Apagão desligou 100% da carga do Nordeste e 77% do Norte, diz ONS

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Ministro interino de Minas e Energia diz que ocorrências em série não são normais

Jornal do Brasil
O Operador Nacional do Sistema (ONS) informou nesta sexta-feira que o apagão que afetou os nove estados do Nordeste desde o final da noite de quinta-feira (25) e início da madrugada desta sexta (26) provocou o desligamento total das cargas dessa região.

O ministro interino de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, disse que as ocorrências em série de desabastecimento de energia “não são normais”. “São eventos que ocorreram em sequência”, disse o ministro. “Não são normais. A coincidência, então, não é normal”, acrescentou Zimmermann, que comanda hoje a reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, em Brasília.

"Coincidência não é normal”, afirmou o ministro interino Márcio Zimmermann

“Coincidência não é normal”, afirmou o ministro interino Márcio Zimmermann

O ministro interino destacou que o sistema elétrico brasileiro é um dos maiores do mundo, mas tem registrado “diminuição de confiabilidade”. Uma equipe de técnicos foi enviada para as subestações de Colinas (TO) e Imperatriz (MA), pois suspeita-se que a origem de falta de energia no Nordeste e em parte do Norte, na madrugada, foi provocada por falhas nos dois locais. 

Em nota, o ONS confirmou que a falta de energia, que também atingiu áreas do Pará, do Tocantins e do Distrito Federal, ocorreu devido a um incêndio em um equipamento entre duas subestações de energia.

Na região Norte, foi registrado o desligamento de 77% da carga total. A cidade de Belém não foi afetada, sendo suprida diretamente pela usina hidrelétrica de Tucuruí, segundo o ONS.

Este foi o segundo apagão na Região Nordeste em 35 dias. Em 22 de setembro, um problema nas interligações Sudeste/Norte e Sudeste/Nordeste atingiu o fornecimento de energia elétrica em parte da região.

O apagão desta madrugada atingiu os estados da Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Alagoas, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, além de parte do Pará, Tocantins e Distrito Federal.

Grandes cidades como Juazeiro do Norte (CE), Olinda (PE) e Vitória da Conquista (BA), além das capitais Salvador (BA), Aracaju (SE), Maceió (AL), Recife (PE), João Pessoa (PB), Natal (RN), Fortaleza (CE), Teresina (PI) e São Luís (MA) ainda estavam sem luz por volta das 4h (de Brasília).

Regiões dos estados do Pará e do Tocantins, incluindo as respectivas capitais Belém e Palmas, também foram atingidas. Também houve falta de energia elétrica em estados de outras regiões brasileiras, como Minas Gerais, Distrito Federal, Goiás e Mato Grosso do Sul.

Confira a nota do ONS:

À zero hora e 14 minutos de 26/10/12 houve um curto-circuito no segundo circuito da linha de transmissão em 500 kV Colinas-Imperatriz, que faz parte da interligação entre os sistemas Sul/Sudeste/Centro-Oeste e Norte/Nordeste e que é de propriedade da empresa transmissora TAESA (uma Sociedade de Propósito Específico cujos acionistas majoritários são a CEMIG e um fundo de investimentos). Este evento ocorreu em uma chave seccionadora do capacitor série da linha de transmissão, que ficou danificada.

O defeito foi eliminado pela atuação das proteções de retaguarda da subestação Colinas, que resultou no desligamento de oito circuitos de 500 kV a ela conectados. Essa ação causou a separação do sistema Norte/Nordeste do restante do Sistema Interligado Nacional (SIN) e, em seguida, a separação dos sistemas Norte e Nordeste. 

Com o isolamento da região Nordeste, houve uma queda acentuada de tensão e frequência que provocou o desligamento total das cargas dessa região, no montante de 9.500 MW.

Na região Norte, houve o desligamento de 3.400 MW, correspondendo a 77% da carga total. A cidade de Belém não foi afetada, sendo suprida diretamente pela usina hidrelétrica de Tucuruí. As regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste não foram afetadas pela perturbação.

No processo de recomposição do sistema, cerca de 4 horas após a ocorrência, 70% das cargas estavam restabelecidas”.

Número de apagões este ano chega a 63

Neste ano, já ocorreram 63 cortes de energia. Só entre os dias 15 de setembro e 15 de outubro, foram 14 apagões em várias regiões. Na média, significa quase um corte a cada dois dias. 

Em 2011, no mesmo período, foram nove apagões e todos bem menores. Em termos de volume de energia desligada, os blecautes dos últimos 30 dias foram 153% maiores que os de 2011.