Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Parauapebas

Jovem baleada em Parauapebas apela por doações para pagar cirurgia

Jhackelyne Rodrigues precisa de R$ 20 mil para a retirada de uma bala que está alojada na coluna dela. A moça está em Teresina, hospedada em condições precárias, aguardando ajuda

Com uma bala alojada na coluna desde o dia 1º de maio passado, a jovem Jhackelyne Rodrigues, 21 anos, de Parauapebas, está precisando de R$ 20 mil para pagar a cirurgia em que o projétil será retirado, em hospital de Teresina (PI), cidade onde está hospedada em condições precárias. A situação é desesperadora e ela corre contra o relógio, pois a cada dia a situação se agrava, Por isso, os familiares estão apelando para a solidariedade humana a fim que Jhackelyne receba doações e possa se submeter à operação, que é urgente. A família não tem condições de conseguir a quantia.

 

A moça foi vítima da crueldade de um assaltante que invadiu a casa em que ela mora com os pais e exigiu que ela lhe entregasse um colar que usava no momento. Jhackelyne, que tem menos de 10% da visão, não estava conseguindo abrir a joia e se atracou à mãe, que, igualmente desesperada, puxou o colar do pescoço da filha e o jogou aos pés do bandido, que, mesmo assim, baleou a moça.

A bala atingiu a coluna, o baço, o fígado, um dos rins e parte do pulmão. Após o ter sido balada, Jhackelyne imediatamente perdeu o movimento das pernas e foi leva ao hospital e depois removida para Belém.

Veja também:  População tenta linchar ladrão de celular que fugiu da polícia

Mostrando uma resistência impressionante, ela conseguiu sobreviver aos danos causados nos órgãos atingidos, mas as pernas seguem sem movimento e a presença da bala na coluna torna a situação ainda mais grave, uma vez que Jhackelyne pode ficar com os membros inferiores atrofiados.

Colegas de trabalho do pai da moça, que é funcionário público municipal, já conseguiram uma vaga para ela no Hospital Sara Kubitscheck, de São Luís (MA), referência em reabilitação, mas, o tratamento só pode começar após Jhackelyne ter passado pela cirurgia.

Dependendo da intensidade do dano que a bala tenha causado à coluna da jovem, é possível que, com o tratamento no Sara, ela possa até voltar a andar ou, pelo menos, evitar que suas pernas fiquem atrofiadas.

Doações

As doações podem ser feitas por meio de depósito na seguinte conta:

Conta Poupança da  Caixa Econômica Federal
Conta: 51.783-5
Agência: 3145
Operação: 013
Nome: Fernanda de Morais Rodrigues
CPF: 701.063.202-20

Mais informações pelo celular (94) 99237-3627.

Deixe uma resposta