Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Futebol

No duelo dos desesperados, Brasil de Pelotas e Paysandu ficam no empate sem gols 

O resultado foi péssimo para as duas equipes, que lutam contra o rebaixamento
Continua depois da publicidade

Brasil de Pelotas-RS e Paysandu só empataram na noite desta terça-feira (21), no Estádio Bento Freitas, em pelotas, em partida válida pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O placar terminou em 0 a 0, sendo um péssimo resultado para ambas as equipes, que lutam desesperadamente contra o rebaixamento.

O Papão segue em 16° lugar com 25 pontos, enquanto o Xavante já está na zona de rebaixamento e é o 17° colocado com seus 24 pontos. O Paysandu volta a campo contra o Sampaio Corrêa-MA, time que também está na zona da degola, no próximo sábado (25), às 16h30, no Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém. A partida será válida pela 23ª rodada da competição nacional.

O jogo: Xavante 0 x 0 Papão!

As duas equipes entraram em campo para o duelo dos desesperados e o chamado jogo de seis pontos. O Paysandu quase na zona de rebaixamento e o Brasil de Pelotas já no Z4. O Xavante teve a primeira chance de marcar, quando o zagueiro Leandro Camilo lançou bem para o atacante Luiz Eduardo, que bateu forte por cima da meta do goleiro Renan Rocha. A torcida ficou no “uh”.

O Papão respondeu com Alan Calbergue, que dominou e tocou para Thomaz, o meia bicolor disparou para fora. Em uma bola rebatida pela zaga alviceleste, Toty emendou um chute por cima da meta de Renan Rocha. O time paraense alçou bola na área através de Pedro Carmona, mas a arbitragem paralisou a jogada e marcou falta do zagueiro Perema em cima do goleiro Marcelo Pitol.

Em uma falta de muito longe, Itaqui tentou um chute forte de três dedos, a bola passou perto da meta bicolor. Éder Sciola lançou na área, o zagueiro Perema fez o corte e o atacante Lourency sozinho acabou chutando para fora. Pedro Carmona levantou na área, Guilherme Teixeira tentou marcar, mas foi bloqueado pela zaga. Em uma bela triangulação da equipe gaúcha, Diego Miranda tocou para Luiz Eduardo, que ajeitou de peito para o chute de Toty, a bola passou por cima. Itaqui fez boa jogada e cruzou na área, ninguém conseguiu cabecear e a bola passou por todo mundo. Mais uma chance de gol perdida pelo Brasil de Pelotas. Luiz Eduardo tocou bem para Diego Miranda, que chutou de frente e mandou para fora. A torcida do Xavante foi à loucura. Itaqui fez outro cruzamento na área, o atacante Luiz Eduardo tentou o cabeceio, mas o goleiro Renan Rocha atento fez a defesa.

Na segunda etapa, o Brasil de Pelotas continuou tentando. Itaqui tocou para Toty, que disparou por cima da meta de Renan Rocha. Mas quem chegou com muito perigo foi o Papão. Pedro Carmona cobrou falta e o atacante Hugo Almeida chegou de carrinho, a bola passou
perto da meta do goleiro Marcelo Pitol. Pedro Carmona cruzou uma bola venenosa de três dedos, Renato Augusto desviou e quase abriu o placar para o Paysandu.

O time paraense começou a chegar mais. Pedro Carmona mandou outra bola perigosa para área e zaga afastou de qualquer maneira. No lance seguinte foi à vez do Xavante levantar a bola com Itaqui, mas o zagueiro Rafael Dumas não conseguiu cabecear e a redonda se  perdeu pela linha de fundo. Em uma boa troca de passes do Paysandu, Pedro Carmona cruzou na área para o chute de Hugo Almeida, o goleiro Marcelo Pitol conseguiu espalmar e salvou a equipe gaúcha.

Alex Ruan lançou bola na frente, a zaga do Papão cortou mal e Luiz Eduardo disparou fraco facilitando a defesa de Renan Rocha. Itaqui lançou bola na área e após desvio, o goleiro Renan Rocha ficou com a redonda. Placar final: Brasil de Pelotas 0 x 0 Paysandu. Um péssimo resultado para as duas equipes que lutam contra o rebaixamento.

