Novo CPC: no Pará, Skype é usado para ouvir testemunhas em processo da 2ª Vara do Trabalho de Marabá

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Skype é usado para audiência entre comarcas na 2 VT de MarabáA 2ª Vara do Trabalho de Marabá e a Vara do Trabalho de Altamira​, ambas no estado do Pará,​ realizaram​,​ na última quinta-feira (​0​7), a oitiva de duas testemunhas ​dentro do processo nº 0000196-04.2016.5.08.0117, ​entre Diones da Silva Pereira e ​​Consórcio Montador Belo Monte​. A novidade foi o uso do aplicativo “Skype”​, que encurtou a distância de quase 700 km seguindo pela rodovia Transamazônica​ e ​permitiu maior economia e ​agilidade ao processo. Da forma tradicional, ​deveria ser emitid​a​ de Marabá uma Carta Precatória ​para a Vara Trabalhista de Altamira ​e a previsão ​de​ audiência seria fevereiro de 2017.​ ​

A audiência foi presidida pelo ​J​uiz do Trabalho​ Titular da 2ª Vara do Trabalho da Comarca de Marabá​, Jônatas dos Santos Andrade, e acompanhada pela Juíza do Trabalho Substituta Luana Madureira dos Anjos, que estava em Altamira, ​onde foi acessado o aplicativo que conectou as ​unidades judiciárias​.

Skype é usado para audiência entre comarcas na 2 VT de Marabá II

Para ​o Juiz Jônatas Andrade ​o​ ​fundamento para o uso da nova ferramenta é o novo CPC​. “A disposição processual permite uma flexibilidade e agilidade maiores. Muitas vezes, as cartas precatórias são encaminhadas para ​V​aras de grande movimento e demoram uma eternidade para serem cumpridas. Assim, a oitiva da testemunha ​(por Skype) ​pode ser feita de imediato”​, explicou o magistrado, que também ressalta como fato positivo a manutenção da identidade física do julgador do processo original, “uma vez que é o mesmo a ouvir as testemunhas à distância​”, concluiu​.

Dr. Jônatas Andrade é o que podemos chamar de juiz “moderninho”. No ano passado ele foi procurado pela mãe e esposa de um reclamante que se encontrava internado no Hospital Regional de Marabá e que tinha um processo tramitando em sua Vara. Informado de que o reclamante queria fazer um acordo, o juiz não pestanejou. Mandou levar até ele um aparelho celular com o aplicativo WhatsApp instalado, chamou a parte requerida e celebrou um acordo inédito na justiça trabalhista via aplicativo.

​Para a advogada ​​do Consórcio Montador Belo Monte​, Lilian Guimarães​, a experiência ​foi bastante produtiva. ​​”​​As testemunhas ficaram mais calmas​. E, por ser um método mais informal, acabou passando tranquilidade para as elas​. ​​Gostei bastante​ ​e o sistema funcionou bem. Achei producente. Uma inovação que veio para facilitar a nossa vida​”, avaliou a advogada que ainda registrou que o ​fato do ​acompanhamento de uma magistrada em Altamira​ foi bastante relevante para garantir “a seriedade do processo”​.

Publicidade
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir