Lacres de latinhas de alumínio ajudam a salvar pacientes com câncer de Redenção

Material é enviado ao Hospital do Amor de Barretos, que vende para reciclagem. O HA atende gratuitamente pacientes com câncer de todo o País, 184 deles de Redenção
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
????????????????????????????????????

Continua depois da publicidade

Lembra aquele lacre das latinhas de bebida que você joga fora junto com a latinha após consumir o produto? Você sabe que aquela pequena argola pode salvar vidas? Basta retirá-la e enviar ao Hospital do Amor (HA), em Barretos (SP), que atende gratuitamente, pacientes com câncer, de todo o País. O coordenador volutuário do HA em Redenção, Nilton Cézar, orienta aos consumidores que retirem o lacre e guardem: “Esses lacres são importante para os milhares de pessoas que estão em tratamento. Eles representam a melhoria na qualidade de vida de muitos pacientes e seus familiares”.

“Os lacres são recolhidos em todo o Brasil e enviados para Barretos, para que o hospital possa vendê-los à indústria de reciclagem de alumínio. O dinheiro arrecadado é investido em pesquisa, prevenção e tratamento do câncer”, explica.

Além da pesquisa e o tratamento, parte do dinheiro arrecadado ajuda a custear medicamentos para milhares de pessoas diagnosticadas com câncer, uma vez que há medicamentos que custam até R$ 10.600,00 e são entregues aos pacientes diagnosticados gratuitamente.

Nilton Cézar entregou um desses medicamentos, enviado de Barretos, à idosa Maria de Freitas, que há quase quatro anos está com câncer “Ela está bem, esta na fase de acompanhamento, e hoje viemos entregar o medicamento. Deus, vai continuar abençoando dona Maria e logo logo ela vai receber alta definitiva do Hospital de Barretos, assim como vários já receberam”, disse o coordenador.

Maria de Freitas disse à Reportagem do Blog que “jamais teria condições” de arcar com a compra dos medicamentos e apela para que as pessoas juntem os lacres: “Quero pedir para cada um de Redenção juntar os lacres, até encher uma ou mais garrafas pet, e entregue ao Nilton”.

A aposentada Rosa da Silva disse que já tem quatro garrafas cheias e vai entregar ao coordenador: “Aqui em casa somos cinco pessoas. E todos nós juntamos os lacres, pois sabemos que o hospital vende e ajuda no tratamento de muitos pacientes”.

Sobre o Hospital do Amor

O hoje Hospital do Amor de Barretos – Antigo Hospital do Câncer de Barretos – atende gratuitamente, por dia, 6 mil pacientes de todo o País, acometidas de câncer. São consultas, exames, aplicações de quimioterapia, radioterapia e outros procedimentos.

O custo mensal da casa de saúde para realizar todo esse atendimento é de R$ 37 milhões mensais. Porém, o SUS (Sistema Único de Saúde) repassa apenas R$ 15 milhões. Logo o déficit mensal é de R$ 22 milhões. E é por isso que qualquer ajuda é importante.

Um paciente com câncer inicial custa ao HA, R$ 10 mil mensais, mas, se o câncer já está avançado, o desembolso é de R$ 160 mil, conforme revelou o presidente do hospital, Henrique Prata, em entrevista à Revista Veja, na semana que passou.

Segundo ele, a instituição também mantém hoje espalhadas pelo País 22 unidades móveis, que ajudam no diagnóstico e na prevenção da doença – principalmente o câncer ginecológico – o que fez com que diminuísse de 70% para 2% o número de pacientes que chegam com a doença já em estado avançado em Berretos.

Assim, o hospital recebe doações de duplas sertanejas, outros cantores, artistas de TV, da Festa de Peão de Barretos, de leilões de gado realizados em todo o País e de voluntários do Brasil inteiro.

Atualmente, o Hospital do Amor de Barretos atende a 861 pacientes, de 71 municípios do Pará, 184 destes de Redenção, 46 de Marabá e 22 de Parauapebas.

(Com informações do Voluntariado do HA em Marabá)
Publicidade