PF combate exploração ilegal de ouro em Pernambuco e no sul do Pará

Pessoas investigadas em Redenção e São Félix do Xingu são suspeitas de integrar a organização criminosa que envolve agentes públicos e particulares, financiadores, refinadores e receptadores
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (13) a Operação Frígia-Contra, segunda fase da Operação Frígia, deflagrada no segundo semestre de 2020, que visa combater organização criminosa que atua em extração ilegal de ouro no Sertão de Pernambuco. Foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisão.

As medidas foram cumpridas nos endereços dos investigados, localizados em Igarassu (PE), Redenção (PA) e São Félix do Xingu (PA), sobre os quais constam fortes indícios que integram a organização criminosa, envolvendo agentes públicos e particulares, financiadores, refinadores de minério e receptadores.

A operação contou com a participação de 50 policiais federais e foi oriunda de uma investigação conjunta realizada entre a Polícia Federal e o Ministério Público Federal.

A atividade do grupo criminoso investigado consistia na extração de minérios em terrenos públicos e particulares, localizados na Zona Rural de Verdejante, com o consequente beneficiamento, que era realizado no município de Serrita, e, por fim, a comercialização do ouro. Os valores oriundos da venda eram colocados em circulação, com aparência de legalidade, por meio da aquisição de veículos e de outras condutas, atos consistentes em lavagem de dinheiro.

Os envolvidos responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de usurpação de bens da União, crimes ambientais, lavagem de capitais, organização criminosa e violação de sigilo funcional, cujas penas ultrapassam os 20 anos de reclusão, além de multa.

O nome da operação – Frígia – faz menção à terra do Rei Midas da mitologia grega. Tudo o que ele tocava virava ouro.

Ontem à tarde, três helicópteros da Polícia Federal, empregados na operação desta terça-feira, desceram em Parauapebas, dois no quartel da PM e um no hangar da Vale, em Carajás. O fato suscitou especulações em grupos de WhatsApp, inclusive a suspeita de que haveria uma operação de combate a garimpos clandestinos na região.

(Fonte: PF)

Posts relacionados