ACIP e SEBRAE realizam segundo Encontro Empresarial

Cerca de 50 funcionários e empresários de diversos segmentos participaram nesta quinta-feira (26) do segundo encontro desenvolvido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) no auditório …

pebinhaaaaaaaaaaaa

Cerca de 50 funcionários e empresários de diversos segmentos participaram nesta quinta-feira (26) do segundo encontro desenvolvido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) no auditório da Associação Comercial, Industrial e Serviços de Parauapebas (ACIP).

“O objetivo deste encontro é esclarecer dúvidas comuns em todos os ramos empresariais. O tema do primeiro encontro foi direitos e deveres trabalhistas, hoje falamos especificamente sobre tributação”, explicou Nilo Rodrigues Ferreira, diretor da ACIP e empresário no setor alimentício.

 O SEBRAE dispôs de dois contadores especializados para responder as questões apresentadas relacionadas ao tema. Os grupos foram divididos em duas turmas: uma das 17:00 às 19:30 horas e outra das 19:40 às 22:10.

“A base destes encontros é trocar experiências. Vamos trazer mais programas para o empresariado, como o SEBRAETEC, que é uma forma rápida e econômica de levar inovação para dentro do pequeno negócio”, declarou Maria de Jesus Barbosa, gerente substituta da Unidade de Indústria.

De acordo com a gerente, o próximo encontro deve acontecer no início de agosto, a data depende da agenda dos especialistas convidados.

Aline Oliveira é psicóloga e revela não entender quase nada sobre administração. “A questão de tributos causa muita burocracia. O que aprendemos nesses encontros ajuda consideravelmente na resolução dos problemas, refletindo assim na lucratividade”, comentou.

“Esses encontros têm caraterísticas diferentes de treinamento, tornando assim mais informal. Lamentamos apenas o pequeno número presentes. Gostaria de convidar os empresários para participar das reuniões, essa é uma grande oportunidade de aprendizado”, disse Maria de Jesus.

Os interessados devem se inscrever na agência do SEBRAE que fica na Rua E, 481, bairro Primavera.

Oriovaldo Mateus, atual presidente da ACIP, organizadora do evento em parceria com o SEBRAE, diz que a entidade empresarial está fazendo o seu papel em aproximar mais seus sócios de programas e palestras que tem uma importância fundamental no dia-a-dia. “A ACIP vem trabalhando sempre em prol de nossos associados e sempre estaremos preocupados com assuntos dessa natureza, afinal, a ACIP tem um papel muito importante no ramo comercial e industrial de nosso município”, relatou Mateus.

 

 

 

 

3 comentários em “ACIP e SEBRAE realizam segundo Encontro Empresarial

  1. Coach Responder

    É fato que a cidade de Parauapebas ainda é uma cidade sem uma identidade cultural, atraindo ao longo dos anos forasteiros, oportunistas, comerciantes, ou seja, é Meca dos empreendedores.

    Também ocorre que ao longo desses anos, qualquer peão vendo que abrir uma loja, ou qualquer barraca ganharia dinheiro, e muitos hoje são os empresários da cidade, uns com suas lojas, outros com suas oficinas mecânicas, e por ai vai. A demanda maior que a oferta enriqueceu os peões ganharam rios de dinheiro, e se proliferam. Nunca esses ” empreendedores” se preocuparam em se educar, se profissionalizar, pra eles bastavam abrir as portas de qualquer boteco e vender paneladas de comida para os fregueses, pois estes chegavam aos montes e claro, nunca existiu a necessidade de se qualificar, se profissionalizar, oferecer qualidade, trabalhar legalmente, pois o que valeria era a esperteza.

    Nos últimos anos o mercado vem passando por uma transformação que assusta esses antigos burgueses. A chegada das redes varejistas,franquias, shoppings, etc. Dizer que a cidade passa por uma crise é pura falácia, o que ocorreu é que o consumidor tem hoje muito mais opção de compra em todos os sentidos, como por exemplo, eu que só compro roupas, livros, calçados, produtos pela internet ao conforto de minha casa e espero de três a cinco dias,e recebo minhas compras com um preço bem aquém dos praticados na cidade.

    Outro fator que diz respeito ao abuso de muitos oportunistas foi construir condomínios, casas e alugarem a preços de bairros ricos de Copacabana, um abuso que hoje esses locatários estão com seus imóveis vazios e sem condôminos, como por exemplo o aluguel de um apartamento que só vale R$ 700,00 é alugado por R$ 2.000,00.

    Então o mercado de Parauapebas continua mais competitivo e só vai ficar quem realmente mostrar qualidade, competência, profissionalismo, e principalmente respeito pelo consumidor. Pagar dignamente um funcionário sem explorá-lo, dar-lhe boas condições de trabalho, treinamento, qualificação, estar quite com as obrigações da CLT. Não temos crise nenhuma para quem está oferecendo qualidade e preços justos. A crise é para esses peões aproveitadores.

  2. Empreendedor Local Responder

    Esta história da ACIP e o SEBRE está um pouco atrasada a crise de gestão empresarial aqui em Parauapebas vem se agravando desde 2013 quando se encerrou o ciclo e implantação do complexo serra norte pela Vale !
    Eles não planejaram seus investimentos , não reavaliaram seus planos de negócios adequado a novos tempos e agora querem entender o que aconteceu !
    Simples faltou planejamento !
    Não tem espaço para esperteza !
    Quem não gerenciar com eficiência custos e despesas vai desaparecer !
    Novos tempos !

  3. Empreendedor Local Responder

    Esta espécie em Parauapebas está cada vez mais raro !
    A filósofo empreendedora aqui em Parauapebas é confundida bom esperteza e isto norteia o comportamento empresarial !
    Foi o tempo onde bastava ter um ponto comercial ou melhor um lote de esquina que se abria um comércio não era feito um plano de negócio , uma pesquisa de mercado , uma análise da relação procura x oferta tinha freguês era o que importava todos usavam a intuição e realizavam o sonho de tocar seu próprio negócio .
    Muitos foram aprendendo com os erros e acertos e pagaram caro por isto ,hoje vão sobreviver aqueles que investir em treinamentos para seus empregados ,legalizar suas situações trabalhistas cumprir a CLT , gerenciar custos , pagar impostos , cumprir seu papel social , honrar compromisso , participar das associações de classe e deixar de quer levar vantagens explorando os clientes , pagar impostos e deixar de haja que é mais esperto que outros !
    Respeitar o freguês este é seu maior patrimônio !
    Não tem toque mágico ! Muitos irão deixar de existir cometendo os mesmos erros !
    Correr risco é parte do negócio !

Deixe seu comentário