Saúde

Boataria levou Jatene de Belém aos Estados Unidos

Do Espaço Aberto Uma boataria danada tomou conta de Belém, no último final de semana. Para o pôster, dois ou três telefonemas sustentavam com ênfase que o governador Simão Jatene …

Do Espaço Aberto

Uma boataria danada tomou conta de Belém, no último final de semana.

Para o pôster, dois ou três telefonemas sustentavam com ênfase que o governador Simão Jatene estaria viajando aos Estados Unidos, para submeter-se a uma bateria de exames que poderiam deixar, como diríamos, mais transparente seu estado de saúde depois dos procedimentos recentes, em São Paulo, para a implantação de mais um stent – o quarto, desde 2009 – em seu aparelho cardíaco.

Mas que nada.

No sábado ainda, Jatene já se encontrava em Belém, mas observando um repouso que só tem sido interrompido para alguns contatos com o governador em exercício, Helenilson Pontes, com quem ele fala frequentemente.

No mais, o governador lê, assiste televisão e relaxa o mais que pode, recarregando as baterias para voltar ao batente no início de abril, depois de passar a Semana Santa em Salinópolis.

E quando retornar ao batente, Jatene, por recomendação médica, precisará mudar alguns de seus hábitos, o que incluirá fazer mais exercícios, de preferência caminhadas assíduas, que nada têm a ver, como se sabe, como as marchas batidas eventuais de políticos durante campanhas eleitorais.

Jatene implantou seu primeiro stent em 1999. Dez anos depois, portanto em 2009, implantaria mais dois. E agora em 2013, o quarto, implantado apenas quatro anos após o último procedimento.

Mesmo antes do falecimento do ex-governador Almir Gabriel, já havia indicações que Jatene precisaria submeter-se à quarta implantação.

A morte de Almir, que deixou Jatene bastante abalado emocionalmente, não chegou a precipitar a viagem do governador a São Paulo, mas a tornou irreversível, até mesmo porque a hipertensão que o acomete não estava mais sendo controlada eficazmente por meio de medicamentos.

Depois da implantação do quarto stent, e considerando que o cargo exercido por Jatene tem um relevante potencial de estresse, os médicos recomendaram que ele retornasse a Belém e ficasse, como se diz, na muda por algumas semanas, para voltar a plena carga.

Eis a razão do repouso.

Em Belém, e não nos Estados Unidos, seja bem dito.

Um comentário em “Boataria levou Jatene de Belém aos Estados Unidos

  1. Anonimo Responder

    Onde há fumaça há fogo! Por sinal na Santa Casa em Belém, após o incêndio na UTI Neonatal, família de bebe entra na justiça contra a morte do filho. Nas unidades policiais, até gato foi encontrado dormindo na cadeira do delegado.Licitação na área de segurança para alimentação dos presos do estado, sob suspeita do MP. Com uma administração dessas os problemas são fatais. Agora dizer o que???

Deixe seu comentário