Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Marabá

Sessão Especial na Câmara encerra o Novembro Azul em Marabá

A campanha encerrou hoje, mas, todos os meses e todos os dias são meses e dias de prevenção contra o câncer da próstata, conforme observou a diretora de Média e Alta Complexidade de Marabá, Dármina Duarte

Aconteceu na Câmara Municipal de Marabá, na manhã desta sexta-feira (30), Sessão Especial em comemoração ao Novembro Azul. O ato encerrou a campanha de conscientização, coordenada pela Secretaria Municipal de Saúde, em relação à importância da prevenção contra o câncer da próstata. A proposição foi do vereador Nonato Dourado (MDB), que presidiu a sessão e disse se sentir privilegiado e gratificado por estar participando ativamente de momento tão importante.

Primeiro a discursar, o vereador Miguel Gomes Filho (PP) agradeceu a todos os servidores da área da Saúde responsáveis pela campanha e por cuidarem, no dia a dia, da saúde do homem no município: “Tanta gente que vocês já salvaram pro causa do Novembro Azul. Em nome do povo de Marabá, muito obrigado a vocês, por esse trabalho maravilhoso”.

Miguel também prestou homenagem ao ex-vereador Guido Mutran Júnior, falecido em julho último, que iniciou o movimento Novembro Azul na Câmara Municipal de Marabá. Na galeria de honra, como convidados especiais, estavam a viúva do vereador, Míriam Medeiros Mutran, e o filho dele, João Pedro Mutran.

A enfermeira Dármina Duarte Leão Santos, diretora de Média e Alta Complexidade da Secretaria de Saúde de Marabá, destacou que o Novembro Azul é só um momento de intensificação da campanha, mas que todos os meses e todos os dias do ano são dias de prevenção.

Ao Blog, a psicóloga Laslene Sousa Leão, coordenadora da Saúde do Homem em Marabá, destacou como positivo o fato de que, a cada ano, a conscientização entre os homens quanto à necessidade de prevenção, venha aumentando. “Neste ano, nos 30 dias da campanha, 2.038 homens realizaram o exame de PSA, contra 438 na Campanha de 2017”, comparou ela.

Laslene credita o aumento da procura pelo exame, em quase cinco vezes mais, ao medo que as pessoas têm do câncer, o que levou 2.145 homens a participarem ativamente de palestras e consultas médicas. “Na Unidade de Saúde Maria Bico Doce [Bairro São Félix], 200 homens compareceram no Dia D realizado lá; e, na Vila Sororó, 190 homens estiveram presentes”, exemplificou a psicóloga.

Desses mais de 2 mil exames, apenas dois apresentaram resultados positivos e ambos os casos já foram encaminhados para tratamento com o urologista. Laslene Leão conta que junto com o exame de PSA é feito também o teste rápido para HIV/Aids e lamenta que entre os homens que se submeteram ao exame, tenham sido detectados casos HIV e sífilis, esta com 807 resultados positivos.

Indagada sobre esse número assustador de sífilis, DST (doença sexualmente transmissível) que em 2017, segundo o Ministério da Saúde, esteve controlada, a coordenadora da Saúde do Homem disse que Marabá hoje vive uma epidemia da doença e observou que isso se deve “à falta de planejamento e responsabilidade dos parceiros, ao não uso da camisinha e à falta de fidelidade entre os casais”.

“Temos muitas palestras voltadas a esse tema, à importância de os homens se prevenirem, se cuidarem. Dizem que ‘macho que é macho é aquele que pega todas’, mas macho que é macho é aquele que se cuida, que se previne para ter longevidade. Muitos homens têm perdido a vida por causa de preconceitos. Mas o interesse pelo exame tem aumentado e eu acredito que em 2019 teremos relatórios ainda melhores do que os deste ano”, prevê Laslene Leão, otimista.

Para a diretora de Média e Alta Complexidade da Saúde municipal, Dármina Duarte, é muito importante que a Câmara Municipal encabece campanhas como o Novembro Azul. “Termos o Legislativo a nosso favor e a favor da população na prevenção é muito importante. Eles [os vereadores] são formadores de opinião e o público masculino sempre é muito difícil de ser trabalhado, tem certa resistência. Só vão tratar quando há algo mais concreto. As campanhas, porém, têm mudado isso. Fizemos muitas palestras, inclusive em empresas e, do ano passado para cá, tivemos adesão significativa”, salientou ela.

Participaram ainda da Sessão Especial, com palestras voltadas sobre o tema ou como convidados, Carlos Alexandre Carvalho, coordenador da Saúde do Homem da Sespa (Secretaria de Estado de Saúde Pública); Geraldo Barroso, diretor da 11ª Regional da Sespa; Cisalpina Cantão, coordenadora de Hepatites Virais da Sespa; Erenilde Barroso, coordenadora da Saúde do Homem, da 11ª Regional; Jefferson Santos Araújo, do Curso Saúde Coletiva, Unifesspa; Aline Coutinho Cavalcante, professora do Curso de Saúde Coletiva da Unifesspa; Edilson Pereira da Silva, coordenador-adjunto da Sespa; Otávio Paiva, representando Camila Lopes Chagas, coordenadora de Atenção Básica de Marabá; Lucí Azevedo, diretora técnica da Sespa; e Marcos Jovã Santos da Silva, diretor técnico do Hospital Municipal de Marabá.

