Parauapebas perde para o Paysandu na decisão por pênaltis e se despede do Parazão 2015. Apesar da eliminação o Trem de Ferro tem o que comemorar.

Por Fábio Relvas

 

papao_e_pebas

Com um público decepcionante, Paysandu e Parauapebas decidiram à outra semifinal do 2º turno do Parazão na noite desta quarta-feira (22), no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. A partida terminou sem gols e a vaga foi decidida nas cobranças de pênaltis. Melhor para o Papão que venceu, por 4 a 3, e garantiu presença na final. Remo e Paysandu decidem o título no próximo domingo (26).

Campanha e vagas

Apesar da eliminação, o Parauapebas Futebol Clube conseguiu duas vagas em competições nacionais: Copa Verde e Copa do Brasil de 2016. Um grande feito para um time que iniciou sua trajetória na elite do Parazão este ano. A campanha do PFC ainda deixou a equipe na liderança do Campeonato Paraense até o momento com 22 pontos.

O jogo: emoção até o fim

A partida começou com os adversários se estudando e muito truncada no meio de campo, com isso algumas faltas foram cometidas. O Parauapebas teve tudo para marcar depois que Juninho lançou bem na esquerda para o atacante Magno, que driblou o zagueiro William Alves e sozinho chutou por cima. O Trem de Ferro chegou mais uma vez após um escanteio pela esquerda, a bola ficou pingando dentro da área, mas a zaga bicolor conseguiu cortar antes da chegada de Negretti.

O Paysandu tinha mais posse de bola, mas não conseguia levar perigo. Depois de um escanteio, a bola foi cabeçada para o gol e Paulo Rafael fez boa defesa. O Parauapabas tocava bem a bola e Dedeco resolveu arriscar, mas foi longe do gol. Juninho arrancou pela direita, ganhou da marcação e cruzou rasteiro, Emerson salvou o bicola. A torcida do Papão começou a pressionar o time.

Em outra invertida do Paysandu, Carlinhos tentou acertar de longe, mas a bola passou por cima da meta. Os jogadores do Papão saíram para os vestiários debaixo de vaias da Fiel Bicolor devido o placar em branco. No segundo tempo o Papão tentou colocar pressão, mas esbarrou na marcação. Em um escanteio quase o atacante Aylon marcou de cabeça, a bola passou perto.

O Paysandu chegou mais uma vez com Bruno Veiga que recebeu lançamento, se livro da marcação e chutou forte, a bola tocou na rede pelo lado de fora. A torcida do Papão chegou a gritar gol. Foi o último lance do atacante Bruno Veiga, que foi expulso momentos depois. O Trem de Ferro envolveu os bicolores em uma triangulação, quando a bola chegou ao atacante Danúbio, que chutou cruzado, a bola foi cortada pelo zagueiro Marquinhos.

Sem forças, as duas equipes pouco chegaram e a decisão foi para os pênaltis. O Papão conquistou a vaga vencendo por 4 a 3. Os bicolores marcaram com: Souza, Radamés, Yago Pikachu e Carlinhos e o Trem de Ferro converteu com: Juninho, Fabiano e Gustavo. Fim de linha para o Trem de Ferro.

Foto: Cezar Magalhães

Resultado da Mega-Sena 1697–Acumulou

image

image

Ministério Público obtém quebra do sigilo fiscal e bancário de 15 vereadores marabaenses, por suspeita de "mensalinho"

O Ministério Público do Estado, através da 11ª Promotoria de Justiça de Defesa da Probidade Administrativa, continua a investigar a denúncia da existência de um “mensalinho” na Câmara Municipal de Marabá, no período de 2009-2012, cujo prefeito, à época, era Maurino Magalhães de Lima.

A denúncia do Prefeito João Salame Neto repercutiu na imprensa local, já que a declaração foi em evento público onde estavam presentes agentes de trânsito e integrantes da Guarda Municipal da Prefeitura de Marabá, o que ocasionou a instauração de inquérito civil pelo Ministério Público para apuração de enriquecimento ilícito dos vereadores.

