, economista e professor do IEDAR / UNIFESSPA, discorreu sobre “Qual o papel do conhecimento da macroeconomia da atuação do Gestor Público Municipal?”

Marabá

Projeto premiado pelo Unicef gera esperança em Marabá

Jovens tornam-se protagonistas de seu futuro e servem de espelho para colegas de uma comunidade marginalizada
Continua depois da publicidade

O projeto ecocultural e socioeducativo enraizado na comunidade Cabelo Seco, em Marabá, entra na preparação final de sua coordenação juvenil para o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), e também rumo ao segundo Fórum Bem Viver, que acontecerá em Moeda, Minas Gerais, no período de 15 a 18 de novembro próximo. E os coordenadores convidam a comunidade e a cidade inscrever-se nos cursos de Dança, Percussão e Violão, que continuam até o VII Festival de Beleza Amazônica, em dezembro.

Dan Baron e Manoela Souza, coordenadores do projeto, acabam de retornar de Florianópolis, Santa Catarina, e participam de grupos de estudo de matemática e português com os colaboradores voluntários Ariel Barros, do Movimento dos Atingidos pela Mineração, e Rayssa Mascarenhas, estudante da Unifesspa. “Este ano, a coordenação juvenil faz a gestão de sua preparação acadêmica. “Mas percebemos o quanto a persistência leva para aprender a estudar, não colar, e resgatar uma inteligência flexível. Pela primeira vez, com apoio solidário de Ariel e Rayssa, nossos artistas estão descobrindo como analisar sua própria língua e afinar sua inteligência”, ressalta Manoela Souza.

Na semana passada, Rios de Encontro foi contemplado como um dos 100 semi-finalistas – entre 3.500 candidatos – do Prêmio Itaú-Unicef, pelo seu projeto Gira-Sol: gestão de energias vitais.

Manoela Souza reconhece o avanço dos jovens artistas, cujos micro-projetos de dança AfroMundi, Biblioteca Folhas da Vida, tambores AfroRaiz, Rabetas Vídeos e BiciRádio Solar compõem Gira-Sol. “Mas reconhecemos, também, um aumento trágico de pobreza e violência na cidade. Há muitas crianças passando fome e tantos jovens pressionados a  traficar seu corpo e seu futuro. Acreditamos na educação e em projetos sociais, como caminhos de transformação social sustentável, não no aumento de armas na rua, escola e casa”.

Nesta semana, Rios de Encontro foi convidado, entre 04 projetos no mundo, para orientar as Nações Unidas sobre sustentabilidade, enraizada em comunidades organizadas. “Nosso projeto ‘Salus: Corpo feminino como território de luta pelo bem viver’ (que recebe apoio do Fundo Elas/Instituto Avon), junto com energia solar e auto-confiança cultural, chamou atenção das Nações Unidas. Perceberam nossa integração de curas para as sequelas de múltiplas violências que o Pará vem sofrendo, cuidado com direitos humanos, resgate e reinvenção das raízes tradicionais, e proteção da Amazônia. Todas estas dimensões no indivíduo definem sua energia vital, e a energia de sua comunidade e cidadania. Mudas entregues de casa em casa tocam a comunidade, desenvolvem consciência ambiental em toda geração, valorizam saberes familiares e cultivam uma ecologia que cuida do bem viver hoje e amanhã”, diz Dan Barons.

Artigos e capítulos foram publicados em revistas internacionais e livros acadêmicos nos meses de verão. “Preparamos juntos nosso calendário artístico-pedagógico e debatemos tudo escrito. Agora, temos uma bolsa de estudo para nos ajudar a escrever, não somente redações no ENEM, mas relatórios e projetos, como base para advogar o bem viver como projeto alternativo à violência e destruição da esperança”, sintetiza Elisa Neves, coordenadora do projeto Salus.

