Canaã programa compra de R$ 7,7 milhões em alimentos para a Saúde

Prefeitura diz que, por conta da pandemia de coronavírus, número de atendimentos na rede pública disparou e, de igual modo, subiu número de internações, o que exige mais alimentação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Um dos atos derradeiros do prefeito Jeová Andrade à frente da administração de Canaã dos Carajás está previsto para acontecer no próximo dia 22. É que o governo do riquíssimo município vai realizar registro de preços para comprar gêneros alimentícios a fim de abastecer o Hospital Municipal Daniel Gonçalves, o Programa Saúde da Família (PSF) e demais órgãos de saúde sob a batuta da prefeitura. Os custos com a compra podem chegar a R$ 7.657.150,20. As informações foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu.

Arroz integral, macarrão, óleos, manteiga, temperos, carnes, produtos lácteos, biscoitos, gelatinas, sucos, entre outros itens, compõem o cardápio cujos itens, segundo a Prefeitura de Canaã dos Carajás, serão utilizados para preparação da refeição dos pacientes internados, debilitados, que diariamente são acompanhados pela Divisão de Nutrição da Secretaria Municipal de Saúde. Plantonistas e profissionais de saúde que passam muito tempo nas unidades de atendimento também poderão se alimentar.

O governo de Canaã lembra que a pandemia de coronavírus fez aumentar a busca por atendimento hospitalar, demanda não prevista e que exigiu ampliação de investimentos na rede municipal de saúde. Com a subida rápida do número de casos no município, houve necessidade de contratar mais pessoal para cuidar do elevado número de pacientes hospitalizados. Tudo isso demandou a aquisição de mais itens de gêneros alimentícios para atender as necessidades nutricionais de pacientes e trabalhadores de saúde.

Dados levantados pelo Blog do Zé Dudu mostram que o orçamento da saúde de Canaã está atualizado em R$ 170,83 milhões para 2020. Desse montante, a prefeitura pagou R$ 117,61 milhões entre janeiro e outubro, sendo R$ 86 milhões com atenção básica e R$ 25,69 milhões com administração geral da pasta.