Deficiente físico de Tucuruí é calouro da UFPA em medicina

Durante os longos anos de estudos, ele sempre foi amparado pela família e pelos colegas de escola, mas sempre esteve focado em realizar seu sonho.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O estudante, portador de deficiência física, Gabriel de Abreu Souza, 20 anos de idade, é mais um calouro na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Pará. A história do rapaz ganhou as redes sociais após a divulgação da lista de aprovados. À Reportagem, ele se diz muito feliz pela conquista.

Com limitações da cintura para baixo, Gabriel Souza sempre estudou em escolas públicas de Tucuruí. “No início era muito difícil porque eu não tinha cadeira de rodas e, geralmente, a escola não oferecia acessibilidade”, lembra. Segundo ele, a partir do ensino médio, ao ganhar uma cadeira de rodas, condições de locomoção começaram a melhorar.

Gabriel cita que durante os longos anos de estudos sempre foi amparado pela família e colegas de escola. “Conquistar meu sonho era o foco principal”. Sobre a escolha do curso de medicina, o jovem estudante confessa que esse objetivo surgiu durante o vestibular. “Estou ansioso para iniciar esse curso no Campus da UFPA de Altamira”.

Foram dois anos intensos de estudos em cursinhos de pré-vestibular. “E, nesse último ano, sem as aulas presenciais, tive que recorrer à Internet, videoaulas, apostilas gratuitas e tudo que era possível para aperfeiçoar meu aprendizado”. Como filosofia de persistência o jovem Gabriel cita: “Quando a pessoa quer, a pessoa busca, é preciso determinação para alcançar a vitória. Minha limitação é um pequeno detalhe”. Ele finaliza com um agradecimento: “Agradeço em primeiro lugar a Deus e à minha família que me ajudou nessa longa jornada”.

Gabriel é filho de Rosângela Viveiro. A irmã Ângela Sara foi a primeira da família a ingressar numa faculdade pública. “Foram momentos difíceis e muitas lágrimas derramadas”, comemora Rosângela.

(Antonio Barroso)