Curionópolis – Curió se defende

Continua depois da publicidade

O ex-prefeito Sebatião Curió usa o espaço para se defender das denúncias apresentadas contra ele em 9 de janeiro.

“Quando deixei esta administração, no dia 17 de julho de 2008, a qual passei para o presidente da Câmara Municipal, cumprindo uma determinação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), aliás uma decisão monocrática do ministro Joaquim Barbosa, deixei toda a frota de veículos desfilados no pátio da prefeitura e todos em perfeitos funcionamentos, a prova é que o Cassiano assinou o recibo concordando com o estado de funcionamento dos mesmos.

Deixei o município em pleno funcionamento. A prefeitura toda informatizada, pagamento do funcionalismo em dias, R$ 496.000 (quatrocentos e noventa e seis mil reais) de convênios, para estradas vicinais e asfalto, o convênio da Saneatins de dois mi-lhões de reais, ficou também R$ 400.000 (quatrocentos mil reais) na conta convênio de 10 quilômetros de asfalto, mais R$ 200.000 (duzentos mil reais) na conta.

Também restaram outros convênios para serem liberados, incluindo uma praça de eventos, ginásio poliesportivo e o hospital de Serra Pelada.

Com relação ao INSS, eu recebi uma dívida muito grande dos dois governos anteriores, mas parcelei a dívida e paguei todas as parcelas. Não tenho nenhum débito com o Governo Federal, até mesmo por que não recebi nenhum convênio.

A única divida minha é com o comércio local, mas eu iria pagar até o final do meu governo, se deixassem eu concluir. A única prestação de contas que não fiz foi do primeiro quadrimestre de 2008. O motivo foi por que não deixaram os técnicos entrarem na Prefeitura, para fazerem a prestação de contas”. 

Sebastião Curió.