Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Parauapebas

Polícia Civil prende pai que estuprou filha de três anos em Parauapebas

O criminoso confessou o abuso contra a criança, mas disse que estava possuído por “espíritos maléficos” e ainda tentou colocar a culpa em outra pessoa

Encontra-se custodiado na Carceragem do Rio Verde, à disposição da Justiça, Fernando de Sousa Batista, 33 anos. Ele foi preso na manhã desta quinta-feira (29), por ordem da delegada Ana Carolina de Abreu, titular da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), acusado de ter abusado sexualmente da própria filha, uma criança de três anos, em 16 de setembro deste ano. O caso, entretanto só foi denunciado hoje, quando a mãe da menina se dirigiu à Delegacia de Polícia.

A mãe da criança, que é separada de Fernando, contou na delegacia que, de uma para outra hora, ele se reaproximou da menina e até pediu que ela fosse passar o fim de semana com ele, nos dias 15 e 16 de setembro, o que foi consentido.

Porém, esta semana, ao conversar com a filha, a criança contou, em detalhes, que havia feito sexo oral no pai. Da maneira como a narrou para a mãe, era como se fosse uma brincadeira inocente. Revoltada, a mulher imediatamente entrou em contato com Fernando, pelo aplicativo WhatsApp.

Veja também:  Policiais localizam dinheiro, explosivos e armamento pesado em área de mata de Tucuruí

A princípio, segundo o que a mãe da criança contou à delegada Ana Carolina, ele tentou acusar o padrasto da menina, mas, em seguida, mudou de ideia e confessou o ato animalesco, pediu perdão e alegou que quando abusou da filha estava possuído por “espíritos maléficos”.

Imediatamente, a mulher procurou o Conselho Tutelar, onde foi orientada a se dirigir à Deam. Na delegacia, além de denunciar o crime, ela mostrou as mensagens de texto à delegada, o que foi suficiente para que o pai desnaturado fosse preso.

Interrogado pela delegada Ana Carolina, ele negou tudo, mas as mensagens trocadas com a mãe da criança não deixam dúvida. O crime é considerado estupro de vulnerável e a pena varia de oito a 12 anos de cadeia.

Seja o primeiro a escrever um comentário

Deixe uma resposta