Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
TJPA

Juíza volta atrás em pedido de exoneração e pede licença médica ao TJPA

Mais cedo a juíza havia requerido sua exoneração do cargo. Ela é substituta na Comarca de Xinguara-PA

A juíza Ana Carolina Barbosa Pereira (foto), que havia pedido exoneração do cargo de magistrada do Tribunal de Justiça do Estado do Pará alegando dificuldades de logística e na atenção dispensada pelo TJPA aos magistrados do interior, voltou atrás e agora vai se licenciar para tratamento médico, conforme requerimento abaixo.

Agora há pouco a juíza fez circular a seguinte nota:

”Colegas (e amigos), fiquei emocionada com as manifestações de todos. Confesso que há mais de seis meses vinha pensando na exoneração e cheguei a escrever o texto que acabou circulando sem qualquer intenção, já que foi enviado apenas ao Tribunal.

Mesmo sem ter outra opção em vista, mesmo amando o que eu faço, havia desistido de seguir na Magistratura do Pará. Doeu muito, mas precisei colocar minha saúde acima de tudo. Pânico, choros diários, crises de ansiedade e medo. Eram esses os sentimentos que prevaleciam no meu dia a dia e que se apagavam quando, raras vezes, eu reencontrava a minha família cearense ou goiana.

No dia 02.10, ao retornar das férias, enfrentei mais uma crise de pânico e precisei de ajuda médica imediata. Na última semana chorei todos os dias com medo do retorno. Com medo de reencontrar exatamente o mesmo cenário. Nunca quis me afastar por atestado, pois não queria carregar o status de “louca”. Depois de protocolar meu pedido, recebi incondicional apoio da AMEPA e da AMB, pedindo que eu pensasse e, se fosse o caso, que me licenciasse antes de decidir.

Veja também:  Denunciado por juíza que renunciou em carta aberta, promotor de Xinguara é afastado do cargo

Embora estivesse convicta da minha escolha e também das consequências (especialmente das verdades que escrevi), solicitei o cancelamento da exoneração e fiz um pedido de auxílio da junta médica do Tribunal.

Estou justificando porque sei que esse novo Siga Doc já está circulando e, apesar de saber que muitos sentem a mesma coisa que eu, não quero que pensem que eu me acovardei, que fiz chilique ou que só quis aparecer. Meu grito foi ouvido. Minha dor foi sentida por todos. Preciso de ajuda e decidi aceitar para depois efetivar ou não a minha decisão inicial.

Obrigada por tudo!”

 

 

Comentários ( 15 )

  1. Considerando a confirmação da Drª Ana Carolina de que o conteúdo narrados na carta que circulou em redes sociais foi de autoria dela.

    Considerando a gravidade das denúncias contidas na carta:

    1) A OAB Xinguara irá oficiar o CNJ para que forneça o conteúdo das provas contidas no PAD contra o Juiz José Admilson para que seja averiguado quais advogados restou provado que cometeu conduta contrária ao código de ética da OAB.

    2) A OAB irá cobrar do Procurador Geral de Justiça que abra procedimento criminal e administrativo apurar as denúncias contidas na carta, de conduta criminosa tanto de representante do MP, TJ e PC.

    3) E quanto a denuncia de ameaça sofrida pela magistrada narrada na carta, a OAB irá oficia-la para que indique qual advogado promoveu-lhe referidas ameaças e em quais circunstância para que se possa adotar providências cabíveis.

    Cícero Sales – Presidente da OAB Xingara

  2. Boa sorte! Cuide da sua saúde e saiba que sua decisao será corajosa, seja ela qual for. Quem tem contato com a realidade retratada por você em seu pedido de exoneração sabe que é tudo verdade. Sou paraense e digo sem sombra de dúvidas, o interior do Pará é sim território de graves violações de direitos.

  3. Dra. a senhora fez um bem enorme tanto a si quanto à justiça paraense e de todo nosso restante do Brasil. Sua dor foi mesmo ouvida e sentida. Sou advogada aqui no Tocantins e infelizmente ouço de colegas que atuam aí no Pará que é muito duro o exercício da profissão vez que o que impera é a corrupção. Muitos dizem.que é terra sem lei. E isso em que mudar.
    Não desista da sua profissão. Tire mesmo a licença médica por quanto tempo for necessário e Deus te guiará para o melhor. Cuide-se seu corpo esta pedindo socorro.
    Minha solidariedade e estima que tudo dê certo.
    Abraço, mesmo sem conhecê-la.

