ENTREVISTA DE ROGER AGNELLI AO ESTADÃO

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Presidente da Vale, a segunda maior mineradora do mundo, Roger Agnelli, disse ao Estadão que não se deve misturar as responsabilidades do poder público e das empresas privadas. “Se os Estados e municípios fizessem o que está escrito na Constituição, usar os royalties para investir em infra-estrutura e educação, vários prefeitos não estariam se queixando.

Eles não investem.”

Está muito fácil, hoje, para algumas autoridades, jogar o problema no colo do governo do Estado ou da iniciativa privada. Eles têm de olhar para eles mesmos. Onde estamos não faltam recursos para os municípios.

O que falta é seriedade no trato da coisa pública. Em Parauapebas, o prefeito claramente gosta de discurso, mas fazer não faz. Esse é o ponto. No discurso é campeão. Agora, olhar a questão social e do desenvolvimento social a longo prazo, fazer parcerias e respeitar o próximo, isso não faz.


Parauapebas já foi referência em termos de IDH. Não se pensou em longo prazo. (…) O presidente Lula diz que tem de ter uma reforma política. Sem dúvida tem de ter, porque a gente tem de parar de pensar nas próximas eleições. Temos de pensar o Brasil para os próximos 40 anos.
Publicidade

Posts relacionados