Advogado Haroldo Gaia assume a Comissão Provisória do PSL em Marabá

Ele foi convidado pelo delegado federal Everaldo Eguchi, que assumiu a presidência da agremiação no Estado do Pará, e surge como uma alternativa de candidatura ao governo em 2022

Continua depois da publicidade

O advogado Haroldo Gaia, ex-presidente da Subseção local da OAB-PA, que nas últimas eleições disputou a Prefeitura de Marabá como candidato a vice do candidato Toni Cunha, foi nomeado nesta quinta-feira (11) presidente da Comissão Provisória do PSL (Partido Social Liberal) de Marabá. No Estado, quem assumiu a presidência da agremiação foi o delegado federal Everaldo Eguchi, que disputou a prefeitura da capital, não foi eleito, mas teve expressiva votação, perdendo com a diferença mínima de 3,5 pontos percentuais.

Ouvido pelo Blog do Zé Dudu, na tarde de hoje, minutos após ter recebido o comunicado, Haroldo Gaia falou primeiramente sobre o presidente do partido, e disse que Eguchi está fazendo um movimento muito válido ao começar a reunir várias lideranças políticas do Estado: “É uma alternativa política, uma opção para a população, de votar em uma nova ideia, uma nova política de trazer desenvolvimento para o Estado”.

Gaia disse que, em conversa com o delegado Eguchi, destacou que é muito importante que a política do Pará olhe também para o interior, que faça um trabalho voltado para a infraestrutura e para o desenvolvimento do Pará, uma vez que se trata de um Estado rico de um povo pobre, e citou Marabá e região como exemplos disso.

“Eu acho que a forma de mudar isso é o envolvimento, na política, de pessoas novas, pessoas boas, com novas ideias e novos horizontes. A gente não tem de esperar ser tutelado por ninguém, a gente tem de tomar as rédeas, enfatiza Haroldo Gaia, destacando: “Se a gente está vendo os problemas e pode enfrentá-los, pode colaborar, a gente tem de entrar na política. É esse o espírito”.

Sobre a perspectiva de o delegado Eguchi sair candidato ao governo do Estado nas eleições do ano que vem, Gaia disse que essa é uma possibilidade real: “Já se fala muito nisso, as pessoas já pedem que ele candidate, políticos já o veem como uma nova liderança e já pedem também que ele dispute o governo, que seja uma opção”.

“A eleição para prefeito de Belém ainda está muito recente, foi um movimento muito grande e eu acho que ele está preparado e se habilitou para vir candidato a governador do Estado. E é por isso que, quando eu aceitei esse convite do PSL, esse convite do Eguchi, eu já cobrei a presença dele aqui em Marabá. E não só aqui nem só nas regiões sul e sudeste do Pará, mas em todo o interior”, ressalta Gaia.

Os primeiros movimentos de Haroldo na presidência da Comissão Provisória do PSL serão no sentido de trazer para a política cidadãos que queiram mudar realmente a história da região: “O partido político é a sociedade politicamente organizada, para você realmente possa alcançar isso. É preciso que as pessoas entrem na política, se não a gente nunca vai parar de só reclamar”.

Gaia também vai fazer um levantamento da situação do partido no município quanto ao número de filiados e convidar outras pessoas a se filiarem ao PSL e, assim, fortalecer a agremiação: “Para se habilitarem, para conversarem, para discutirem os problemas da região. A gente, em verdade, faz um recuo agora para fortalecer o partido a fim de se expandir depois. A ideia é a gente conseguir fortalecer o partido no sul e no sudeste do Pará, para que consigamos instalar várias comissões provisórias. Eu conheço muitos advogados, muitos médicos, muitos advogados, muita gente boa que tem o conhecimento, que podem dividir isso com a sociedade, que podem ajudar a sociedade”.

A respeito da relação do delegado Eguchi com o presidente Jair Bolsonaro, Haroldo Gaia disse que está muito boa: “Ele, inclusive, já fez várias viagens a Brasília para conversar com o presidente, que está sem partido. E há uma dúvida sobre que partido ele vai e, segundo o Eguchi e outras lideranças, é possível que ele volte para o PSL. Então, o apoio dele é essencial para o fortalecimento do Eguchi numa possível candidatura a governador”.

Haroldo Gaia afirma que é preciso que sociedade olhe a política não como uma coisa marginalizada, mas como uma coisa que pode mudar a realidade dessa sociedade. “É a principal mensagem que a gente precisa passar, porque, se você imaginar que todo mundo que está na política é corrupto, é desonesto, as coisas não mudam. É preciso que você entre, coloque o seu nome, a sua experiência, saia um pouco da sua vida privada para a vida pública, para colaborar com a sociedade”, conclui Gaia.

Por Eleuterio Gomes – de Marabá