Por Eleuterio Gomes – Correspondente em Marabá 
redenção

Hospital de Amor realiza palestra para prevenção do câncer de próstata

O evento foi realizado no plenário da Câmara Municipal e alertou para a importância do exame preventivo

Aconteceu na noite de ontem, terça-feira (20), palestra voltada ao Novembro Azul, no plenário da Câmara Municipal de Redenção. O auditório ficou repleto de pessoas como mototaxistas, taxistas e condutores de vans, que assistiram palestra com o Urologista Marcelo Vidigal. Ele falou da importância do exame de próstata.

“Novembro Azul é uma data escolhida pelo Brasil, um momento de tentar lembrar toda a população da importância da prevenção do exame de próstata tendo em vista que o câncer de próstata é uma doença cujos índices vêm aumentando. Isso é bastante preocupante e até hoje o que nós temos de maior arma contra a doença é a prevenção. Então, de fato, temos de prevenir”, alertou, lembrando que o câncer é uma doença que não apresenta dor e ou sinais.

O evento partiu da iniciativa do Hospital de Amor, cujo coordenador voluntário Nilton Cezar falou sobre o evento: “A palestra é uma iniciativa do Hospital de Amor de Barretos, decidimos começar com as classes de mototaxistas, taxistas e vanzeiros, são eles dos transportes alternativos. Queremos estender a importância da prevenção a toda sociedade, iremos realizar nos próximos dias com o público das igrejas, depois nas faculdades, escolas e empresas, queremos atingir a sociedade como todo”.

Lindomar Teles Braquinho, um dos que assistiu à explanação, disse à Reportagem do Blog que a palestra foi de grande importância e afirmou que, a partir desta semana, vai procurar o médico para fazer a prevenção.

“Gostaria de ressaltar que a palestra ministrada foi de grande importância para nós, que sabíamos pouco a respeito do câncer da próstata, sairemos daqui bem esclarecido. Eu, por exemplo, vou sair daqui e vou procurar um médico, pois já tenho 47 anos e nunca fiz prevenção”, salientou ele.
Ainda de acordo o palestrante Marcelo Vidigal, somente no Hospital Regional de Redenção são realizadas de duas a três biopsias por semana e, em Conceição do Araguaia, de uma a três semanalmente.
De acordo com o urologista Fernando Casadini, a próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino que pesa cerca de 20 gramas e se assemelha a castanha, ela se localiza embaixo da bexiga. Segundo o levantamento do Inca, em 2018 serão diagnosticados mais 68 mil novos casos de câncer de próstata.

Saúde

Artigo: Quando o medo masculino está apenas em um toque.

O novembro azul pode ser um bom período para falarmos da detecção precoce do câncer de próstata, e é. No entanto, precisamos conversar também sobre o que é ser homem.

Por Wagner Dias Caldeira ( *)

Gabriel Garcia Marquez, em uma de suas principais obras, O Amor nos Tempos do Cólera, faz Fermina Daza, a bela e delicada senhora que protagoniza o romance, lembrar de um fato de sua noite de núpcias com o Dr. Juvenal Urbino. Ele foi o primeiro homem que ela ouvira urinar e som daquele “manancial de cavalo tão potente e investido de tanta autoridade” a fizera temer os estragos vindouros.

Assim como na literatura, na vida que vivemos fora dos livros a masculinidade sempre esteve ligada a expressões de força, potência e autoridade, enquanto que à mulher e à feminilidade foram deixadas a submissão e a passividade. Não nascemos com esses lugares biologicamente reservados, eles são construídos socialmente e vêm mudando muito lentamente e a passos de bêbado.

Ambos, homens e mulheres, têm pago um preço alto pela manutenção dessa configuração social. Mulheres mais, é claro: enclausura no espaço doméstico, violências, exclusividade na criação dos filhos, dependências emocional e financeira.

Os homens, porém, passam por um momento de indisfarçável ameaça aos esteios da masculinidade. Um dos principais perigos nasce e cresce dentro do próprio corpo do homem. O de próstata é o segundo câncer que mais afeta a saúde dos homens – perde apena para os tumores de pele não melanoma. Mas porque esse câncer além de afetar a saúde ameaça junto a masculinidade?

As piadas com o toque retal parecem não ter fim quanto a número e criatividade. Pelo riso a angústia se ameniza, mas o exame de toque continua sendo o meio mais eficaz de detecção do enrijecimento da próstata, a ponto de que 10% dos casos só são diagnosticados no contato da ponta dos dedos com o órgão.