O Inquérito civil foi instaurado a partir de denúncia feita pelo prefeito João Salame Neto, tão logo assumiu a Prefeitura de Marabá, em janeiro de 2013, de que tinha visto uma relação de nomes de vereadores que recebiam dinheiro do Prefeito Municipal anterior em até 40 mil reais.

A apuração ganhou novo impulso a partir da quebra sigilo fiscal e bancário dos vereadores da legislatura passada. São eles: Alécio Stringari, Antônio Hilário, Vanda Américo, Leodato Marques, Irismar Araújo, Gerson do Badeco, Antônia Carvalho, Edivaldo Santos, Ronaldo Batista Chaves, Nagib Mutran Neto, Júlia Rosa, Miguel Gomes Filho, Regivaldo Carvalho, Ismaelka Queiroz e Ronaldo Alves Araújo. Dois deles, Leodato Marques e Regivaldo Carvalho assumiram o cargo provisoriamente, como suplentes. Já Antônio Hilário, Ismaelka Queiroz e Ronaldo Alves Araújo, não se reelegeram para a atual legislatura; os demais conseguiram a reeleição.

“Em razão da quebra do sigilo fiscal e bancário dos vereadores mencionados, o Ministério Público determinou nova oitiva dos envolvidos, a fim de prestarem esclarecimentos a respeito das novas informações obtidas pelo MP. Já foram ouvidos até agora o vereador Alecio Stringari e o ex-vereador Antônio Hilário, o Antônio da Ótica”, relatou o promotor de Justiça Júlio César Sousa Costa.

Nas próximas semanas serão ouvidos os vereadores Vanda Américo, Leodato Marques, Irismar Araújo, Gerson do Badeco, Antônia Carvalho, Edivaldo Santos, Ronaldo Batista Chaves, o Ronaldo Yara, Nagib Mutran Neto, Júlia Rosa, e os ex-vereadores Ismaelka Queiroz e Ronaldo Alves Araújo, o Ronaldo da 33. Os que já foram ouvidos estão obtendo o prazo de 120 dias para apresentar documentos que comprovem a origem legal dos valores que movimentaram entre os anos de 2009 e 2012, diante de alguma inconsistência detectada.

Fonte: 11ª Promotoria de Justiça de Defesa da Probidade Administrativa de Marabá.

Parauapebas forma primeira turma do Projovem Campo – Saberes da Terra

Sem estudar há 15 anos, o agricultor Francisco Valdinei, 43 anos, viu no Programa Projovem Campo – Saberes da Terra -, a oportunidade de concluir o ensino fundamental e desenvolver sua habilidade de elaborar poemas. “Hoje, me sinto vitorioso com essa conquista. Já penso em concluir o ensino médio”, comentou o agricultor que faz parte da primeira turma do programa em Parauapebas.

image_largehh

Ao todo, 26 anos alunos receberam o certificado de conclusão do ensino fundamental em cerimônia realizada no último dia 17 que contou com a presença de autoridades e familiares. O programa do Governo Federal, desenvolvido em parceria com a Secretaria Estadual de Educação (Seduc), Secretaria Municipal de Educação (Semed) e Coordenadoria Municipal da Juventude (CMJ), beneficiou as comunidades de Palmares Sul e II.

O coordenador municipal do programa, Cláudio Sinfrônio, explica como funciona a iniciativa. “O programa teve duração de dois anos com aulas teóricas e práticas para alunos de 18 a 29 anos. Além de concluir o ensino fundamental, o aluno também recebe certificado de técnico agrícola. No período de formação, recebe por bimestre uma bolsa no valor de R$ 100, além de transporte, alimentação e suporte para criar um projeto agrícola”, explica o coordenador.

_MG_3086

A moradora de Palmares Sul, Rilma Carneiro, 27 anos, expressou sua alegria com a mais recente conquista. “Foi uma oportunidade única na minha vida, depois de cinco anos sem estudar, concluí o ensino fundamental. Gostei muito de aprender a mexer com terra e plantar, agora quero trabalhar nessa área, plantando e ajudando o meio ambiente”, disse a dona de casa.

