Morre Zé do Caixão, um dos pioneiros da cidade de Jacundá

José Bernardo Alexandre, 79 anos, chegou há quase 40 anos no município, oriundo de Tucuruí, e era figura muito conhecida e estimada na comunidade jacundaense
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Um dos pioneiros da cidade Jacundá, conhecido popularmente como Zé do Caixão, morreu às 2h da madrugada desta sexta-feira (26), no Hospital Regional Público do Sudeste, em Marabá. José Bernardo Alexandre, 79 anos de idade, era considerado uma lenda histórica ao vivenciar diversos fatos políticos e sociais do município. Ele chegou a ocupar uma cadeira do Legislativo Municipal.

O nome José Alexandre era pouco conhecido dos moradores de Jacundá, município da região sudeste do Pará, onde ele ganhou o apelido de Zé do Caixão, ao se tornar dono de uma funerária e ter ficado tão popular a ponto de se candidatar a vereador em várias ocasiões, chegando a conquistar uma suplência na década de 1990 e a assumir uma cadeira na Câmara Municipal de Jacundá.

A Reportagem apurou que Zé do Caixão passou mal na quarta-feira (24). Ele estava recebendo atendimento médico no Hospital Regional de Marabá e seria transferido nesta sexta-feira para Belém diante da gravidade do problema cardíaco. Às 2h de hoje morreu em decorrência de parada cardiorrespiratória.

O piauiense Zé do Caixão era um empresário do ramo funerário que chegou há quase 40 anos na cidade de Jacundá, oriundo do município de Tucuruí. Aos 79 anos de idade, pai de 31 filhos, exerceu os cargos de comissário de menor, delegado (nomeado) e vereador. Orgulhava-se de ter concluído o primeiro grau (hoje ensino fundamental). Ele sempre usava um trecho bíblico para explicar seu estilo de vida: “Você pode fazer tudo no mundo, mas ser não tiver amor nada foi feito”. Até o momento a família ainda não divulgou o local do velório nem a data do sepultamento do pioneiro.

(Antonio Barroso)