A HISTÓRIA DA COCA-COLA

Continua depois da publicidade

Em 1886, enquanto a Estátua da Liberdade é erguida em Nova Iorque, John Pemberton, um farmacêutico de Atlanta, cria uma bebida que se tornaria outro grande símbolo americano.

Assim como outros inventos que entraram para a história, a criação de Pemberton é motivada pela curiosidade. O farmacêutico, que adorava manipular fórmulas medicinais, ao pesquisar a cura para dores de cabeça faz uma mistura líquida de cor caramelo. Leva a mistura para uma farmácia, a Jacob’s Pharmacy, onde o xarope, misturado à água carbonatada (gasosa), é oferecido aos clientes, que consideram a bebida muito especial. A farmácia coloca o copo do produto à venda por US$ 0,05.

800px-coca-cola_logo_svg1 

Frank Robinson, contador de Pemberton, batiza a bebida de Coca-Cola, escrevendo o nome em sua própria caligrafia. Desde então, o nome Coca-Cola é escrito da mesma maneira. E a data oficial de nascimento da Coca-Cola fica sendo 8 de maio de 1886  – data em que foi lançada na Jacob’s Pharmacy.

Nos primeiros anos são vendidos aproximadamente 9 copos (237 ml) de Coca-Cola por dia. Um século depois, a empresa The Coca-Cola Company já havia produzido mais de 38 bilhões de litros apenas do xarope. Infelizmente, Pemberton era mais um inventor do que homem de negócios. Sem ter idéia de que inventara um produto que viria a ser um sucesso mundial, em 1891, ele vende a empresa para Asa Griggs Candler, por aproximadamente US$ 2.300,00. Candler torna-se o primeiro presidente da companhia e o primeiro a dar real visibilidade ao negócio e à marca.

A Coca-Cola leva mais de meio século para chegar ao Brasil. Sua entrada no país é histórica: chega em 1942, em um esforço de guerra determinado por Robert Woodruff, presidente da Coca-Cola Company na época.

Durante a II Guerra Mundial, ele assegurou aos soldados norte-americanos que, onde quer que estivessem, poderiam tomar uma Coca-Cola gelada pelo mesmo preço  – 5 cents.Foi assim que a Coca-Cola desembarcou em Recife-PE que, junto com Natal-RN, formaram o “Corredor da Vitória”, uma parada obrigatória de todos os navios que rumavam para a Europa em guerra.

Com a Coca-Cola, pouco a pouco os brasileiros adquirem o hábito de tomar bebidas geladas. O que era um tabu até então, pois se acreditava que alimentos ou bebidas gelados atacavam a garganta e provocavam gripe.

O escritor Guilherme Figueiredo, publicitário da McCann Erikson na época, cria um dos primeiros slogans brasileiro para a marca: Coca-Cola borbulhante, refrescante, 10 tostões.

Hoje a marca “Coca-Cola” é a mais valiosa do mundo, avaliada em US$ 65,234 bilhões.