Canaã dos Carajás

IFPA deve iniciar atividades em Canaã dos Carajás já no início de outubro

Nesta primeira etapa, 40 vagas serão ofertadas para a pós-graduação em docência. O polo que será instalado em Canaã vai atender a demanda por educação profissional e tecnológica.
Continua depois da publicidade

A cerimônia de assinatura do convênio, firmado entre a prefeitura e o Instituto Federal do Pará (IFPA), aconteceu na manhã desta quinta-feira (20), na própria sede da instituição, localizada no município de Parauapebas. O sonho de cursar a pós-graduação em docência está mais próximo do que nunca de se tornar realidade para os moradores de Canaã dos Carajás, uma vez que o documento representa um acordo de cooperação técnica. As aulas estão previstas para iniciar já no início do mês de outubro e, segundo Rubens Rodrigues, diretor do Instituto em Parauapebas, em princípio serão ofertadas 40 vagas.

Para 2019, os cursos serão disponibilizados de acordo o perfil da região. “Nesse primeiro momento, vamos ofertar essas vagas para a pós-graduação. No ano que vem, vamos levar cursos de acordo com o perfil da região, mecânica, automação, os mesmos que são oferecidos aqui em Parauapebas”.

Otimista, o prefeito Jeová Andrade adiantou que, além do IFPA, também já está fazendo investidas para a instalação de outras instituições de ensino superior no município. “Essa é a porta de entrada para o nosso tão sonhado Polo Universitário. Eu acredito que, através dessa parceria, teremos muitos frutos e, em breve, vamos ter ainda mais instituições na cidade. Vale lembrar que já estamos adiantados em relação à ida da Unifesspa para Canaã. Ou seja, nós estamos trabalhando para suprir a demanda por educação superior no município. Queremos ser referência. Nossa cidade é muito bem localizada, visto que em um raio de 100 quilômetros temos várias cidades importantes. Poderemos atender não só os cidadãos de Canaã, como o de várias outras cidades”, destacou.

Também presente, o secretário municipal de educação, Edilson Valadares, falou que o objetivo é levar o ensino superior até os canaenses. “Esse é o primeiro passo. Nós temos hoje mais de 500 alunos que vêm de Canaã por meio de transporte oferecido pela prefeitura e o nosso objetivo é levar o curso até os estudantes e não o contrário. Então, esse é um começo e já teremos, muito em breve, alunos atendidos pelo IFPA. Isso é fundamental para todos nós.”

Canaã dos Carajás

Canaã inicia entendimentos para sediar polo da Unifesspa

O pró-reitor de Administração da universidade e equipe estiveram na cidade na quarta-feira, quando se reuniram com a administração municipal
Continua depois da publicidade

Nesta quarta-feira (12), o pró-reitor de Administração da Unifesspa (Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará), Hugo Kuribayashi, e comitiva estiveram no gabinete do prefeito Jeová Andrade, onde se reuniram com o gestor municipal e parte da equipe de governo. O assunto do encontro foi a possibilidade de implantação de um polo da instituição em Canaã dos Carajás. Os educadores debateram com o governo a viabilidade da inserção da unidade e a demanda que a região possui para cursos oferecidos pela universidade.

 “A entidade tem total interesse em verificar e planejar a implantação de um polo universitário e, quem sabe, no futuro, até um campus em função da necessidade de desenvolvimento do sudeste do Pará. Sabemos que esta região ainda é muito carente de ensino superior e, por conta disso, é importante que se analisem as possibilidades de ampliar a atuação da universidade para mais cidades. Esperamos ter bons resultados e implantar, em breve, cursos aqui em Canaã, disse Hugo.

Segundo levantamento recente, atualmente, cerca de 500 acadêmicos canaenses precisam se deslocar para outros municípios, como Parauapebas, para cursar uma faculdade. Edilson Valadares, secretário municipal de Educação falou sobre os investimentos em nível superior na cidade. “Este é o primeiro passo para que a gente tenha essa oferta de cursos para os moradores de Canaã. Já foi dito que há o interesse da implantação do polo aqui e a cidade só tem a ganhar. Canaã e região possuem uma demanda de cerca de 70 mil alunos, segundo um levantamento feito recentemente. Só em Parauapebas, são mais de 500 alunos daqui cursando ensino superior. É fundamental que haja investimento em cursos superiores”, destacou. Logo após a reunião, equipe e representantes conheceram as instalações do Polo Universitário.