Operação Limpa Lago apreende equipamentos de pesca predatória

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Mais de 30 mil metros de malhas de pesca irregulares (com orifícios no tamanho 5, 6 e 7) e de outros petrechos ilegais utilizados na pesca predatória, como amarradores, telões, arpões e armas, foram apreendidos durante a operação de fiscalização ambiental Limpa Lago.

Realizada pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio) na região do Mosaico Lago de Tucuruí, a operação encerrou nesta quarta-feira (28).

Segundo Mariana Bogéa, gerente da Região Administrativa do Mosaico do Lago de Tucuruí (GRTUC/Ideflor-bio), desde 8 de março, o Instituto vem realizando as ações de fiscalização com o objetivo de proteger os peixes em fases críticas, como a reprodução e as épocas de maior crescimento.

A fiscalização foi realizada pela GRTUC em parceria com as secretarias municipais de Meio Ambiente de Goianésia do Pará e de Jacundá, e a Polícia Militar (CPR IV) de Tucuruí. A operação Limpa Lago é uma demanda dos pescadores da região, para manter as espécies de peixe no lago e a pesca sustentável. “Nós asseguramos, com a fiscalização, a preservação da biodiversidade aquática e a renovação dos estoques pesqueiros para os anos seguintes”, explicou.

Do Lago de Tucuruí, mais de 30 mil famílias tiram o seu sustento e as operações que resultam da parceria entre o poder público estadual e municipal com os pescadores são vistas de forma eficaz para a manutenção da biodiversidade no Lago.

O Mosaico do Lago de Tucuruí abrange os municípios de Tucuruí, Breu Branco, Goianésia do Pará, Jacundá, Nova Ipixuna, Itupiranga e Novo Repartimento. A pesca é a principal atividade econômica da região, mas quando realizada de forma predatória é legalmente proibida. Por isso as ações de fiscalização são frequentes.

Fonte: ASCOM do Ideflor bio

Deixe seu comentário

Posts relacionados