De acordo com o coordenador municipal da Juventude, Shirlean Rodrigues, o programa terá continuidade no município. “Estamos preocupados com nossos jovens. Não podemos desistir, a educação é base de tudo. Vamos ampliar o programa para outras comunidades da zona rural”, garantiu.

O chefe de gabinete, Gilmar Moraes, ressaltou a sensibilidade do Governo Municipal na questão da educação e incentivou os concluintes a continuarem os estudos. “Estudem, leiam, sejam poetas, desenvolvam a intelectualidade, a educação pode mudar a história de cada um de vocês. O que depender do governo para desenvolver a educação em Parauapebas será feito”, concluiu Gilmar

Texto: Ascom/PMP – Fotos: Irisvelton Silva

Semma agiliza o CAR–Cadastramento Ambiental Rural

CARUm dos trabalhos mais importantes que está sendo realizado pela Secretaria de Meio Ambiente-Semma, é o Cadastro Ambiental Rural-CAR. É o empenho dos técnicos que realizam ações de campo no município objetivando, ainda, inserir Parauapebas no rol dos chamados Municípios Verdes no Pará. São aqueles que passarão a desenvolver atividades produtivas sustentáveis de baixa emissão de carbono e alta responsabilidade social e ambiental.

A inscrição no CAR é obrigatória para todos os imóveis rurais, sejam eles públicos ou privados existentes no município, tudo de acordo com o que dispõe a Lei 12.651 de 25 de maio de 2012, instrumento estratégico para a redução do desmatamento, objetiva ainda o monitoramento, controle, e o planejamento econômico  ambiental.

Apesar de obrigatória essa inscrição, os técnicos da Semma observam que a iniciativa deve partir do produtor.  Será de fundamental importância para garantir a segurança jurídica da uma propriedade, além de outras vantagens. Auxilia no processo de regularização ambiental, destaca a delimitação das áreas de proteção permanente (APP), reserva legal (RL) e remanescentes de vegetação nativa, comparado a um mapa original a partir do qual são calculados os valores das áreas para diagnóstico ambiental.

Para o secretário de Meio Ambiente, Gesmar Costa, “todos os esforços no sentido do trabalho do CAR ser bem realizado no município estão sendo tomados. Pois interessa para todos nós que as propriedades em Parauapebas sejam perfeitamente reconhecidas pelo que dispõe a lei que dá proteção à vegetação nativa, dentre outras vantagens, sempre do interesse do produtor”, assegurou. Gesmar ainda alerta os proprietários sobre as consequências que a falta do CAR pode trazer para aqueles que não fizeram a sua devida inscrição: “já que o cadastro é uma exigência da lei ambiental, uma das mais graves consequências é a de mercado. Por exemplo: a venda de gado para frigoríficos, os devidamente reconhecidos exigem que o produtor seja inscrito no CAR”, enfatizou. Disse ainda que a SEMMA está de portas abertas para atender os proprietários em Parauapebas e que, os técnicos do CAR, estão à disposição todo tempo para a boa realização dos esforços de inscrição. (CAR/Deptº Comunicação/Semma).

Inscrições abertas para a Corrida Rústica do Trabalhador em Parauapebas

A Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel), comunica que as inscrições para a 5ª Corrida Rústica do Trabalhador iniciaram nesta quarta-feira, 22. Este ano, as inscrições estão sendo realizadas pela internet, no site http://www.chiptiming.com.br/. O evento será no dia 1º de maio, Dia do Trabalho, com largada às 7 horas da manhã da PA-275, em frente à Praça de Eventos.

As inscrições seguem até o dia 30 de abril e a taxa de inscrição é R$ 20. A Corrida Rústica do Trabalhador faz parte do calendário estadual de corrida de rua, da Federação Paraense de Atletismo. O tradicional evento abre a programação das atividades alusivas ao aniversário de 27 anos de Parauapebas.

Mais informações sobre o evento no Ginásio Poliesportivo, Bairro Beira Rio, das 8h às 12h e das 14h às 17h.

