Redenção: segundo Leilão Anual da Agropecuária Mafra faz média de 89 arrobas

Continua depois da publicidade

Carlos Mafra mostra potencial de touros e garrotes tirados na Fazenda São Joaquim III, em Redenção, Pará.

No sábado, dia 4 de agosto, Carlos Alberto Mafra reuniu convidados para o segundo leilão anual de sua grife, o Leilão Nelore Mafra Agropecuária, realizado em Redenção, região de forte pecuária do Norte do País. O remate entrou na conta dos leilões que venderam no atacado nesta virada de semestre. Foram 119 machos na faixa dos 20 a 32 meses de idade.

No grupo, 101 garrotes foram cotados a R$ 7.530 e cinco novilhas saíram a R$ 3.600. Os 18 touros alcançaram média de R$ 7.680. O lote mais disputado da noite teve como recheio três tourinhos e saiu por R$ 22.320 para Luciano Resende. Barraco, Javan e Josnan tinham 20, 22 e 27 meses de idade, todos produtos de TE (transferência de embriões).

Na troca pelo boi gordo, o remate fez média de 89@ para o pagamento à vista na praça (R$ 82,5/@ no dia). Além dos touros estavam no pacote 769 bezerros comerciais por R$ 794.720. A média para 520 machos e 249 fêmeas para cria ficou acima de R$ 1.000. Incluindo a categoria, os negócios ficaram em R$ 1,7 milhão por 893 animais.

Além da Fazenda São Joaquim III, de onde saíram os animais, Carlos Mafra mantém projetos de seleção tope em Ribeirão Preto, SP, com a Fazenda São Joaquim II, e em Santa Vitória, MG, com a Fazenda São Joaquim I. O criador é também figura constante na promoção de leilões durante a Expoinel, a maior especializada do Nelore, realizada anualmente em setembro, na capital do Zebu, Uberaba, MG.

As vendas foram coordenadas por Eduardo Gomes, para pagamentos em 24 parcelas, sob organização da Programa Leilões.

Por Carolina Rodrigues – Portal DBO

4 comentários em “Redenção: segundo Leilão Anual da Agropecuária Mafra faz média de 89 arrobas

  1. anônimo Responder

    quando não se conhece a realidade da região é melhor ficar calado. Os fazendeiros não pagam suas multas devido ao processo protelatório que o sistema jurídico permite aos infratores ficarem muitos anos questionando as multas. Muitos deputados fazendeiros também são aliados na manutenção da impunidade com a força que tem junto ao congresso e a justiça etc….

  2. eder Brasília Responder

    Ah lembrei esta é mais uma agropecuária onde várias pessoas ligadas ao governo, inclusive filho do lula, tem amizades e muitas vezes prezentes até em suas festas particulares, agora captei a mensagem pq estão muitos ricos, e degradando o meio ambiente. Como dizia o índio esse, pau tem mel,.

  3. anonimo Responder

    dá uma olhada nos processos de multa do IBAMA em nome desta agropecuária e se ela pagou o que deve aos cofres públicos, para saber se o que ela arrecadou compensa os crimes ambientais cometidos pela mesma.

  4. eder Brasília Responder

    Engraçado como que em pouco tempo ( 07 anos), aparecem grandes criadores e fazendeiros, como esse mafra e agrosantabárbara; nunca visto antes neste setor e já despontando no cenário nacional e até internacional, passaram na frente de fazendeiros e criadores que estão no mercado há séculos, milagre milagre.

Deixe seu comentário

Posts relacionados

%d blogueiros gostam disto: