Invasão da área da família Benevides Alves é resolvida em audiência de conciliação

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Hoje houve uma audiência com resultado inédito na Comarca de Parauapebas. Teve início por volta de 10 horas e só terminou agora a pouco, por volta das 21 horas.

Em questão a posse da área invadida em 2000 ou uma Ação de Reintegração de Posse movida por Ezequiel Alves Neto, Edivaldo Benevides Alves e José Maria Benevides Alves contra os invasores de uma área localizada no Bairro Beira Rio, ali próximo à rodoviária de Parauapebas.

Uma ação de 9 anos que vinha causando dores de cabeça tanto aos requerentes quanto aos requeridos. Ao final, houve um acordo e a família Benevides Alves acordou com os requeridos a venda da área a cada um dos invasores.

Quarenta e três dos quarenta e oito posseiros assinaram o acordo e irão pagar a importância de R$180,00 por metro quadrado em até 10 anos, corrigidos INPC e mais 12% ao ano.

Segundo a MMª. Juíza, Drª Eline Salgado, foi um grande feito, onde a justiça foi acionada e a conciliação ocorreu graças a boa vontade de requerentes e requeridos. Ainda segundo a juíza, requeridos saíram da sala de audiências com um grande compromisso, todavia, satisfeitos pois doravante poderão se intitularem proprietários de suas casas.

O patrono dos requeridos, Dr. Nicolau Murad Prado, disse ter sido feita a justiça. Segundo o Dr. Nicolau  a conciliação pode não ter sido boa para todos mas a grande maioria se deu por satisfeita.

JB, um dos requerentes, disse que sua família buscou a justiça por se achar prejudicada mas que estavam satisfeitos com o resultado da audiência. Disse ainda não haver nenhum tipo de mágoa com os posseiros e se colocou à disposição de todos para que essa conciliação  seja concluída com o mesmo sucesso que se inicia.

A área foi invadida durante a campanha eleitoral de 2000. Um dos candidatos, à época, incentivou os requerentes a invadir a área garantindo-lhes que caso fosse eleito lhes daria o título definitivo da área. Como o candidato não se elegeu, ficou ai um problema que já estava com 9 anos e que agora parece ter tido solução.

Publicidade

Posts relacionados