Na prevenção contra o coronavírus, o estádio Mangueirão já abriga pessoas em situação de rua

O governador do estado, Helder Barbalho, esteve no estádio e acompanhou a movimentação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A pedido do governador do estado, Helder Barbalho, o estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém, passou a receber pessoas em situação de rua e vulnerabilidade social da capital paraense. Neste domingo (22/03), Helder Barbalho fez questão de comparecer ao estádio e acompanhou toda a movimentação das pessoas, que foram para fazer doações e outras para se abrigarem no local. Tudo pela prevenção contra o novo coronavírus.

Os preparativos para organizar o abrigo coletivo começaram desde cedo. Várias mercadorias chegaram em caminhões pelo estacionamento do estádio carregados de colchões, travesseiros, roupas, lençóis, fronhas, alimentação e diversos insumos de material higiênico para servir a população. Mais de 40 funcionários de grandes empresas descarregam todo o material.

“Nós somos uma empresa muito humana, que ajuda as pessoas. Logo que nós ficamos sabendo do pedido do governador, nos comoveu e de prontidão a gente resolveu ajudar, através da nossa diretoria executiva de São Paulo. Estamos fazendo doações de mil colchões e mil travesseiros onde estamos descarregando com nossos caminhões dentro do estádio Mangueirão”, disse Adriano Almeida, gerente do Magazine Luiza.

Toda a ação dentro do estádio Mangueirão foi coordenada pela Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster) e Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) sendo uma das medidas para prevenir novos contágios pelo novo Coronavírus no Pará. O governo do estado deve interiorizar a medida para o estádio Jader Barbalho, o Barbalhão, em Santarém.

“Nós já iniciamos o dialogo, inclusive, para interiorizar estas ações, porque não adianta a gente cuidar somente daqui da região metropolitana. É fundamental que outras regiões possam fazer. As prefeituras estão orientadas neste sentido. Nós estamos já mobilizando para a partir de amanhã (segunda), usar o Centro de Convenções de Marabá como ponto de arrecadação e também de acolhimento para aquela região do sul e sudeste do estado, da mesma forma usar a estrutura do estádio de futebol do Barbalhão, lá em Santarém, também nesta cooperação e colaboração. Portanto, avançar e poder proteger todo o estado do Pará”, afirmou Helder Barbalho.

Assim como em Belém, as regiões de Carajás e Tapajós, vão abrigar os moradores em situação de rua e vulnerabilidade social, com cada um deles recebendo uniforme e kits de higiene. Em uma nota divulgada na manhã desta segunda-feira (23/03), a Sespa confirmou o quinto caso do covid-19 no estado do Pará. Seria uma mulher de 29 anos, que reside na cidade de Marabá, sudeste paraense.

“Quero agradecer do fundo do meu coração a solidariedade do povo paraense. Nós divulgamos esta ideia ontem (sábado) pela parte da tarde e nós estamos com menos de 24 horas da informação e já recebemos mais de mil colchões, mais de mil travesseiros. A Fábrica Esperança, que é um programa do governo do estado, que é oriundo do sistema penal, estão trabalhando para fazer roupas para as pessoas. Cada morador de rua estará recebendo um uniforme e kits de higiene, alimentos que chegam a todo instante, são empresas que estão ajudando, mas principalmente as pessoas que estão espontaneamente vindo aqui demostrar que esse é o momento de união.”, finalizou Helder Barbalho.

Por Fábio Relvas / Foto: Marco Santos (Agência Pará)

Publicidade