Ficha Técnica

BRASIL DE PELOTAS: Marcelo Pitol; Éder Sciola, Leandro Camilo, Rafael Dumas e Tiago Cametá; Leandro Leite (Gilson Alves), Itaqui e Diego Miranda (Alex Ruan); Toty (Welinton Júnior), Lourency e Luiz Eduardo. Técnico: Gilmar Dal Pozzo

PAYSANDU: Renan Rocha; Guilherme Teixeira, Perema e Fernando Timbó; Maicon Silva (Jonathan), Alan Calbergue (Magno), Renato Augusto e Guilherme Santos; Pedro Carmona, Thomaz e Hugo Almeida (Lúcio Flávio). Técnico: Guilherme Alves

Árbitro: Gilberto Rodrigues Castro Júnior (PE)

Assistentes: Francisco Chaves Bezerra Júnior (PE) e Bruno Cesar Chaves Vieira (PE)

Cartões amarelos: Rafael Dumas, Leandro Leite e Luiz Eduardo (Brasil de Pelotas); Maicon Silva, Guilherme Teixeira e Jonathan (Paysandu)

Local: Estádio Bento Freitas, em Pelotas (RS)

Por Fábio Relvas – Foto: Fernando Torres / Ascom Paysandu

Futebol

Brasil de Pelotas surpreende, vence o Paysandu dentro da Curuzu e ultrapassa o time paraense na Série B

O segundo tempo do jogo foi até aos 65 minutos devido ao apagão dos refletores do estádio Leônidas Castro. Com o resultado, o Papão agora é o 11º colocado.
Continua depois da publicidade

Por Fábio Relvas – Foto: Fernando Torres / Paysandu

Mais de 11 mil torcedores do Paysandu foram ao estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém, na tarde deste sábado (11/11), para ver o Papão confirmar de vez sua permanência na Série B em 2018. Mas o time bicolor decepcionou sua fiel torcida e perdeu para o Brasil de Pelotas-RS pelo placar de 3 a 2.

O Xavante saiu na frente com o lateral-direito Ednei em cobrança de falta aos 23 minutos do 1º tempo. O Paysandu chegou ao empate com o atacante Bergson, aos 45 minutos da primeira etapa. O time do técnico Clemer surpreendeu na segunda etapa e o atacante Cassiano marcou duas vezes, aos 13 e aos 46 minutos. O Papão chegou a diminuir o placar com o atacante Juninho aos 59 minutos. O árbitro Rodrigo Batista Raposo do Distrito Federal teve que paralisar a partida devido a um apagão nos refletores do estádio da Curuzu e acrescentou 20 minutos além do tempo regulamentar. A partida foi válida pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

Com a derrota, o Paysandu caiu uma posição e agora é o 11º colocado com 45 pontos, enquanto que a vitória deixou o Brasil de Pelotas com a mesma pontuação em 10º lugar devido ao critério de desempate. O Xavante tem uma vitória a mais que o Paysandu na competição nacional, 13 a 12. O time paraense volta a campo contra o Ceará-CE na próxima terça-feira (14/11), às 20h30, na Arena Castelão, em Fortaleza.

O jogo: Papão 2 x 3 Xavante
O Paysandu tentou impor um ritmo forte de jogo e começou em cima. Após cobrança de falta de Diogo Oliveira, o zagueiro Perema subiu de cabeça, mas mandou por cima da meta de Marcelo Pitol. No lance seguinte, Bergson recebeu, girou e chutou, a bola foi para fora. O Brasil de Pelotas, muito tímido na partida chegou no chute de Calyson, mas mandou sem perigo contra a meta de Emerson.

Quem assustou mesmo foi o Papão. Após uma sobra de bola na área, o lateral-esquerdo Guilherme Santos mandou um chute forte cruzado, que passou raspando a meta do goleiro Marcelo Pitol. O Xavante poderia chegar em bola parada e foi o que aconteceu. O lateral- direito Ednei cobrou uma falta na área, o goleiro Emerson falhou e a bola foi diretamente para o fundo do barbante bicolor, aos 23 minutos do 1º tempo, 1 a 0 para a equipe gaúcha.

O Paysandu deu o troco na mesma moeda. Diogo Oliveira cobrou falta e o goleiro Marcelo Pitol afastou o perigo metendo um soco na bola. Bergson tentou surpreender de fora da área, mas errou o alvo e mandou para fora. O time visitante chegou com o volante Itaqui que tentou marcar e chutou mal, torto sem direção. Ayrton recebeu na área e mandou um chute forte para a boa defesa do goleiro do Xavante que salvou para escanteio.

O Papão era blitz total em busca do empate. Guilherme Santos cruzou para a cabeçada de Bergson, o goleiro Marcelo Pitol operou um verdadeiro milagre na Curuzu e salvou mais uma vez sua equipe. O meio-campo Calyson recebeu e tentou marcar para os visitantes, mas Emerson defendeu com uma certa tranquilidade. O atacante Bergson recebeu, arrancou e mandou forte para o gol, a bola passou perto.

