Acidentes com motos aumentam em Jacundá

Relatório do Hospital Municipal Maria Cecília de Oliveira aponta que, apenas no mês de julho, foram 66 acidentes de trânsito
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

As ruas da cidade de Jacundá registraram, em média, mais de dois acidentes de trânsito por dia durante o mês de julho. É o que aponta um relatório do Hospital Municipal Maria Cecília de Oliveira, a unidade de saúde pública que é a porta de entrada para os acidentados.

Sem citar o número de vítimas humanas, o relatório enumera que foram 66 acidentes ocorridos no mês de julho, dos quais 13 são considerados de natureza grave e um gravíssimo. Os acidentes resultaram em três óbitos. “Acreditamos que mais de cem pessoas sofreram algum tipo de lesão, pois muitos não procuram a unidade de saúde quando se trata de uma pequena escoriação,” diz uma fonte ligada ao hospital municipal.

Uma das pessoas que perderam a vida nas ruas de Jacundá é a jovem Joise Mirla de Jesus Santos, de 24 anos de idade, casada e filha única, grávida da primeira gestação. Ela faleceu na madrugada do dia 11, após cair de moto e sofrer traumatismo craniano. Na tarde do dia 4 de julho, Eduardo Gonçalves Nascimento, de 21 anos, não resistiu aos ferimentos e faleceu em consequência de um acidente de moto ocorrido na Rua Airton Sena.

Bombardeado por populares e maioria dos vereadores de Jacundá, o Departamento Municipal de Trânsito Urbano de Jacundá (DMTU) recuou na fiscalização e blitzes na cidade, o que pode ser considerado um fator predominante no número de acidentes.

A Reportagem procurou a direção do DMTU para comentário. Nas palavras do diretor Joilson Pedroso, o município de Jacundá permaneceu de janeiro a junho sem acidentes graves, e a maioria dos casos registrados em julho “aconteceram tarde da noite, o que é impossível de ser coibido pelo DMTU”. (Antonio Barroso)