Altamira: Primos que estavam desaparecidos são encontrados mortos

Os corpos foram localizados no início da manhã de domingo (26), nas margens da Rodovia BR-230 (Transamazônica), ao lado de uma moto, e apresentavam sinais de perfurações de bala
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Os primos João Marcos e Rafael Lira, ambos de 13 anos de idade, desaparecidos desde o último sábado (25), tiveram seus corpos encontrados neste domingo (26). Os cadáveres apresentavam sinais de tiros e estavam em um matagal próximo ao Cemitério São Sebastião, no município de Altamira, sudoeste do Pará.

Conforme informações das autoridades policiais, as vítimas foram localizadas no início da manhã de domingo, nas margens da Rodovia BR-230 (Transamazônica), ao lado de uma moto. Ambos apresentavam sinais de perfurações de bala. Os primos desapareceram na noite de sábado, quando retornavam do Bairro Buriti, tendo como destino o centro da cidade. 

Familiares registraram o desaparecimento dos adolescentes na Seccional Urbana de Altamira. Policiais, ainda na noite de sábado, fizeram varreduras pela área do desaparecimento, mas nada foi encontrado e nenhuma pista havia sido coletada, até a manhã seguinte, quando os corpos foram encontrados por populares. 

As polícias Civil e Militar fizeram o isolamento do local do crime e iniciaram as diligências para identificar os autores. Uma equipe do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPCRC) fez a perícia criminal e a remoção dos corpos para o Instituto Médico Legal (IML), de onde foram liberados para a família.

Foi constatado pelos militares que os adolescentes não tinham passagem pela polícia. Moradores disseram que um deles frequentava um programa social de futebol desenvolvido no município, e que teria participado de atividades no dia em que desapareceu.

Diante do mistério das mortes dos jovens, as autoridades policiais pedem que qualquer informação que possa ajudar na identificação e localização dos autores do crime seja repassada à polícia via Disque-Denúncia (181), Centro Integrado de Operações – Ciop (190) ou pelo Whatsapp da atendente virtual Iara – (91) 98115-9181. As ligações são gratuitas e o sigilo é garantido.

(Paulo Francis)