DARCI E O QUIPROQUÓ DE MARTINHO DA VILA

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Há textos atemporais que parecem se adequar perfeitamente a determinadas situações ou momentos. É o caso da afeição, BREVE, entre o atual prefeito e a população de Parauapebas que com ele parece encerrar uma tênue relação: Leiam.
Quiproquó
Martinho da Vila
Composição: Rildo Hora – Affonso Romano de Sant’anna

Você
Chegou prometendo pra nós vida nova
Que havia mudado e podia dar prova
Você mentiu, você mentiu
E eu, eu fui na conversa fazendo de novo meus planos
Carente que estava depois de sofrer tantos anos
Acreditei, que injenuidade
Cheguei até a comprar, investir e pensar no futuro
Zombava de quem me olhava sorrindo seguro
Eu fui feliz, eu fui feliz
Porém
Agora que tudo acabou aprendi a lição
Você não me pega de novo na sua armação
Pois pra mim não dá mais não
Vou confessar
Sentimental
Que o nosso caso de amor, não passou
De um quiproquó nacional, que pintou
Já me cansei do seu blá, blá, blá, blá
Você precisa de ter mais vergolha na cara, ô cara
Você precisa de ter mais vergolha na cara, ô cara

Publicidade

Posts relacionados