FINADO É DISPUTADO POR FUNERÁRIAS

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O encarregado de obras Francisco Xavier Andrade Reis, de 37 anos, natural de Floriano (PI), que residia na rua Araguaia, 152, bairro da Paz, Parauapebas, teve morte trágica quando o veículo que ele dirigia, um Fiat Palio, cor azul, de placa JLM-5947, Itabuna (BA), bateu contra a parede da casa dos Chapas (estivadores), situada no canteiro da Avenida Liberdade. O acidente aconteceu por volta das 5h30 da manhã de sábado (12). Francisco Xavier, que trabalhava na construtora W.Torres, trafegava no sentido Rio Verde bairro da Paz pela avenida Liberdade.
Um fato que chamou a atenção de todos, foi que antes mesmo que a Polícia Civil chegasse no local do acidente, uma funerária já havia removido o corpo. Interpelado pela polícia sobre quem autorizara a retirada do corpo, o agente funerário se esquivou de responder, mas acabou revelando que teria sido autorizado por homens do Corpo de Bombeiros, uma vez que a vítima havia acabado de falecer.
A situação só não ficou feia para o agente funerário porque quando os investigadores chegaram o veículo ainda não havia deixado a área com o cadáver. Aborrecidos com a atitude da equipe de Bombeiros e da funerária, os policiais obrigaram o apressado agente a repassar o corpo da vítima para uma segunda funerária que eles haviam chamado. Afinal, essa briga de funerárias na disputa de cadáveres é antiga e existe de ponta a ponta do país.