Dependente troca a moto da mulher por crack e o negócio acaba em prisão de traficante

A dona do veículo não deixou barato, foi até a DP e denunciou o absurdo cometido pelo marido, que teve de ajudar a polícia a localizar e prender a traficante
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Aldiane Avelino Lopes, também conhecida como Loira, figura conhecida das polícias Civil e Militar, em Parauapebas, foi presa novamente na tarde de ontem, quarta-feira (14). O crime, o mesmo das outras vezes: tráfico de drogas. Ela foi flagrada em um supermercado da VS-10, com nada menos que 32 petecas de crack, prontas para a venda.

De acordo com o investigador Odorico Almeida, da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, tudo começou quando a mulher chamada Giseuda Mendes Freitas procurou a Delegacia de Polícia para registrar que o marido dela, Flávio Ferreira Alves, dependente químico, no desespero para alimentar o vício e sem dinheiro, penhorou a moto da mulher em um ponto de venda de drogas, em troca de crack.

Imediatamente, por orientação de delegado de plantão, uma diligência saiu em campo com Giseuda e o marido Flávio a fim de recuperar o veículo. O homem recebeu ordem dos policiais e ligou para Loira, dizendo que queria falar com ela, que informou estar um supermercado da VS-10.

Todos se dirigiram ao local, onde a traficante foi flagrada e presa, com a moto Honda Biz 125, cor prata, placa JWC-5582/Parauapebas (PA) e 32 petecas de crack. Loira, segundo o investigador Almeida, já foi presa várias vezes por tráfico, crimes contra o patrimônio, privado e até por um homicídio.

(Caetano Silva)