 Os homens falam pouco quanto aos medos que os afligem enquanto os 50 anos de idade vão se avizinhando, mas o extenso anedotário gira todo em torno da perda da masculinidade. Todos nós homens racionalmente sabemos que um simples exame não deveria mudar o que somos, mas parece que a condição de passividade e recepção incomoda por estar identificada com o papel sexual feminino das mulheres e dos homens homossexuais – que na fantasia do hétero é apenas o passivo.

A evolução do tumor faz com que os pilares da masculinidade dominante se esfumacem: o exame, as dores e a fraqueza que impedem o trabalho pesado, a disfunção erétil e até mesmo as alterações no fluxo urinário que aos poucos deixa de ser o “manancial de cavalo” capaz de encher uma garrafa com a precisão de um sniper e passam a assemelhar-se mais um riacho com destino incerto.

O novembro azul pode ser um bom período para falarmos da detecção precoce do câncer de próstata, e é. No entanto, precisamos conversar também sobre o que é ser homem. Pensarmos que não há só um modo de sê-lo. Tornar a masculinidade um substantivo plural. Masculinidades. O que esperamos dos novos homens é que tenham apenas algo em comum: que reconheçam seus medos e passem a cuidar mais de si.

Wagner-Dias-Caldeira.jpg

( * ) – Wagner Dias Caldeira é psicólogo. Atualmente responde pela coordenação municipal de saúde mental e é Referência Técnica em Saúde Mental do 11º Centro Regional de Saúde/SESPA.

saúde

Câncer de próstata: lançada em Marabá a Campanha Novembro Azul

Campanha segue por todo o mês em todas as Unidades Básicas de Saúde, empresas, shopping e zona rural
Por Eleutério Gomes – de Marabá

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) lançou na manhã desta segunda-feira (6), no plenário menor da Câmara Municipal de Marabá, a Campanha Novembro Azul, que visa estimular os homens a se submeterem a exame a fim de prevenir o câncer de próstata. A doença, se diagnosticada na sua fase iniciam, tem chance de cura em nove entre 10 casos. Mas, diagnosticado tardiamente, pode ter metástase a outros órgãos, sobretudo os ossos, e levar o portador à morte.

Participaram do evento a coordenadora da Saúde do Homem, Kelly Cortez; a coordenadora de Atenção Básica, Camila Lopes; a coordenadora de Média e Alta Complexidade, Dármina Duarte e o secretário de Saúde, Marcone Nunes Leite.

Novembro_Azul (5)

Todos os discursos alertaram para a prevenção e quanto ao tabu em relação ao exame de toque retal, ao qual a grande maioria dos homens é resistente. Porém na opinião da vereadora Cristina Mutran (PMDB), que é médica e participou da solenidade, isso “não mexe com a masculinidade” de ninguém, além de ser muito rápido, com duração entre três e cinco segundos.

O vereador Alécio Stringari (PSB), também presente, deu o testemunho de quem já se submeteu ao toque há oito anos em Araguaína (TO) e disse que, de lá para cá, anualmente faz o exame de PSA (antígeno prostático específico), usado principalmente para pesquisar câncer de próstata em homens assintomáticos.

Kelly Cortez disse que a programação montada para este mês começa amanhã (7) das 7, às 17 horas no Centro de Saúde Pedro Cavalcante, na Cidade Nova, que, com o “corujão” que segue até as 22 horas, com atendimento aos homens. Esse atendimento se repete nas demais Unidades de Saúde durante este mês. A SMS também levará palestras a empresas e fará atendimento no Pátio Shopping, além da Zona Rural.

Ao final o enfermeiro Elton Aguiar proferiu palestra sobre o câncer de próstata, durante a qual afirmou que a OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda que sejam realizados simultaneamente o exame de toque e o PSA.

Ouvida pela Blog sobre os números do câncer de próstata em Marabá, a coordenadora de Média e Alta Complexidade da SMS, Dármina Duarte, disse que ainda não é possível dizer com exatidão porque, para fechar as estatísticas, alguns dados estão sendo resgatados.

“Mas, eu posso dizer que o número é bem alto, bem expressivo. Hoje, no Brasil e no mundo o câncer que mais mata é o de próstata em Marabá não é diferente. Ao final da campanha vamos poder dar os números mais expressivos”, disse ela, adiantando que todas as Unidades de Saúde do município vão ter o Dia “D” para a prevenção do câncer de próstata e, durante todo o mês, dando prioridade à saúde do homem.

Ela afirma que, em verdade, a campanha serve para dar um enfoque maior, mas o “trabalho tem deve ser contínuo para que daqui a um ano se possa ter um reflexo do que acontece atualmente”.

Participaram ainda da solenidade os vereadores Gilson Dias Cardoso (PCdoB), Pedro Correa Lima (PTB), presidente da Câmara Municipal, e Priscilla Veloso (PTB).

Novembro_Azul (4)