Capoeiristas e Iphan lançam Plano da Salvaguarda da Capoeira no Pará

As ações previstas devem ser executadas até o ano de 2029.

Continua depois da publicidade

Garantir a implementação do ensino da Capoeira no currículo das escolas públicas e privadas paraenses é uma das 31 ações previstas no Plano de Salvaguarda da Capoeira do Pará, que será lançado na próxima quarta-feira, 30, a partir das 18h30, no teatro Estação Gasômetro, em Belém (PA).

Elaborado pelo Comitê da Salvaguarda da Capoeira do Pará e pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o plano é um instrumento de planejamento de políticas públicas e projetos de apoio e fomento para a Capoeira. As ações previstas devem ser executadas até o ano de 2029.

Durante o lançamento, que contará com a presença de representantes de órgãos públicos e entidades representativas dos detentores, será realizada a apresentação do plano, seguida de debate sobre a salvaguarda e o processo de elaboração do documento.

Entre os anos de 2015 e 2018, o Iphan promoveu seis encontros regionais de salvaguarda da Capoeira no Pará. Envolvendo 65 municípios e mais de 200 representantes de grupos, os eventos resultaram na construção do Plano de Salvaguarda e formação do Comitê Gestor da Salvaguarda da Capoeira do Pará.

“Espera-se que haja um envolvimento de outros órgãos e instituições na execução desse Plano que, se realmente efetivado, promoverá transformações significativas nas condições da prática da capoeira”, avalia o técnico em Antropologia do Iphan-PA, Cyro de Almeida Lins. “Mais acesso a espaços e locais para o ensino e aprendizado da capoeira, mais reconhecimento e valorização de mestres e mestras formados na tradição, além da ampla promoção e divulgação dessa importante expressão cultural, que é patrimônio do Brasil e da humanidade”, lista o técnico, se referindo aos resultados esperados nos próximos anos.

Plano de Salvaguarda

O plano reúne princípios e diretrizes que vão nortear as ações a serem realizadas com o propósito de garantir que saberes relacionados à Capoeira sejam transmitidos às novas gerações, além de descrever estratégias para a manutenção das formas tradicionais da manifestação.

O documento possui 31 ações elaboradas diretamente pelas comunidades detentoras da manifestação. As ações são divididas em quatro eixos: produção e reprodução cultural; mobilização social e alcance da política; gestão participativa e sustentabilidade; e difusão e valorização.

Dentre as ações, que devem ser executadas nos próximos anos, estão a produção e publicação de documentários audiovisuais, estudos, cartilhas e materiais didáticos sobre a biografia e memória dos mestres e mestras antigas da Capoeira. Outra ação listada é a distribuição e divulgação de publicações, catálogos, livros e outros materiais sobre a manifestação a instituições, como bibliotecas públicas, e mestres.

Ainda no Plano da Salvaguarda, está prevista a criação de Centros de Referência da Capoeira, que são espaços físicos para abrigar acervos do bem cultural, assim como para realização de ações de salvaguarda e promoção dos detentores perante a sociedade. Para a efetivação dessa e das outras 30 ações previstas, é necessário o envolvimento da iniciativa privada, de todas as esferas do poder público e da população de maneira mais ampla, visando à criação de parcerias.

Histórico

O Ofício dos Mestres da Capoeira e a Roda de Capoeira são bens com abrangência nacional registrados como Patrimônio Cultural do Brasil desde 2008. Em 2014, a Roda de Capoeira foi reconhecida pela Unesco como Patrimônio Imaterial da Humanidade. No estado do Pará, o Iphan iniciou a mobilização com o objetivo de elaborar o Plano da Salvaguarda da Capoeira em 2013.

Reunindo mestres e capoeiristas da região metropolitana de Belém (PA), a primeira ação foi o Encontro para a Salvaguarda da Capoeira do Pará. Já em 2015, foram promovidos encontros regionais para a salvaguarda do bem, ampliando a participação de municípios e grupos. Durante o encontro, foi criado o Comitê Gestor da Salvaguarda da Capoeira, com 58 representantes de diferentes regiões do estado.

Formado por representantes da Capoeira, instituições públicas e entidades da sociedade civil sem fins lucrativos, o Comitê Gestor, junto do Iphan, foi a organização responsável por organizar o Plano de Salvaguarda da Capoeira do Pará, a partir das ações aprovadas nos seis encontros regionais já realizados.

Serviço:

Lançamento do Plano de Salvaguarda da Capoeira do Pará

Data: 30 de março de 2022, a partir das 18h30

Local: Teatro Estação Gasômetro, Parque da Residência (Av. Governador Magalhães Barata, 830 – São Brás, Belém-PA)

Fotos: Ana Kallás/Acervo Iphan (PA)