Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Redenção

Vândalos quebram radares de trânsito em Redenção

Departamento de Trânsito e empresa Atlanta, responsáveis pelos equipamentos, fazem jogo de empurra e, estranhamente, evitam falar ao Blog sobre que providências seriam tomadas

Na manhã desta quarta-feira (3), quem passou pela Avenida Brasil, em Redenção, viu o resultado do vandalismo praticado contra o bem comum. Dois dos quatros radares de trânsito instalados semana passada foram danificados por durante a madrugada. A Polícia Civil trabalha para identificar o autor e enquadrá-lo por destruir o patrimônio público. O motorista Wanderson Alves disse à Reportagem do Blog que, logo pela manhã, viu os dois radares eletrônicos no chão. “Eu estava indo para o serviço e, ao passar por aqui, me deparei com os radares caídos. Isso é um desrespeito muito grande, quem fez isto merece estar preso”, disse ele, que é frentista.

Os radares da Avenida Brasil foram alvos de muitas críticas durante a semana. Muitos disseram que a fiscalização eletrônica estava instalada em pontos errados, onde não havia iluminação pública nem mesmo sinalização.  Segundo o vendedor David Romão é uma dessas pessoas contrárias à instalação dos equipamentos: “A sinalização aqui é nota zero, os pardais estavam em locais escuros e estratégicos. Eu não sei quem quebrou, mas acredito que estava indignado. Pra mim, esses radares são fabrica de fazer dinheiro”, criticou.

Veja também:  Polícia Civil e parceiros entregam cestas básicas a famílias carentes

Depredação do patrimônio público é crime e pode causar pena de detenção por até 6 meses. Patrimônio Público é o conjunto de bens e direitos de valor econômico, artístico, estético, histórico ou turístico, pertencentes aos entes da administração pública direta e indireta.

Jogo de empurra

O diretor do Departamento Municipal de Trânsito e Transporte (DMTT) de Redenção disse que não iria se pronunciar sobre o assunto e afirmou que a empresa responsável seria a Atlanta Tecnologia de Serviços e Manutenção de Equipamentos de Fiscalização Eletrônica. Em contato com a empresa a Reportagem foi informada de que o órgão responsável seria sim o DMTT. Porém, ficou de retornar para a Redação a fim comunicar sobre as providências que seriam tomadas, o que não aconteceu.

Como se vê, se DMTT e Atlanta não dão conta de dar uma simples resposta sobre que providências seriam tomadas em relação aos danos ao patrimônio público, como podem administrar o trânsito de Redenção e os equipamentos com eficiência?

Deixe uma resposta