Valer divulga Relatório de Produção do 1º Trimestre de 2015

A produção da Vale S.A. (Vale) no 1T15 foi marcada pela forte performance operacional do minério de ferro de 74,5 Mt – excluindo o minério de ferro adquirido de terceiros e a produção atribuível à Samarco – atingindo o seu melhor desempenho para um primeiro trimestre, em particular para Carajás, que produziu 27,5 Mt e também atingiu um novo recorde para um primeiro trimestre.

Em dezembro de 2014, a Vale iniciou a operação da mina de N4WS, que não só vai levar a aumentos de produção adicionais, mas também à redução da relação estéril-minério e das distâncias médias de transporte em Carajás. N4WS faz parte do corpo de minério N4W, um ativo de classe mundial, com 1,346 bilhão de toneladas métricas de reservas provadas e prováveis e um teor médio de Fe de 66,5%.

Excluindo a produção atribuível à Samarco de 3,5 Mt, a produção de pelotas da Vale atingiu 11,4 Mt no 1T15, em linha com o 4T14 e ficando 1,5 Mt acima do 1T14 devido ao ramp-up da usina de pelotização de Tubarão VIII.

No 1T15, a Vale desligou  as plantas de ferroligas em Minas Gerais uma vez que os contratos de energia existentes expiraram e os preços de energia mais elevados  prejudicaram a viabilidade econômica das plantas. Consequentemente, a produção das operações de manganês em Morro da Mina foi afetada.

A produção de níquel totalizou 69.200 t no 1T15, o melhor desempenho para um primeiro trimestre. O trimestre foi marcado por um recorde de produção de óxido de níquel e de produção total de níquel na Vale Nova Caledônia (VNC), por um recorde de produção proveniente de um único forno em Onça Puma e pelo progresso no ramp-up de Long Harbour.

No 1T15, a produção de cobre foi de 107.200 t¹, ficando 1,6%  e 21,1% acima do 4T14 e do 1T14, respectivamente, e atingindo um novo recorde histórico de produção.

A produção de ouro totalizou 103.000  oz no 1T15, 9,7% acima do 4T14, atingindo o melhor desempenho da história devido ao ramp-up de Salobo.

A produção total de carvão no 1T15 foi de 1,7 Mt, ficando 26,6% e 5,1% menor do que no 4T14 e no 1T14, respectivamente, devido à parada das minas de Integra Coal e Isaac Plains e a um período de chuvas anormais em Moatize.

Vídeo: Ferrugem toma conta do polo siderúrgico de Marabá


Reportagem veiculada no Jornal da Globo mostra a situação de precariedade no Polo Siderúrgico de Marabá.

Com um golaço de Eduardo Ramos, o Remo venceu o Paragominas e garantiu vaga para a final do 2º turno do Parazão 2015

Por Fábio Relvas – De Belém

Com mais de 22 mil pessoas, o Remo derrotou o Paragominas, por 1 a 0, na tarde desta terça-feira (21), no estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém, e conquistou vaga na final do returno do Parazão 2015. O gol azulino foi marcado pelo meia Eduardo Ramos, que acertou um chutaço de fora da área e marcou um golaço, aos 37 minutos do primeiro tempo. Com a vitória, o Leão espera de camarote o outro finalista que sairá da partida entre Paysandu x Parauapebas.

O jogo: Leão x Jacaré

Como ninguém tinha vantagem às duas equipes saíram em busca da vitória nos minutos iniciais do jogo, mas foi o Leão Azul que teve as melhores chances. O Remo chegou logo a minuto, depois que Eduardo Ramos cruzou da esquerda para o chute de primeira de Ratinho, a bola passou por cima da meta. O lance serviu para agitar a torcida azulina nas arquibancadas do Mangueirão. Na jogada seguinte, Alex Ruan ganhou da zaga e sozinho para o gol, chutou fraco para a defesa de Maycki Douglas.

Em uma falta cobrada por Eduardo Ramos, o goleiro do Jacaré teve que se virar e espalmar o chute para escanteio. O Paragominas deu o troco na mesma moeda, quando Bruno Maranhão cobrou falta e Fabiano colocou para fora um chute venenoso. Mais uma bola parada nos pés de Eduardo Ramos, que cobrou falta dentro da área para a cabeçada de Rafael Paty, a bola foi para fora.

