CÂMARA MUNICIPAL – SESSÃO 14/11/2008

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A sessão da Câmara Municipal de Paraupebas de hoje (14) foi muito produtiva:
Grande expediente:
Usou a palavra o Vereador Wanterlor Bandeira (PT). Essencialmente sua fala foi para demonstrar preocupação com a crise financeira mundial que assola o mundo e que chega agora em nosso município. Comentou:

  • que empresas como a Júlio Simões e Engepar já anunciaram a demissão de cerca de 50% dos funcionários ainda para este ano;
  • que a Vale não fechou ainda nenhum contrato na carteira de comodites para 2009 o que acarretará uma perda muito grande na receita do município para os próximos anos;
  • que a vantagem da reeleição é que o prefeito pode começar o novo mandato antes mesmo do término do primeiro, para tanto cobrou energicamente que a PMP diminua a máquina pública através de uma melhor aplicação dos recursos, reduzindo custos e demitindo os funcionários fantasmas que oneram a folha de pagamento da Prefeitura que hoje alcança a cifra de R$11 milhões de reais;
  • mencionou a preocupação com a criação de novas fontes de renda no município, formando assim uma cadeia econônica descompatibilizada da Vale;
  • denunciou que foram gastos aproximadamente 300 milhões de reais na atual gestão equivocadamente, com a contratação de pessoal, maquinários desnecessários e a manutenção da máquina pública;
  • comentou sobre a criação da Sefem;
  • comentou que as novas minas que agora começam a produzir estão fora do município de Parauapebas e que isso mostra um futuro pouco promissor para o município.
  • pediu sensatez e humildade ao gestor para preparar o município para a crise, inclusive com qualificação de pessoal.
Foi aparteado em seu pronunciamento pelos vereadores:

Adelson (PDT) – comentou que o município deve criar alternativas para a matriz econômica, hoje dependemos exclusivamente da Vale.
Juca (PSDB) – comentou a criação da secretaria de Relações Institucionais, alegando que isso mudará a relação do município com a Vale. Disse ainda que nos vinte anos do município, nada foi construído de alternativa de receitas.
Creuza (PMDB) – solicitou do gestor que fossem elaboradas cartilhas a serem distribuídas à população, mostrando e alertando a situação de crise e ajudando às famílias a se planejarem melhor para a crise, tudo isso poderia ser feito com a união das secretarias de Educação, Mulher, Desenvolvimento e outras.
Ávila (PMDB) – comentou que foi muito discutido na Câmara durante o mandato a questão da segurança. Disse que agora esse tema deverá ter uma atenção triplicada pois, a persistir a intenção das empresas de demitir, com tantos desempregados, o desespero vai levar esse tema a níveis caóticos.
Ordem do dia
Para a ordem do dia foram aprovadas as prestações de contas de Meire Vaz (DEM), quando estava à frente do Fundo Municipal de Assistência Social – ano 2003, com a ressalva de que a mesma deverá recolher aos cofres públicos a importância de R$300,00. O relator foi o Vereador Euzébio (PT).
Foi também aprovada a prestação de contas da gestão Darci Lermen (PT) – ano 2005. O relator foi o Vereador Euzébio (PT) e seus pares aprovaram o relatório, que gerou receita de aproximadamente R$200 milhões, por unanimidade.
Comunicação final
Usando a palavra o Vereador Euzébio (PT) convidou os membros da Casa para uma palestra sobre doenças endêmicas que será realizada entre o dia 01 e 05 de Dezembro em nosso município.
Wanterlor (PT) registrou a presença do Sr. Wolner, eleito para o cargo de vereador nas últimas eleições; cobrou o descaso do DMTT para com a situação da Praça M. Gandhi, alegando que os sinais de trânsito não sendo respeitados; denunciou que a lanchonete Opção no bairro da Paz, privatizou a rua, incorporando as vias públicas ao seu território; disse que o instrumento do vereador é a voz, o do prefeito são as ações.
Creuza (PMDB) solicitou um maior rigor por parte da Secretaria de Urbanismo no tocante à fiscalização das obras que estão sendo realizadas na Chácara do Sol e da Lua. Montes de terras deixados no meio da rua estão servindo de esconderijo para os assaltantes.
Nada mais havendo, a vereadora Creuza (PMDB) encerrou os trabalhos agradecendo a presença de todos e convidando desde já para a próxima sessão.

Deixe seu comentário

Posts relacionados