Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Tucuruí

Tucuruí: Funcionário do Banpará acusa viúva de Jones William de sacar cheque de terceiros na boca do caixa

O cheque, no valor de R$136 mil, foi emitido para pagamento da empresa Tec Lix Manutenção, mas foi a viúva quem o sacou na agência de Goianésia dias antes da execução do marido

Uma denúncia enviada à diretoria administrativa do Banpará pode dar novo rumo as investigações que apuram o assassinato do prefeito de Tucuruí, Jones William, executado em julho de 2017, quando vistoriava obras na área urbana do município. O funcionário do Banpará, Alan Ribeiro da Silva, lotado na agência do Banpará de Goianésia do Pará, município situado a 70 quilômetros de Tucuruí, afirma que a ex-primeira dama de Tucuruí, Graciele Galvão, esposa do prefeito assassinado esteve no banco no dia 20 de junho de 2017, ocasião em que sacou um cheque no valor de R$136 mil reais. O saque foi realizado um mês antes da morte do prefeito. O cheque estava nominal a empresa Tec Lix Manutenção, prestadora de serviços para a prefeitura de Tucuruí.

De acordo com Alan Ribeiro, a ex-primeira dama, que é funcionária de carreira do Banpará, usou de sua influência como gerente de negócios do Banpará de Tucurui, para convencer a gerência de Goianésia a autorizar o pagamento do cheque. Em conversas entre o funcionário do banco e a viúva travadas no aplicativo WhatsApp, Alan cobra de Graciele Galvão que ela retorne ao banco para emitir sua assinatura no verso do cheque, uma vez que foi ela quem sacou valor – destinado a uma empresa  – na boca do caixa. No entanto, apesar de prometer voltar a agência, Graciele nunca retornou ao Banpará de Goianésia.

Veja também:  Ministério Público pede intervenção estadual no município de Tucuruí

Um fato ainda mais grave é relatado pelo funcionário Alan. Segundo ele, no dia em que Graciele Galvão fez o saque em Goianésia as contas da prefeitura e da empresa estavam bloqueadas pela justiça a pedido do Ministério Público. Tanto o prefeito Jones William quanto o empresário Alexandre Siqueira, estavam sendo investigados por supostamente chefiar um esquema criminoso que teria desviado milhões da prefeitura de Tucuruí. Temendo ser responsabilizado pela operação fraudulenta, Alan enviou denúncia formal ao Banpará, com pedido de providências. Por essa razão, o funcionário foi exonerado do cargo de chefia que ocupava e contra ele foram abertos quatro Procedimentos Administrativos por conduta irregular. Graciele Galvão atualmente faz parte do Conselho de Ética do Banpará.

Muito ainda há de aparecer sobre a morte de Jones William em Tucuruí, município que parece viver politicamente um inferno astral. A polícia nunca concluiu o inquérito sobre o assassinato do prefeito. (Com informações do Portal Pará News)

 

Deixe uma resposta