  4. Bom dia!
    Não causa surpresa a declaração da juíza, porque vivemos em Marabá e sabemos de todas as injustiças, no estado do Pará. A surpresa ficou por conta da coragem desta jovem, mas fique calma doutora, porque o Sérgio Moro vive com segurança 24 horas, o Bolsonaro sofreu tentativa de assassinato, nosso Brasil está declaradamente como o país mais corrupto do mundo, bandidos em todos os lugares. Concordo plenamente com a senhora, a sociedade percebeu recentemente as manobras do STF, para nossa surpresa, porque antes da Lava-jato ninguém sabia o que acontecia no STJ, estamos nos igualando ao passado italiano. Somente o Espírito Santo poderá destruir o maligno que se apoderou do poder judiciário .
    Que Deus lhe dê saúde e proteção.

  5. Infelizmente é assim ! Os “poderosos” não aceitam quem chega pra mudar/ fazer valer a lei. Vc é um exemplo tanto quanto profissional quanto como ser humano. Obrigada por tudo que fez aqui e por tudo que tentou e não deixaram. Deus te guarde de tudo e de todos. Exemplo de caráter inquestionável

  6. As palavras da Dra. Carolina refletem o drama de juízes de direito deste Estado, especialmente os lotados no interior. Na capital infindáveis regalias; no interior muitas vezes sequer condições mínimas para que os servidores desenvolvam seu mister. Falta computadores, falta acesso à internet… Somado a isso, como bem dito pela magistrada, o CNJ e suas metas, onde o objetivo maior é dar fim a processos sem, contudo, permitir que se prime pela excelência de uma sentença, de efetivamente se fazer JUSTIÇA. Que Deus restaure as suas forças, Excelência, e que suas palavras não tenham sido em vão, especialmente que tenham tido a força de chamar a atenção para as ilegalidades daqueles que deveriam estar fiscalizando as leis, atuando em prol da sociedade e demitir quem não tem a sensibilidade e o respeito com o jurisdicionado, qualidades estas que a senhora demonstrou possuir.

  7. Tem as condições de trabalho estão inadequadas, fez certo a Dra., tem reclamar mesmo, trabalhar no Pará já é um desafio, e sem apoio e condições minimas de trabalho nao dá, na magistratura, que já é um sacerdócio, pior ainda.

  8. Que bom é saber existirem juízes humanos, que julgam por amor! Dra. Ana Carolina, faça como as águias: isole-se, arranque suas penas, quebre seu bico, regenere-se e voe ainda mais alto!!! Acredite que, se Deus a pôs em convívio com tais pessoas, é porque elas precisam de seu exemplo de humanidade e de retidão, bem como de suas competências, habilidades e atitudes. Existe um treinamento maravilhoso chamado “Desenvolvimento e Liderança” (DL), do Instituto Nacional de Excelência Humana – que certamente contribuirá para que V. Exa. se reconheça como Águia. Contacte a equipe DL o quando puder: (91) 98800-9871. Que Deus a abençoe!!!

  9. O Derradeiro Desafio

    No meio do caminho há cardos, pedras, barro molhado e areia movediça, além da longa reta da falta de perspectiva; porém, a fé, a paz, a sabedoria e o amor geram a persistência necessária a conduzir-nos até a curva, após a qual se encontra a vitória.

    Certamente, não é a primeira vez que enfrentamos desafios, nem a primeira que os superamos – logo, temos experiência e esperança! Certamente, também não será a última – Deus há de dar-nos a dádiva do Amanhã!

    Então, colhamos nossas pérolas e semeemo-las no Campo do Presente, porque cada uma delas florescerá como a doce e suave Uva da Felicidade, que deve ser colhida dia a dia, para produzir o puro Vinho do Amor, que devemos tomar a cada Refeição de Ânimo.

    Viva aos desafios! Viva à vida! Viva os desafios da vida!

    JBMP

  10. Mulher porreta com as palavras, exatamente isso, juizes se vangloriam mais com suas pompas ao cargo do que com a obrigacao de cumprir com o dever de funcionarios “Publicos” que sao…

Deixe uma resposta