Eduardo Ramos Remo

O PFC do nordeste do estado deu um susto no Fenômeno Azul, quando Rogério Rios cobrou falta em direção de Rodolfo Bastos, o goleiro Fabiano saiu catando borboleta e a bola passou pela linha de fundo. Após lambança da zaga azulina, a bola caiu de graça nos pés do atacante Aleílson, que não teve tranquilidade e chutou por cima da trave remista. Os 400 torcedores do Paragominas que estavam no estádio ficaram na bronca com a chance desperdiçada.

Quase que o Jacaré levou o castigo, quando Ilaílson resolveu arriscar e bateu para a grande defesa de Maycki Douglas. Mas o gol azulino veio minutos depois com Eduardo Ramos, que carregou bem pelo meio, arrancou e chutou forte alto, sem chance para o goleiro, um golaço, aos 37 minutos, para o delírio da torcida que lotou o Mangueirão, 1 a 0 Leão Azul.

No lance seguinte, em um escanteio, o zagueiro Cristovam tentou de cabeça, a bola passou perigando contra a meta do Leão. O Remo tentou ampliar no final da primeira etapa com Rafael Paty, que meteu de cabeça após cruzamento de Alex Ruan, a bola passou tirando a tinta da meta do goleiro Maycki Douglas. E o primeiro tempo terminou com a vitória azulina.

No início do segundo tempo o Remo quase marcou com Rafael Paty, que tentou chegar de carrinho após o corte errado da zaga adversária, mas o atacante remista não alcançou a bola. Eduardo Ramos tentou a mesma jogada em que marcou o gol, mas desta vez não pegou bem e a bola foi fraca em cima do goleiro. Rogério Rios tentou empatar em cobrança de falta, Fabiano atento afastou de soco.

O meia Bismarck recebeu lançamento na direita, tocou de primeira tirando do alcance de Maycki Douglas, mas a bola foi saindo mansamente e ninguém do Remo chegou para completar. Mas o Jacaré não estava morto e quase surpreendeu o Leão, quando Victor Souza cruzou da direita e Aleílson cabeceou no meio da zaga remista, a bola passou perto.

O Remo tentou ampliar na cobrança de falta frontal de Eduardo Ramos, a bola passou por cima do travessão do Paragominas. Após os 30 minutos, o PFC foi para o tudo ou nada e se atirou no ataque. Em uma invertida pela esquerda, Beá cruzou e Aleílson tentou de cabeça, a bola ficou com o goleiro Fabiano. O Leão não deixou por menos e começou a arriscar mais. Em uma tentativa de fora da área de Felipe Macena, o goleiro do Jacaré espalmou aliviando o perigo.

Os minutos finais foram para tirar o fôlego de qualquer torcedor. O Paragominas pressionou o Remo e quase marcou. Primeiro com o atacante Aleílson, que aproveitou a saída mal de Fabiano, dominou e quase sem ângulo tentou por cobertura, a bola passou muito perto. Aos 44 minutos o Jacaré foi para o desespero, quando Luquinhas cobrou falta da direita e Maycki Douglas foi para a área do Remo tentar marcar, o esforço do goleiro quase deu certo, a bola foi na cabeça dele que tentou marcar, mas Fabiano fez a defesa.

O último lance de perigo do jogo saiu aos 48 minutos, quando a zaga remista entregou nos pés de Luquinhas, que levantou da direita e o atacante Beá sozinho, livre e de frente, dentro da pequena área, conseguiu fazer o inacreditável, errar o chute. Melhor para o Leão que só esperou o apito final para comemorar mais uma vitória e a classificação para a final do returno: Remo 1 x 0 Paragominas.

“O jogo foi decidido em um lance. O Eduardo Ramos é um jogador diferenciado e foi feliz em acertar o chute”, afirmou Charles Guerreiro, técnico do Paragominas.

