Agentes da Segurança passam por qualificação para operar Aeronaves Remotamente Pilotadas

As aeronaves serão utilizadas no combate à criminalidade. Os servidores capacitados irão fazer investigação, levantamento de inteligência, planejamentos operacionais e relatórios contextuais e situacionais
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Agentes de Segurança Pública do Pará estão passando por qualificação para operar aeronaves remotamente pilotadas no combate à criminalidade. Os cursos são promovidos pela Secretaria Adjunta de Inteligência e Análise Criminal (Siac), vinculada à Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup).

O Curso de Operadores de Aeronave Remotamente Pilotada (RPA) busca qualificar agentes da Segurança Pública, na utilização de recursos tecnológicos para o enfrentamento e redução da violência, além de habilitar profissionais da Comunicação do governo do estado. As aulas estão ocorrendo no Instituto de Ensino de Segurança do Pará (IESP). 

A qualificação da primeira turma iniciou nesta segunda-feira (07) e segue até a próxima sexta-feira (11). Os agentes terão disciplinas práticas e teóricas, que incluem: Conhecimentos Jurídicos Aplicados, Capacitação de Mídias e seus Contextos Legais, Técnicas e Procedimentos em Segurança Pública, Geo Referenciamento, Ações Preparatórias para Operar RPA e Operação Prática da RPA, totalizando 55 horas de aulas na grade curricular do curso.

Segundo secretário de Inteligência e Análise Criminal do Estado, delegado André Costa, as Aeronaves Remotamente Pilotadas (drones) são utilizadas para investigação, levantamento de inteligência, planejamentos operacionais e relatórios contextuais e situacionais. “Há equipamentos que têm dificuldade em fazer adentramento em determinados locais, mas este tipo de Aeronave, pode sobrevoar, dar dinâmica e proporcionar uma visualização muito melhor do terreno que vai ser utilizado, proporcionando noção sobre a forma e a quantidade de policiais que podem ser empregados em uma operação, por exemplo”, destaca o delegado.

Ao total, o curso terá 90 alunos, divididos em três turmas, com 30 alunos em cada. As duas primeiras, serão direcionadas aos órgãos que compõem o Sistema de Segurança Pública e Defesa Social do Pará e a última, será para profissionais de Comunicação das secretarias do governo do estado.

Tina DeBord – Com informações da Segup

Publicidade