O gol do Paysandu era uma questão de tempo, um verdadeiro bombardeio bicolor. Bergson recebeu cruzamento da esquerda e mandou de cabeça, a bola passou pertinho da meta do Xavante. Até que aos 45 minutos, outro cruzamento na área, desta vez Guilherme Santos mandou certeiro na cabeça do artilheiro Bergson, que subiu no meio da zaga adversária e mandou para o fundo do gol, tudo igual na Curuzu, 1 a 1.

No intervalo, o técnico Clemer substituiu o goleiro Marcelo Pitol, que saiu machucado e colocou em seu lugar Carlos Eduardo. Logo aos dois minutos da etapa final, Ayrton fez uma grande jogada e mandou uma bomba, o goleiro Carlos Eduardo fez boa defesa mostrando segurança na meta. Após o susto, o Brasil de Pelotas chegou lá mais uma vez. Misael fez boa jogada na área e cruzou para o atacante Cassiano, que ganhou da marcação e correu para o abraço, 2 a 1 Xavante, aos 13 minutos, calando novamente a Curuzu.

O Papão não sentiu o gol adversário e voltou a pressionar. Após cobrança de falta de Guilherme Santos, o goleiro cortou e a bola ficou pingando dentro da área, até que o zagueiro Leandro Camilo afastou o perigo. Em um escanteio cobrado por Guilherme Santos, o zagueiro Perama subiu firme e testou para baixo, a bola tocou no gramado e passou por cima da meta de Carlos Eduardo.

Só dava Papão. Em outra cabeçada de Perema, a zaga afastou em cima da linha. O Paysandu teve tudo para empatar, depois da cobrança de escanteio, a bola passou de Carlos Eduardo e sem goleiro, o atacante Juninho cabeceou para fora, enlouquecendo a Fiel Bicolor na Curuzu. O desespero começou a bater e o atacante Magno Ribeiro mandou um chute muito longe da meta adversária.

Aos 30 minutos, o árbitro Rodrigo Batista Raposo do Distrito Federal, paralisou a partida devido a um apagão nos refletores do estádio Leônidas Castro, a Curuzu. Depois de 15 minutos de paralisação o jogo recomeçou aos 45 minutos. O volante João Afonso do Brasil de Pelotas
arriscou de fora da área, a bola desviou no zagueiro Perema e sobrou limpa para o atacante Cassiano, que com muita tranquilidade tirou do alcance do goleiro Emerson e correu para o abraço, marcando o seu segundo gol no jogo, aos 46 minutos, 3 a 1 Xavante. O árbitro deu 20 minutos de acréscimo devido o tempo que o jogo ficou parado. O Paysandu se espertou e marcou o segundo gol. Após cruzamento da direita, a bola sobrou para o atacante Juninho, que não desperdiçou e diminuiu aos 59 minutos. Apesar de ter um tempo para buscar o empate, o time bicolor não conseguiu chegar e o placar final ficou em 3 a 2 para o Brasil de Pelotas.

FICHA TÉCNICA

Paysandu: Emerson; Ayrton, Perema, Diego Ivo (Rafael Dumas) e Guilherme Santos; Renato Augusto, Augusto Recife, Rodrigo Andrade (Juninho) e Diogo Oliveira (Magno); Caion e Bergson. Técnico: Marquinhos Santos.

Brasil de Pelotas: Marcelo Pitol (Carlos Eduardo); Ednei, Leandro Camilo, Teco e Breno; Leandro Leite, Itaqui (João Afonso) e Calyson (Aloísio); Cassiano, Lincom e Misael. Técnico: Clemer.

Árbitro: Rodrigo Batista Raposo-DF

Assistentes: José Reinaldo Nascimento Júnior-DF e Daniel Henrique da Silva Andrade-DF

Cartões amarelos: Edinei e Lincom (Brasil de Pelotas)

Gols: Ednei aos 23 minutos do 1º tempo para o Brasil de Pelotas; Bergson aos 45 minutos do 1º tempo para o Paysandu; Cassiano aos 13 e 46 minutos do 2º tempo para o Brasil de Pelotas; Juninho aos 59 minutos do 2º tempo para o Paysandu.

Local: Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém

Renda: R$ 147.720,00

Pagantes: 8.359 – Sócio Bicolor: 1.841 – Credenciados: 1.480 – Total: 11.839