“”Foi suado, é isso mesmo. Vamos esperar o nosso adversário (Paysandu ou Parauapebas) e domingo temos uma grande batalha”, declarou Eduardo Ramos, meio campo do Remo, autor do gol que classificou os azulinos.

FICHA TÉCNICA

Remo: Fabiano; Levy, Max, Igor João e Alex Ruan; Warian Santos, Ilaílson, Ratinho (Felipe Macena) e Eduardo Ramos; Bismark (Silvio) e Rafael Paty (Val Barreto). Técnico: Cacaio

Paragominas: Maycki Douglas; Rogério Rios, Cristovam, Douglas e Victor Souza; Ronald, Lucas Gaia (Uander), Cristiano Gaúcho (Beá) e Bruno Maranhão (Luquinhas); Aleílson e Rodolfo Bastos. Técnico: Charles Guerreiro

Árbitro: Andrey da Silva e Silva-PA

Assistentes: Lúcio Ipojucan Mattos-PA e Hélcio Araújo Neves-PA

Cartões amarelos: Warian Santos (Remo); Bruno Maranhão, Rogério Rios, Aleílson, Beá e Rodolfo Bastos (Paragominas)

Local: Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém

Renda – R$ 388.153,00 – Pagantes – 21.096 – Credenciados – 1.420 – Total – 22.516

Deputado João Chamon e Ministro Helder Barbalho discutem a construção do Mercado do Peixe em Marabá e outras ações para a região

A solicitação para construção do Mercado do Peixe de Marabá, sonho antigo da população, foi formalizada na manhã desta segunda-feira, 20. O deputado estadual João Chamon e o ministro da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho, reuniram em Belém, onde debateram a importância da obra como principal ponto de partida para o desenvolvimento do ramo pesqueiro na região.

finalfinalDe acordo a sugestão apresentada pelo deputado João Chamon, o espaço público oficial de venda da produção pesqueira eliminaria os “atravessadores” e valorizaria ainda mais o trabalho do pescador marabaense. “Neste momento os nossos pescadores estão descaracterizados e perdendo sua real função. Sem este apoio, por meio do Governo Federal, através do Ministério da Pesca e Aquicultura o mercado de peixe não tem como sair do papel, deixando a economia de Marabá neste setor desaquecida” afirmou o parlamentar.

A pesca ao longo dos rios de Marabá tem um papel histórico e muito importante e eles vivem várias comunidades. “Em Marabá, a atividade pesqueira faz parte de sua história, sendo um dos principais ramos de subsistência da população desde os primórdios do município” finalizou o deputado João Chamon. O ministro Helder Barbalho mostrou-se receptivo a solicitação e na ocasião, deixou marcado previamente sua ida a Marabá no dia 15 de maio para tratar de mais detalhes sobre o assunto, juntamente com outras autoridades, entre elas o prefeito de Marabá, João salame.

Implantação de Escritório da Superintendência Regional da Pesca e a construção do Centro Integrado de Pesca Artesanal (Cipar).

Outra importante pauta tratada pelo deputado estadual João Chamon com o ministro Helder Barbalho foi o estudo para a viabilidade de implantação Centro Integrado de Pesca Artesanal (Cipar) no Município de Marabá.

O objetivo é capacitar profissionalmente o pescador. “Implementar ações estruturantes e oferecer melhoria na condição de trabalho dos pescadores da região torna-se uma ação necessária para o desenvolvimento da cadeia produtiva do pescado na Região Sudeste do Pará” garantiu Chamon.

Entre as ações citadas pelo parlamentar para serem operacionalizadas pelo Cipar estão: Cursos de formação profissional na área, blocos operacionais para produção de gelo, câmara fria, câmara de espera e área de higienização.

Sobre o escritório regional em Marabá, outro assunto importante e também tratado com o ministro Helder, a justificativa avaliada pelo deputado João Chamon para sua implantação é de aproximar o poder público da população, com políticas voltadas para o fomento da pesca e aquicultura.

Após audiência, o deputado João Chamon falou por telefone com o prefeito de Marabá, João Salame, e ambos combinaram a parceria na organização da visita do ministro a cidade.

error: Content is protected !!