Delegado dá detalhes da morte do agente de trânsito em Parauapebas

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

O delegado Rodrigo Paggi, diretor da 20ª Seccional de Polícia Civil de Parauapebas informou há pouco detalhes sobre o assassinato do agente municipal de trânsito Geraldo Nunes.

Segundo relatou o delegado, o acusado Jorge Luiz da Conceição Santos, de 18 anos, trafegava pelas proximidades da FAP em uma moto com duas mulheres na garupa, sem capacete quando foi abordado pelo agente do DMTT que, inconteste, verificando que o mesmo não apresentou a CNH e os documentos da moto e que a mesma estaria sem placa e com o retrovisor quebrado, efetuou a apreensão da moto, colocando-a em um caminhão guincho contratado pelo Departamento de Trânsito para acompanhar a operação.

Segundo o delegado apurou, cerca de vinte minutos depois, quando o guincho se preparava para levar as motos apreendidas para o pátio do DMTT, o acusado chegou em uma camioneta S-10 acompanhado do pai, Luiz Carlos da Conceição, e usou por duas vezes o veículo para impedir a passagem do guincho, impedindo-o de seguir seu destino.

Nesse momento o acusado teria descido da camioneta e discutido com o agente de trânsito. Os dois entraram em luta corporal em cima do guincho e no chão. Inconformado, o acusado voltou à camioneta onde estava o pai e voltou com uma faca. Vendo que o acusado estava armado e temendo pela sua vida, o agente correu de imediato. Todavia, tropeçou em uma pedra e caiu ao chão. Aproveitando-se da queda, o acusado desferiu dois golpes de faca nas costas do agente, que , socorrido, veio a falecer ainda quando era levado ao Hospital.

Após atingir o agente, o acusado evadiu-se do local, assim como o pai.

Poucos minutos depois, informou o delegado Rodrigo Paggi, a Polícia Civil sabia os nomes dos criminosos e já empreendia buscas para capturá-los.

Luiz Carlos da Conceição, o pai do acusado, que é comerciante de frangos em Parauapebas, foi preso em casa poucos minutos após a confusão. Conduzido à Depol, vai responder como co-partícipe do crime, já que deu carona ao filho, fechou o veículo que levava a moto do acusado e teria fornecido a arma que matou o agente,

As Polícias Civil e Militar continuam as buscas para prender Jorge Luiz da Conceição Santos.

Relacionados