Parauapebas

Donos de motocicletas POP apavorados com o furto do “cérebro” da moto

Em Parauapebas, proprietários de motocicletas Honda POP 100 e POP 110 andam sobressaltados e não sabem o que fazer quando estacionam o veículo em local no qual não podem enxergá-lo. O motivo é o furto da peça chamada ECM, sigla, em inglês de Engine Control Module ou Módulo do Controle do Motor, em português. Esse componente é nada menos que o cérebro da moto. Ou seja, sem ele, nada funciona. Fica encaixado na lateral direita do veículo, de onde é fácil retirar sem esforço algum. Um ECM novo custa R$ 725,00 na concessionaria da Honda.

No mercado negro o preço varia de R$ 300,00 a R$ 500,00 ou de acordo com a necessidade do gatuno. O delegado Felipe Oliveira Freitas, da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas, no entanto, adverte: a pena para quem furta é de quatro anos de prisão; para quem compra o produto do furto pode chegar a oito anos de cadeia.

Felipe Freitas orienta a quem teve a peça roubada, que procure a delegacia para registrar Boletim de Ocorrência, fornecendo o máximo de detalhes que puder, como local, dia da semana, hora do roubo etc., para que a polícia possa traçar uma linha de investigação que leve aos criminosos.

No caso de alguém saber quem está roubando os ECM, a denúncia pode ser feita pelo Disque-Denúncia da Polícia Civil, cujo número é o 181. “O sigilo da identidade do denunciante é garantido”, ressalta o delegado.

Umas das vítimas de roubo de ECM é Lenivaldo Santos, que no último domingo foi visitar um amigo e deixou a moto na frente da casa e foi para o quintal. Horas mais tarde, ao retornar, não conseguiu fazer a motocicleta funcionar.

Na segunda-feira, ao levar o veículo para o trabalho e examinar mais atentamente, percebeu que o ECM havia sido furtado. “Agora está difícil, não posso, por enquanto comprar a peça. É o jeito andar a pé, levar minha filha para a escola, que é distante, a pé também”, resigna-se Lenivaldo.

O mecânico Nilson Souza Coelho conta que sua oficina tem sido bastante procurada por donos de motos que, temendo passar pela mesma situação, pedem que ele “esconda” o ECM em outra parte da moto. O serviço consiste em remover o componente do local em que vem de fábrica e encaixar em outra parte mais discreta da carenagem do veículo e sai entre R$ 30,00 e R$ 40,00.

O supervisor da concessionaria local da Honda, Gecivaldo Pereira de Souza, confirma que a peça é fundamental para o funcionamento da moto. Segundo ele, tem sido grande a procura do componente a ponto de esgotar o estoque e ter de pedir mais para a fábrica.

O que é ECM?

Engine Control Module (Módulo do Controle do Motor) é uma central eletrônica, o cérebro do sistema, recebe vários sinais de entrada provenientes dos sensores e interruptores com as condições instantâneas da motocicleta, processa as informações recebidas, faz diagnósticos, compensações e memoriza em seu histórico as panes presentes e passadas ocorridas no funcionamento da motocicleta.

Basicamente, o cérebro eletrônico é constituído de processadores, memórias e diversos circuitos onde são transformados os sinais análogos recebidos em sinais digitais, linguagem necessária para que o processador possa efetuar os controles do motor.

O processamento dos dados gera os parâmetros para as tomadas de decisões da central a fim de possibilitar o momento e o volume ideal da injeção de combustível, tempo da ignição e também gerar informações para o painel da motocicleta como: sinais de advertência pela luz de anomalia, rotação do motor, velocidade etc. Ou seja, sem o ECM, a moto não sai do lugar a não ser empurrada!

Por Eleuterio Gomes – de Marabá

Deixe seu comentário