México: protesto por prisão de casal que beijou em público movimenta dezenas de casais

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Dezenas de casais de todas as idades juntaram os seus lábios em caso singular chamado “O Besotón”  na cidade de Leon, Guanajuato, região central do México, para protestar contra a prisão por 12 horas de Manuel Berumen, um professor universitário de 38 anos que beijou sua parceira em público ( na porta de uma igreja), ato descrito como ação imoral pela autoridade judicial.

beijoO “Besotón” foi realizado no domingo (05), ao meio-dia, em frente a uma igreja católica em Leon que recebeu o Papa Bento XVI em março, precisamente durante a missa tradicional. Ao deixar a missa de domingo, os paroquianos (alguns) aplaudiram o evento como um endosso.

“Eu levei Mayra e a beijei. Foi quando começamos a ouvir uma pessoa que começou a gritar: “Há crianças”!!! Como se estivéssemos realmente praticado nudez ou pornografia na rua”, disse o professor a imprensa local hoje, após a apresentação de uma queixa com a defesa dos direitos humanos.

O casal, que estava acompanhado de seu filho de quatro anos, foi acusado de crimes contra a moralidade por um juiz de direito administrativo, que impôs uma detenção de 12 horas. Os cinco policiais que responderam ao apelo das mulheres, chocadas ao ver o casal se beijando, prenderam apenas Berumen, que sequer foi algemado.

O estado de Guanajuato, cuja capital é Leon, é considerado um dos distritos mais conservadores no México e onde tem havido recorrentes incidentes similares sobre a alegação de  violações da moralidade.

Com informações do AFP