Caso Jones William: Queima de arquivo segue em Tucuruí. Agora já são sete os mortos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A cidade de Tucuruí voltou a viver, neste fim de semana, cenas de pistolagem, quando o empresário Francisco Valcione Soares de Souza, mais conhecido como “Chico do Getat”, e o segurança de um bar, Silvano Fernandes Barbosa, que tentou defende-lo, foram vítimas de execução sumária, após ter sido perseguido pelos atiradores. Valcione era uma das testemunhas do assassinato do então prefeito Jones Williams da Silva Galvão, eliminado por pistoleiros em 25 de julho do ano passado. De lá para cá, com este último, já foram sete assassinatos de pessoas que testemunharam ou têm alguma relação com a execução do prefeito.

Valcione e a mulher dele trafegavam de moto por uma das vias de Tucuruí, quando este percebeu que estava sendo seguido por outra moto. Ao entrar na Rua 3 de outubro, no Bairro Jardim Colorado, ele foi alvo dos primeiros disparos, mas resistiu, correu e entrou no “Mesa de Bar”, onde o segurança do estabelecimento, Silvano, ainda tentou conter os pistoleiros, mas também foi atingido com o tiro no peito e, minutos depois, morreu no Hospital Regional de Tucuruí.

Com o segurança fora do caminho, os atiradores completaram o “serviço” e deram o tiro de misericórdia em Valcione. A mulher dele, cujo nome não foi divulgado, também sai ferida a bala, em uma das mãos e não corre perigo de morte. A Polícia Civil já teria ouvido ele em depoimento a respeito da morte do prefeito.

Outras mortes

Em 10 de outubro do ano passado, menos de três meses após a execução de William, quatro pessoas, que teriam ligação com o prefeito assassinado e supostamente detinham informações sobre o crime, desapareceram misteriosamente, como numa nuvem de fumaça, ao retornarem de Marabá para Tucuruí, sem que se ouvisse falar mais delas.

Elden Guimarães Rodrigues, Edivaldo Guimarães Rodrigues, Ruan Carlos Rodrigues da Silva e Leivaldo Braga da Silva nunca mais foram vistos pelos familiares. A suspeita é de que todos tenham sido raptados e assassinados.

Menos de um mês antes, em 6 de setembro, por volta das 7h30, Ibervan Aquino dos santos, conhecido como “Pouca Sombra”, foi executado a tiros na Rodovia Transcametá, já próximo Tucuruí. À noite, cerca de 22h30, o empresário e pecuarista José Davi, foi executado com vários tiros na Rodovia BR 422, quando retornava para uma vila próxima ao Sitio Deus é Grande.

Os dois assassinatos aconteceram menos de 24 horas depois da prisão do pistoleiro Bruno Marcos de Oliveira, matador do prefeito Jones William, executado a tiros no dia 25 de julho. Na época, as investigações apontaram que as duas mortes também tinham ligação com o crime.

Veja outros casos

Por Eleutério Gomes – Correspondente em Marabá

2 comentários em “Caso Jones William: Queima de arquivo segue em Tucuruí. Agora já são sete os mortos

Deixe seu comentário

Posts relacionados

%d blogueiros gostam disto: