Guarnição da Polícia Rodoviária Estadual salva criança da morte na PA-160

O menino, que era levado de moto pelos pais, ao hospital, já havia parado de respirar, quando o casal foi socorrido pelos policiais que, no meio da estrada, procederam a reanimação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

“Essa é uma data que eu nunca vou esquecer”. Foi o que disse à Reportagem do Blog do Zé Dudu¸ na noite de ontem, domingo (24), Maria da Conceição da Silva e Silva, 18 anos, mãe de Benjamim Conceição Sousa da Silva, de um ano de idade. A declaração, feita no Hospital Municipal de Parauapebas, foi em referência ao ato heroico e humanitário de uma guarnição do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRV) da Polícia Militar, que salvou a criança da morte.

A jovem mãe conta que no domingo estava comemorando o primeiro ano de vida de Benjamin e, assim que ele acordou, ela o fez mamar. Porém, depois de se alimentar, o menino vomitou e entrou em ataque convulsivo.

Momento em que era realizada a reanimação do bebê

Imediatamente, ela e o pai enrolaram o menino em um cobertor e, de moto, pegaram a estrada para o levarem ao Hospital Municipal de Parauapebas, numa viagem de 27 quilômetros, pois moram na Vila Cajazeiras, zona rural do município.

Ao passar pela localidade Nova Vitória, na Rodovia PA-160, o casal avistou um veículo do BRPV, que estava de ronda no local, mas não parou. Conceição, desesperada e em prantos, gritou para os policiais que eles estavam levando ao hospital o filho, que estava morrendo.            

Imediatamente, os policiais seguiram a moto, alcançaram o casal e solicitaram para que parassem. Ao saber o que estava acontecendo, o sargento Araújo e o cabo D. Bruno tomaram a criança nos braços e, ao retirarem o cobertor, notaram que Benjamin já não mais respirava e que o corpo da criança estava arroxeado.

D. Bruno, então, deitou a criança e começou um procedimento de reanimação que levou cinco minutos, o que para os pais pareceu uma eternidade. De repente, o menino voltou a respirar, os militares o colocaram no veículo policial, junto com a mãe, e os levaram ao hospital, onde Benjamin recebeu atendimento médico.        

Ouvido pela Reportagem, o sargento Araújo disse ter sido uma emoção muito grande ver a criança voltar a respirar, depois de ter ouvido o casal passar gritando que o filho estava morrendo.

“Nunca imaginei uma situação dessa. Pai e mãe desesperados, chorando, a gente chora também”, disse o militar que, lembrado da proximidade do Natal, disse que, ver a criança voltar à vida, foi seu presente antecipado, afirmando: “Foi Deus que nos colocou ali. No lugar certo e na hora certa”.

O cabo D. Bruno contou que Benjamin estava descordado, todo roxo, não apresentava sinais de vida nem respirava mais. Mesmo assim, ele começou a reanimação, massagem cardíaca e respiração boca a boca, do jeito que aprendeu na Academia de Polícia. “Foram cinco minutos de tentativa, já estava quase para desistir quando ele voltou a respirar. Graças a Deus, deu certo”, disse, aliviado e feliz por ter tirado a criança das mãos da morte.

Maria da Conceição conta que há alguns dias o menino caiu da cama, de uma altura de 80 centímetros, de lá para cá teve um ataque convulsivo, tendo um médico aconselhado que ela providenciasse vários exames, inclusive cardíacos.

“O que eles [os policiais] fizeram foi muito maravilhoso, se fosse outros não teriam corrido atrás. Agradeço muito a eles. Se não fosse por eles, meu filho não estaria vivo. Primeiramente, agradeço a Deus, depois aos policiais. Essa é uma data que eu nunca vou esquecer, vai ficar para sempre na nossa lembrança”, disse Maria da Conceição à Reportagem do Blog.

(Caetano Silva)

Deixe seu comentário

Posts relacionados