Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Frota

Municípios do sul do Pará atingem média de um veículo por habitante

Enquanto a densidade em Redenção é de um carro para cada 1,4 morador, em Afuá a média é de um para cada 2.591 pessoas, a pior do Brasil. Frota paraense, de 1,99 milhão de veículos, é liderada pelas motos.

Redenção, Tucumã e Xinguara, municípios movidos por forte tradição agropecuária, têm a menor relação veículo por habitante no Pará. O Departamento Nacional de Trânsito (Dentran) acaba de atualizar a plataforma da frota municipal com referência ao mês de setembro deste ano, e o Blog do Zé Dudu acelerou para analisar o panorama de trânsito nessas localidades.

O crescimento da frota nos municípios em questão associa-se, sobremaneira, a uma característica comum verificada nas regiões Norte e Nordeste nos últimos anos: o avanço da motocicleta. Assim como em praticamente todo o Pará, são as motos os veículos com presença esmagadora na composição da frota desses lugares.

Na dificuldade de acessar áreas rurais, na imensidão extensa dos municípios, que são rodeados por grandes latifúndios, as motocicletas são o meio de transporte mais ágil e eficiente, assim como o mais perigoso por ser o campeão em acidentes. Como seu custo é menor em relação ao de um automóvel, as motos reinam absolutas no estado, com participação cada vez mais crescente no sul do Pará.

Redenção lidera

Com 84 mil habitantes e 60,2 mil veículos em circulação, o município de Redenção, centro regional do sul do Pará, apresenta a menor relação de veículo por habitante do estado. Por lá, há um veículo para cada 1,4 morador. As motocas dominam: são aproximadamente 38,5 mil entre motocicletas e motonetas, o equivalente a 64% dos veículos em circulação.

Os automóveis em Redenção totalizam quase 11,6 mil unidades, enquanto as caminhonetes, utilizadas para enfrentar a vastidão das estradas rurais, somam em torno de 5.400 emplacamentos. Em um ano, o município ganhou três mil novos veículos, segundo o Denatran, e é um dos que possuem a maior proporção entre meios de transporte e habitantes.

O Blog levantou que os investimentos na área de transporte efetuados pela Prefeitura de Redenção, nos oito primeiros meses do ano, perfizeram R$ 5,15 milhões, sendo que a área de infraestrutura para o trânsito consumiu R$ 2,7 milhões.

Tucumã em 2º

O maior congestionamento em Tucumã é de gado: são 330 mil cabeças no pasto. Mesmo assim, nas ruas e demais vias de passagem, por onde circulam os 39 mil habitantes do município sobre 25,2 mil veículos, já se verifica a segunda maior densidade do Pará. A média é de um meio de transporte motorizado para cada 1,55 morador.

Em um ano, Tucumã assistiu ao emplacamento de mais de mil novo veículos, a maioria motocicletas. Em conjunto com as motonetas, as motos totalizam 18,8 mil unidades, enquanto os automóveis só representam 11% da frota total. A participação das motos é tão grande que elas representam 75% do total de veículos atualmente em circulação.

Veja também:  Corregedor instaura processo para apurar pedido de exoneração de juíza no Pará

Ao levantar a prestação de contas da Prefeitura de Tucumã, o Blog apurou que, nos oito primeiro meses deste ano, o governo municipal aponta ter gasto R$ 463,7 mil em infraestrutura, conforme seu relatório de execução orçamentária. A maior parte do investimento é na área urbana, onde residem 32 mil pessoas.

Xinguara em 3º

Os 44,4 mil habitantes de Xinguara circulam em 27,8 mil veículos atualmente. A densidade de transporte motorizado por habitante é de um para 1,6, a terceira menor relação do estado. Com forte apelo agropecuário, o município tem hoje 530 mil bois no pasto e é residência de alguns dos maiores pecuaristas da Região Norte. Talvez por isso, pela tradição fazendeira, sua frota de caminhonetes, de quase 2.500 unidades, é a 11ª maior do Pará, superando municípios muito mais ricos e mais populosos. As caminhonetes são as queridinhas dos fazendeiros pela força com que enfrentam as mal cuidadas estradas vicinais do estado, sobretudo no inverno chuvoso.

Ainda assim, as motos dominam em Xinguara. Lá, elas são 68% da frota, enquanto os automóveis, em pouco mais de 4.100 unidades, são apenas 15% do total.

Na prestação de contas do quarto bimestre deste ano, o Blog percebeu que a Prefeitura de Xinguara gastou este ano R$ 35 mil com transporte e outros R$ 714 mil com infraestrutura urbana, para ajudar na fluidez do tráfego.

Outros municípios

Entre os dez municípios com a menor relação entre homens e veículos, há ainda Novo Progresso (um veículo para 1,81 habitante), Altamira (um para 1,84), Canaã dos Carajás (um para 1,97), Parauapebas (um para 2,25), Rio Maria (um para 2,32), Marabá (um para 2,43) e Itaituba (um para 2,45). No outro extremo, o Pará tem dois dos três municípios brasileiros com a maior distância quantitativa entre veículo por habitante.

Em Afuá, os quase 39 mil habitantes têm apenas 15 veículos emplacados, o que confere a média de um veículo para cada 2.591 habitantes. Já em Chaves são 22 veículos para 23,5 mil pessoas, média de um para 1.067 habitantes.

Em números absolutos, a frota é dominada por Belém (447,6 mil unidades), Ananindeua (136 mil), Marabá (113 mil), Santarém (100,7 mil), Parauapebas (90,1 mil), Castanhal (75,5 mil), Altamira (61,5 mil), Redenção (60,2 mil), Itaituba (41,2 mil) e Paragominas (40,9 mil). Todos esses municípios são, também, os únicos com frota de automóvel superior a 10 mil unidades.

No Pará, apenas Belém tem mais da metade de sua frota composta por carros. O estado tem, segundo o Denatran, 1,99 milhão de veículos em circulação, um para cada 4,28 paraenses.

Deixe uma resposta