Conceição do Araguaia: HRCA realiza mais de 2 mil cirurgias ortopédicas em sete meses

O balanço é referente a janeiro e julho deste ano. Os procedimentos têm beneficiado pacientes de Conceição e de mais 14 municípios abrangidos pela região do Araguaia
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O Hospital Regional de Conceição do Araguaia (HRCA), no sul do Pará, atingiu a marca de 2.010 mil cirurgias ortopédicas realizadas entre janeiro e 22 de julho deste ano. O balanço foi divulgado, nesta segunda-feira (26), pelo hospital e corresponde aos procedimentos realizados em pacientes de Conceição e mais 14 municípios da região do Araguaia.

Segundo o hospital, esse dado é resultado da medida tomada pelo governo do estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Público (Sespa), de fazer com que a Unidade passasse a atender, em regime de porta aberta durante 24 horas, casos de baixa e média complexidade em traumatologia, sem necessidade de encaminhamento. “Os ajustes também fazem parte de uma estratégia para aumentar a oferta de atendimento por demanda espontânea em traumatologia em todas as regiões do estado”, ressalta o secretário de Saúde do Pará, Rômulo Rodovalho.

O HRCA tem gestão direta da Sespa e atende usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) residentes em Conceição de Araguaia e em municípios vizinhos, como Água Azul do Norte, Bannach, Cumaru do Norte, Floresta do Araguaia, Ourilândia do Norte, Pau D’Arco, Rio Maria, Santa Maria das Barreiras, Santana do Araguaia, São Félix do Xingu, Sapucaia, Tucumã e Xinguara. “As pessoas que residem nesses municípios podem recorrer ao hospital, durante 24 horas por dia, em casos de urgência e emergência em traumatologia”, explica Rômulo Rodovalho.

Ele acrescenta que, com a melhora dos índices da Covid-19 no estado, a Sespa retomou projetos importantes e um deles é continuar implementando portas abertas na especialidade ortopedia por todo o Pará. De acordo com a diretora do HRCA, o serviço conta com o apoio de duas equipes ortopédicas. “Se os pacientes forem casos de alta complexidade, serão encaminhados para o Hospital Regional de Redenção, também da Sespa”, informa a diretora.

Tina DeBord- com dados da Sespa

Foto: Divulgação