AEROPORTO DE CARAJÁS

Continua depois da publicidade

O Aeroporto de Carajás foi construído pela Companhia Vale do Rio Doce (CVRD), hoje VALE, em 1981, homologado pela Portaria n.° 164/SOP, de 23 de setembro de 1982, e transferido para o Ministério da Aeronáutica, atual Comando da Aeronáutica, em 12 de março de 1985. Foi absorvido pela Infraero em 05 de março de 1985.
Hoje o aeroporto é atendido com vôos das Companhias Aéreas PUMA, SETE e TOTAL, não recebendo mais vôo de aviões de grande porte.

Isso é um absurdo pois uma cidade com mais de 150 mil habitantes como Parauapebas, não é atendida com grandes aeronaves.

Qual o motivo deste descaso?

O Aeroporto de Carajás tem ótima estrutura, uma áerea de 2.872.956,65 m2, um pátio de 16.000 m2, uma pista de 2000 x 45 metros, um terminal de 833 m2, segundo a Infraero, capacidade de 120.000 passageiros/ano, estacionamento para 70 veículos e para 32 aeronaves. É uma grande estrutura para ser deixada de lado !

O Parauapebense, assim como os cidadãos de Canaã dos Carajás, Curionópolis e Eldorado dos Carajás merecem mais respeito por parte das autoridades! Ter que se deslocar 170 quilômetros até Marabá e em horários que parecem brincadeira toda vez que se precisa usar esse tipo de locomoção é verdadeiramente um absurdo. Sem contar que a reabilitação do aeroporto traria mais geração de divisas, empresas de táxi, locadoras, alimentação e hotéis certamente ficariam aliviadas com essa conquista.

Precisamos urgentemente reabilitar o aeroporto de Carajás, cobrar de empresas como a TAM e GOL para que mantenha pelo menos um vôo diário com aviões de grande porte. Tenho certeza que há demanda para isso.